APSREDES

OPAS e Ministério da Saúde lançam publicação do Prêmio APS Forte no SUS

capa25-04

OPAS/OMS no Brasil lançou em abril a publicação da Série Técnica NavegadorSUS, editada em parceria com o Ministério da Saúde, que traz a sistematização das 12 experiências selecionadas no Prêmio APS Forte no SUS – Integralidade no cuidado.

O Prêmio APS Forte para o SUS foi criado em 2019 pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/ OMS no Brasil) e pela Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS) do Ministério da Saúde, com os objetivos de valorizar, sistematizar e divulgar experiências que ampliam o acesso do cidadão ao Sistema Único de Saúde (SUS) e para homenagear os 25 anos da Estratégia Saúde da Família (ESF) no país, um programa que democratizou o acesso aos serviços e às ações de saúde em todo o território nacional.

A Organização e o Ministério da Saúde, com os apoios institucionais e a participação do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e do Conselho  Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), lançaram a 1a edição do Prêmio APS Forte em 2019, cujo tema central foi o “Acesso à saúde por meio da APS“. Na ocasião, a iniciativa recebeu 1.294 inscrições, sendo que 135 foram recomendadas para premiação. As experiências de Jaraguá do Sul (Santa Catarina), Abaetetuba (Pará) e da comunidade do Salgueiro (Rio de Janeiro) foram as vencedoras daquela edição.

Em 2020, em meio à pandemia de Covid-19, a OPAS/OMS no Brasil e o Ministério da Saúde lançaram a 2a edição da iniciativa para identificar e reconhecer publicamente os esforços e o trabalho de excelência dos profissionais da APS no atendimento dos usuários com a nova doença. A APS demonstrou mais uma vez a capilaridade e a importância do SUS para todos os brasileiros. Foram 1.471 experiências inscritas, e 19 práticas foram selecionadas como de excelência e reconhecidas publicamente em evento virtual.

Na edição do Prêmio APS Forte no SUS – integralidade no cuidado foi dividido em quatro eixos. O primeiro reuniu experiências sobre a organização dos serviços de APS para o atendimento integral, inclusive ações de enfrentamento da Covid-19, onde foram selecionadas práticas das secretarias municipais de Palotina – PR, Canaã dos Carajás – PA e Vitória de Santo Antão – PE.

Já no eixo dois, integralidade e equidade na APS, as experiências destacaram o cuidado à saúde de pessoas que vivem em situação de vulnerabilidades, com ações voltadas aos negros, aos imigrantes e à população carcerária LGBTQIA+, com foco na promoção da saúde e na concretização dos direitos sociais das pessoas. Neste eixo, foram selecionadas experiências da secretaria de saúde do Distrito Federal e das secretarias municipais de Jaboatão do Guararapes – PE e de Porto Alegre – RS.

Para o eixo três, foram selecionadas experiências que demonstram a integralidade na atenção à saúde durante os ciclos da vida, com destaque para as práticas finalistas das secretarias municipais de saúde de Sobral – CE, de Vitória – ES e de Fraiburgo – SC. São estratégias desenvolvidas conforme as necessidades de cada território, que acolhem as demandas dos públicos que estão em condições peculiares das fases da vida.

O quarto eixo traz práticas de promoção da saúde desenvolvidas pela APS. São estratégias intersetoriais capitaneadas pelo setor saúde em prol da saúde na comunidade. Neste campo, se destacaram ações que promovem a alimentação saudável nas escolas, o cuidado integral dos tabagistas e a promoção da atividade física. As secretarias municipais finalistas foram de Porto Alegre – RS, Belo Horizonte – MG e Jaboatão dos Guararapes – PE, respectivamente.

No dia 7 de abril, data em que se comemora o Dia Mundial da Saúde, a OPAS e o Ministério da Saúde premiaram os autores de quatro experiências entre as 12 finalistas. Eles vão participar de uma viagem internacional para intercâmbio de conhecimento com profissionais de saúde da Europa que trabalham em sistema sanitário focado na APS como coordenadora do cuidado em saúde. Conheça as experiências:

Eixo 1 – Organização dos serviços de Saúde
– Programa Saúde no Campo: ampliação do acesso à saúde em um município do interior Pernambucano. Vitória de Santo Antão/PE – relato da Coordenação de Atenção Primária do município de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, sobre a implantação do Programa Saúde no Campo como estratégia de ampliação de acesso às ações e serviços na área rural.

Eixo 2 – Integralidade e Equidade
– Mediadores Interculturais na APS: Acesso e Acolhimento no SUS Porto Alegre/RS – relato da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, sobre a colaboração de mediadores interculturais imigrantes para desenvolver tarefas referentes ao acesso à APS, qualificação dos atendimentos, continuidade do cuidado.

Eixo 3 – Atenção nos ciclos de Vida
– – Cuidado integral à saúde das pessoas idosas residentes em ILPI: estratégias para a Atenção Primária ES Vitória – experiência apresentada pela Secretaria Municipal de Saúde de Vitória, Espírito Santo, que descreve a experiência de implantação do Plano de Atenção Integral a Saúde da Pessoa Idosa residente em ILPI como instrumento organizador do cuidado individual e coletivo, integrando ações de assistência e vigilância em Saúde.

Eixo 4 – Promoção da Saúde

– Conviver mais: atividade física através da intersetorialidade para munícipes do Jaboatão dos Guararapes PE – relato da Secretaria Municipal de Saúde de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, que descreve a experiência de promoção de práticas corporais e de atividade física regular para os cidadãos nos diversos espaços de lazer da cidade com inclusão social de idosos e pessoas com deficiência.

Acesse a publicação

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram