Xô Covid: Atenção Primária à Saúde no Enfrentamento da Covid-19 em Arapiraca/AL

Xô Covid: Atenção Primária à Saúde no Enfrentamento da Covid-19 em Arapiraca/AL

#APS Forte em Arapiraca/AL

A APS de Arapiraca/AL reorganizou os fluxos para o manejo clínico da Covid-19, readequou o processo de trabalho da equipe multiprofissional, reestruturou a carteira de serviços e implantou medidas de segurança ao usuário e ao profissional de saúde.

Reorganizar o processo de trabalho da Atenção Primária para o enfrentamento da Covid-19 é uma das principais estratégias adotadas no município de Arapiraca/AL. “Temos uma cobertura de 99% da Estratégia Saúde da Família. E foi devido a isso, a essa Atenção Primária consolidada em nosso município que pensamos em fortalecer a APS para não parar o atendimento em nossas unidades e continuar mantendo-a como a primeira porta de entrada dos nossos usuários, mesmo em tempos de Covid-19,” explica a coordenadora municipal de Enfermagem, Lousanny Caires.

Desta forma, o plano de ação da Atenção Primária à Saúde para o enfrentamento da Covid-19 foi amplamente discutido com os profissionais da saúde e implementado como projeto piloto em uma UBS antes de expandir para 34 unidades de saúde do município. “Foram realizados treinamentos/capacitações para os profissionais da APS, treinamentos em oxigenoterapia, acolhimento, realização de testes rápidos. Foi implantada fast-track com alimentação digital o que permitiu o acompanhamento da dinâmica dos atendimentos que ocorriam nas UBS por meio  de publicação de boletins, implantado programa de telemonitoramento composto por profissionais da APS, e participação de ACS, odontólogos, profissionais do NASF no acolhimento nas UBS”, explica Lousanny Caires.

As atividades para reorganizar a APS abordaram os fluxos de manejo clínico da Covid-19, readequação do processo de trabalho da equipe multiprofissional, reestruturação da carteira de serviço e medidas de segurança ao  usuário e ao profissional de saúde. Houve remanejamento dos profissionais da Saúde Bucal, de agente comunitários de saúde e do  NASF para o setor de acolhimento, demandas administrativas, além do monitoramento de casos suspeitos e confirmados da Covid-19 com vistas a contribuir para a superação desse quadro emergencial. 

Para Lousanny Caires, a inovação está no processo de construção da estratégia. “Os próprios profissionais da APS interviram e puderam conhecer diferentes realidades ao visitar as diversas UBS facilitando o momento de troca e compartilhamento de experiências. Os profissionais tiveram o sentimento de pertencimento e foi visível a sua entrega e dedicação de cada um no processo. O outro ponto está no fortalecimento/construção da rede de atenção. Conseguimos ter um desenho de rede estabelecido constituindo uma linha de cuidado propriamente dita, ou seja, o usuário tinha a APS como porta de entrada e ordenadora do serviço, os profissionais da APS tinham o suporte da rede para a garantia da continuidade do cuidado”, explica Caires.

“Não foi fácil e nem está sendo fácil. Conseguimos perceber o potencial da APS, potencial da sua resposta. Mas por outro lado as fragilidades dos nossos sistemas foram escancaradas. Então, somos resolutivos, mas, para isso, precisamos de mais investimentos, de mais infraestrutura, mais qualificação profissional, de mais gestão em saúde. Sigamos forte nesse propósito por uma APS mais fortalecida”, ressalta Lousanny Caires.

Experiência

Adequar a ambiência da UBS para atendimento de casos suspeitos da covid-19. Organizar fluxos de manejo clinico da covid-19. Readequar o processo de trabalho da equipe multiprofissional. Reestruturar a carteira de serviço da atenção primaria frente a pandemia. Reduzir o risco de exposição do usuário e do profissional de saúde. Ampliar o acesso ao serviços de saúde.

Leia mais

Apresentação

Galeria de imagens

Crédito foto SMS Arapiraca