APSREDES

‘The Economist’ publica réplica da OPAS/OMS no Brasil sobre matéria do SUS

No dia 27 de agosto de 2011 o The Economistpublica resposta enviada pela OPAS/OMS Brasil à matéria intitulada “Uma Injeção de Realidade para o SUS”. A réplica enviada pela OPAS parte em defesa do SUS trazendo informações concretas e enaltecendo os excelentes resultados da APS e Saúde da Família, reconhecidos inclusive internacionalmente em periódicos científicos. Essa carta representa uma pequena conquista em prol do SUS e da sociedade brasileira.

 

No dia 30 de julho de 2011, o periódico inglês The Economist publicou uma matéria sobre o SUS intitulada Uma Injeção de realidade. A matéria trouxe críticas e recomendações, entoando a necessidade de reforma no setor saúde para garantir a qualidade da assistência. As críticas foram baseadas na eficiência do gasto em saúde, na gestão pública versus gestão privada, baixa cobertura da Estratégia Saúde da Família e falta de oferta de serviços de saúde a populações mais vulneráveis. Como recomendação, chama a atenção àquela que sugere que o “Estado deveria pagar por cuidados de alta tecnologia e de emergência para todos, mas deveria restringir a provisão de atenção primária àqueles que não podem pagar um plano de saúde”.

 

Preocupados com a repercussão internacional negativa do SUS no cenário internacional, a OPAS/OMS no Brasil fez uma carta de resposta ao The Economist fazendo um contraponto às críticas devido à falta de evidência científica de algumas afirmações e por estarem basicamente apoiadas por opiniões pessoais que refletem uma visão parcial do SUS. A réplica enviada pela OPAS em defesa do SUS foi publicada na edição de domingo 27 de agosto no The Economist, trazendo informações concretas e enaltecendo os excelentes resultados da APS e Saúde da Família, reconhecido inclusive internacionalmente em periódicos científicos.

 

Essa carta reflete uma posição institucional da OPAS/OMS Brasil, que acredita que a verdadeira injeção de realidade necessária ao sistema de saúde brasileiro é a continuidade da expansão da Atenção Primária, coordenando e sendo o centro das Redes de Atenção à Saúde, oferecendo serviços de saúde com qualidade e resolutividade da atenção.

 

Acesse a matéria do The Economist com a publicação da Carta da OPAS.

 

Conheça o histórico do processo:

 

Acesse a 1ª. matéria do The Economisttraduzida em português

The Economist_português

Acesse a matéria na íntegra publicada em inglês em 30/07/11

 

Veja a resposta enviada pela OPAS ao ‘The Economist’

Réplica Economist_português

Réplica Economist_inglês

 

Veja também a matéria publicada na folha.com

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram