Os seis projetos premiados pelo “Laboratório de Inovação sobre a Participação Social na Atenção Integral à Saúde das Mulheres, CNS/OPAS”, descritos e analisados nesse documento, têm como mérito principal – para além de suas qualidades, características e resultados – demonstrar a necessidade de se consolidar, no Brasil, um estado de proteção social.

Ainda que esse seja um projeto universalista e, portanto, dependa de investimentos nas políticas de saúde, educação, renda mínima, trabalho, moradia, urbanização e cultura, as experiências aqui apresentadas demonstram nitidamente que, apesar da proteção social ser um processo político construído em médio prazo, é totalmente possível – do ponto de vista político e, sobretudo, financeiro –, desenvolver políticas, projetos e ações que, em curto prazo, reduzam sobremaneira as principais desigualdades, injustiças e vulnerabilidades sociais brasileiras.

A sustentabilidade e a replicação desses e de outros projetos, programas e ações constituiriam, assim, as bases emergenciais que, suprindo as lacunas mais imediatas, apontariam, pelo protagonismo de seus participantes, os problemas, as instituições e as políticas públicas que, submetidas a processos incrementais, produziriam o bem-estar social tão ansiado pelos brasileiros.

 Boa Leitura!

Versões disponíveis


Versão PDF