Seminário Internacional – “O protagonismo da participação social no SUS faz a diferença contra a Covid-19”, diz Maria Almíron, da Opas

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) e a Organização Pan-americana da Saúde (Opas/OMS) no Brasil realizam nesta terça (23/11), o Seminário Internacional: o papel dos sistemas de saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19 e das desigualdades sociais. Para Maria Almíron, coordenadora da unidade de Vigilância, Preparação e Resposta a Emergências e Desastres, o trabalho em cooperação entre Opas e CNS para fortalece a participação social e a Saúde Pública.

O encontro virtual teve o objetivo de promover um diálogo com experiências internacionais sobre o papel dos sistemas de saúde no enfrentamento das desigualdades sociais, com atenção especial à proteção de populações em situação de vulnerabilidade. Fernando Pigatto, presidente do CNS, explicou que a atuação do Conselho foi reforçada em tempos de pandemia com a criação do Comitê de Acompanhamento à Covid-19 e diversas outras iniciativas e denúncias de violações do governo federal, que interferiram no Executivo, Legislativo e Judiciário.

“Temos uma atuação suprapartidária com objetivo de promover direitos seja em tempos de pandemia ou não. Lutamos pelo direito pleno à saúde para todos e todas conforme rege nossa Constituição de 1988”, afirmou. Além de atenção especial à população vulnerabilizada, que mais sofre com a atual crise sanitária, o presidente do CNS também destacou as próximas conferências participativas, fundamentais para o SUS.

“Vamos realizar em breve a 6ª Conferência Nacional de Saúde Indígena, que precisa ter sua data marcada. Temos a Conferência Nacional de Saúde Mental, que será realizada de 17 a 20 de maio de 2022. E a 17ª Conferência Nacional de Saúde, que será realizada de 2 a 5 de julho de 2023 e já está tendo suas atividades preparatórias realizadas”, disse.

Para Maria Almíron, que durante o debate substituiu a representante da Opas no Brasil, Socorro Gross Galiano, a participação social sobre os sistemas de saúde é fundamental. “Com o protagonismo da participação social no SUS, podemos fazer a diferença contra a Covid-19. Vamos continuar colaborando com o CNS através de um novo termo de cooperação. Incentivando projetos para fortalecimento da participação social no SUS”, garantiu.

Ela também destacou que as desigualdades sociais foram agravadas cm a pandemia e que é preciso investir na Atenção Primária para encontrar soluções diante da sobrecarga que o SUS viveu no último período.

Durante a manhã, o seminário seguiu com a mesa “Efeitos da pandemia de COVID-19 nas populações das Américas”, com o pesquisador Oscar Mujica, assessor do Departamento de Monitoramento de Equidade em Saúde da Opas/OMS. Em seguida, na mesa “Experiências internacionais de enfrentamento da pandemia com foco nas populações em situação de vulnerabilidade social”, Orielle Sollar, da Unidade de Determinantes Sociais da Saúde da Opas, apresentou o panorama das Américas sobre o tema.

Foto de capa: Márcio Pinheiro/Governo do Amapá

Fonte: Ascom CNS

 

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Comentários