APSREDES

Categoria: Atenção à Saúde das Mulheres

Projeto Passo a Pássaro, da Penitenciária Feminina de Teresina, Piauí

Idealizado pela Secretaria de Justiça do Piauí e a Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas, o projeto Passo a Pássaro, desenvolvido, atualmente, na Penitenciária Feminina de Teresina, tem como foco a execução de atividades voltadas à reabilitação de dependentes químicos no sistema prisional do Piauí. A Penitenciária Feminina de Teresina

Práticas de Cuidado em Saúde com Trabalhadas do Sexo: extensão universitária desenvolvida pelo Núcleo de Estudos sobre Drogas da Universidade do Ceará

As trabalhadoras do sexo da Barra do Ceará, periferia de Fortaleza, recebem orientação sobre promoção da saúde e redução de danos de estudantes e psicólogos do Núcleo de Estudos sobre Drogas (Nuced), da Universidade Federal do Ceará, por meio de uma disciplina curricular que articula instituições e fomenta novas abordagens

Projeto Ambulatório Trans de Sergipe Portas Abertas – Saúde Integral das pessoas Trans: cuidar e acolher, da Universidade Federal de Sergipe

Este projeto tem o objetivo de oferecer um ambulatório para atendimento integral da população Trans do estado de Sergipe e combater a transfobia institucional, em um ambiente de formação de futuros profissionais de saúde. Envolve os oito cursos da Universidade Federal de Sergipe/Campus de Lagarto: Medicina (endocrinologia, clínica médica e

Projeto Barriguda, do Instituto Santos Dumont, do Rio Grande do Norte

Capoeiras, no município de Macaíba, é a maior comunidade quilombola do Rio Grande do Norte. Inclui aproximadamente 300 famílias com acesso limitado aos cuidados adequados à saúde. Com a estratégia da pesquisa-ação foi implantada, nessa comunidade, uma estratégia interprofissional de cuidado na atenção pré-natal que busca atender às necessidades identificadas

Mulheres da AP2.2: Grupos de convivência, educação em saúde e geração de renda nas unidades da ESF, do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa em APS, da UERJ com apoio da SMS RJ.

O projeto Mulheres da AP2.2 tem o artesanato como ferramenta de cuidado para mulheres em tratamento de saúde mental, desenvolvido em sete de unidades básicas de saúde da Grande Tijuca, bairro do Rio de Janeiro. O projeto visa atender uma demanda crescente na saúde pública, onde cerca de 40% de usuários atendidos