APSREDES

The Lancet reconhece avanços do programa brasileiro de atividade física

A prestigiosa revista médica britânica The Lancet, em edição recente (julho de 2012), publicou detalhada material sobre o programa Agita Brasil, voltado para a promoção da atividade física das pessoas, considerando ser o mesmo, além de bem sucedido nacionalmente, um bom exemplo a ser copiado por outras nações.

Algumas cidades brasileiras que adotaram o programa são citadas. Em Sorocaba-SP, por exemplo, depois de quatro anos de implantação de pistas de caminhada, parques e áreas de lazer diversas, registrou-se um decréscimo de internações hospitalares por hipertensão da ordem de 50%. Em Uberlândia-MG, as autoridades locais ampliaram significativamente os espaços para caminhadas, em locais variados, com abertura de novos parques, incluindo até mesmo um percurso pelo principal cemitério da cidade. Como comentou o articulista do The Lancet: “dessa maneira, as pessoas vão demorar bem mais a chegar até lá, comparando com meios normais…”. Em São Caetano do Sul, também em São Paulo, medidas semelhantes reduziram a taxa de sedentarismo na cidade de quase 10% para 2,7%, contribuindo, assim, para uma economia de 310 milhões de dólares por ano no estado de São Paulo, de acordo com estimativas do Banco Mundial.

Exemplo interessante veio do Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, onde um programa semelhante foi implantado para beneficiar os 2500 funcionários, com recomendação de 30 minutos diários de exercícios, divididos em duas ou três series de 15 ou 10 minutos. Isso permitiu que sedentários contumazes mudassem radicalmente seus hábitos de vida, de forma que 73 deles já vêm participando até mesmo de corridas de rua. O coordenador local do programa, Luis Porto, assegura: “são mudanças de estilos de vida, progressivas, passo a passo – mas ocorrem de fato”.

Aspecto importante do programa Agita Brasil é a diretriz que o importante é valorizar a autonomia dos usuários, recomendando-se que cada pessoa faça pelo menos meia hora por dia de atividade física moderada, em cinco dias da semana. Segundo um de seus coordenadores no estado de São Paulo, Timóteo Araujo, “o mais importante é que a atividade física seja sempre uma fonte de prazer e de alegria” – isso faz parte dos pressupostos do programa.

Como se sabe, a OMS tem atualmente entre suas políticas principais o encorajamento à atividade física. Estão em foco não apenas benefícios diretos do exercício, mas sua ampliação para situações corriqueiras, como, por exemplo, evitar os elevadores e deixar os carros estacionados um pouco mais longe do que o habitual. O pressuposto é que os hábitos saudáveis sempre trazem consigo outros hábitos saudáveis, aspecto confirmado por evidências mundiais.

Outro aspecto digno de nota no Agita Brasil é seu foco nas práticas esportivas. Na capital paulista, por exemplo, em abril último, ocorreu uma corrida de rua que teve cerca de 15 mil participantes, de todas as idades, muitas delas portando camisetas com a inscrição “Agita Mundo”. Também em São Paulo, foram realizada atividades de promoção que contaram com a presença de 200 mil professores e mais de quatro milhões de alunos, em cerca de 4500 escolas de todo o estado. O programa Agita Brasil tem sido recomendado pela OMS como referência na área, já tendo sido adotado por diversos países do mundo*.

Os leitores que desejarem maiores informações sobre o assunto podem acessar: The Lancet, Volume 380, Issue 9838, Page 206, 21 July 2012: Brazilian fitness programme registers health benefits.

*Matéria  produzida por Flávio Goulart para o Portal da Inovação na Gestão.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram