APSREDES

Seminário discute a sustentabilidade da Saúde Suplementar

Planos de Saúde beneficiam 1,2 milhão de usuários com programas de promoção da saúde e de prevenção de riscos e doenças. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira (4/10), na abertura do Seminário Internacional “Inovações Assistenciais para a Sustentabilidade da Saúde Suplementar”, realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no Rio de Janeiro. “Em menos de um ano, após a publicação da Resolução Normativa 264, a ANS registrou 760 programas que promovem atividades voltadas para mudanças de hábitos de vida como a prática de atividade física, consumo de alimentos saudáveis, prevenção e controle da hipertensão, da diabetes, redução do tabagismo”, anunciaram o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e o diretor presidente da ANS, Maurício Ceschin.

O ministro Alexandre Padilha também ressaltou a importância da troca de conhecimento entre os setores público e privado para o enfrentamento das condições crônicas não transmissíveis, responsável por 70% das mortes no Brasil. “Os planos de saúde, que atendem 50 milhões de brasileiros, têm muito que aprender com a saúde pública, especialmente, no que diz respeito à promoção da saúde e à prevenção de doenças, assim como a saúde pública pode melhorar muito com a experiência da iniciativa privada, como a organização de sistemas de informação sobre o usuário”, destacou.

Participaram da mesa de abertura o gerente da área de Sistemas de Saúde da OPAS Brasil, Felix Rígoli, que apresentou o Laboratório de Inovação na Saúde Suplementar  e o secretário da Associação Médica Brasileira, Antônio Jorge Salomão.

Palestra magna – Cerca de 500 participantes também conheceram a proposta de abordagem para empresas promoverem ações de promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças em ambientes de trabalho, desenvolvida pelo editor-chefe do American Journal of Health Promotion, Michael O’Donnell. Ele apresentou seu trabalho científico que propõe a mudança de comportamento por meio do desenvolvimento de quatro estratégias: consciência, motivação, habilidades e oportunidades, com pesos diferenciados entre elas.
Segundo ele, o modelo foi incorporado na reforma do sistema de saúde dos Estados Unidos e por grandes empresas como o Google. “Entre as recomendações está a adoção de incentivos financeiros para motivar a mudança de comportamento”, defendeu Michael O’Donnell. “Criar oportunidades que promovam a mudança de comportamento também é muito importante. Não é suficiente uma empresa oferecer uma excelente sala de ginástica se não incentivar o hábito de utilização de escadas, por exemplo. A mudança na cultura empresarial deve compreender a pessoa na sua integralidade”, ressaltou.

Publicações – Seis publicações elaboradas pela ANS, OPAS e Associação Médica Brasileira (AMB) foram apresentadas para o público, são elas: Vigitel Saúde Suplementar 2011, Plano de Melhoria da Saúde, Diretrizes Clínicas 2012, Laboratório de Inovação na Saúde Suplementar, Plano de Cuidado do Idoso e Mapa Assistencial.

Abaixo um breve relato das publicações com link para download:

Vigitel Saúde Suplementar 2011
O Vigitel, implantado em 2006, visa monitorar os principais fatores determinantes e condicionantes das Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT) no Brasil. Esta publicação analisa os resultados do sexto ano de operação (2011) do Vigitel, e da sequência ao Vigitel Saúde Suplementar publicado em 2008, na análise da frequência e distribuição dos principais fatores de risco e proteção das doenças crônicas na população de beneficiários de planos privados de saúde.

 

 

 

Plano de Melhoria da Saúde

O Plano de Melhoria da Saúde da World Health Professions Alliance (WHPA), traduzido e adaptado pela Associação Médica Brasileira (AMB), é um cartão de pontuação sobre saúde com orientações explicativas para indivíduos e profissionais da área.O plano possui como foco principal a redução da incidência de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) em todo o mundo. Uma ferramenta que permite a auto-avaliação e o monitoramento dos fatores de risco relacionados ao estilo de vida.

 

 

Diretrizes Clínicas 2012

A parceria entre a ANS e AMB traz como inovação o alinhamento dos processos de trabalho relacionados às práticas e princípios da medicina baseada em evidência e avaliação de tecnologias em saúde, do raciocínio crítico e analítico para a elaboração e implementação de uma política de cobertura dotada de princípios e objetivos que viabilizem uma assistência à saúde de qualidade. Nesta nova versão será possível conhecer as Diretrizes Clínicas relacionadas a condições atuais e frequentemente discutidas na prática médica diária e entre os atores do sistema de saúde, como o uso de banda gástrica no tratamento da obesidade mórbida, o escore de cálcio coronariano na doença coronariana, a mastectomia profilática ou a embolização da artéria uterina.

 

Laboratório de Inovação na Saúde Suplementar

Esta publicação apresenta o produto de desenvolvimento da primeira fase do Laboratório de Inovação na Saúde Suplementar, uma parceria para cooperação técnica entre a Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS e a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS. O Laboratório de Inovação na Saúde Suplementar tem por objetivo identificar e compartilhar experiências significativas de inovação nas práticas de gestão assistencial das operadoras de planos privados de saúde, resgatando e analisando os processos, ferramentas e instrumentos desenvolvidos, permitindo transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito e disponibilizando à sociedade, ao setor suplementar e à outros atores interessados, o acesso a essas valiosas informações.

 

Plano de Cuidado do Idoso

A Agenda Regulatória, proposta para o período 2011-2012 estabeleceu a saúde dos idosos como um dos eixos estratégicos para a atuação da ANS. As especificidades da assistência à saúde dos idosos representam ao mesmo tempo um desafio e uma oportunidade para a organização e estruturação dos sistemas de saúde. O envelhecimento populacional engendra o desafio de mudar a organização do sistema de saúde suplementar para que o mesmo possa atender com qualidade e de forma integral. Com esse pano de fundo, o plano de cuidado para a assistência à saúde dos idosos foi selecionado como projeto piloto. Com as mudanças demográficas e epidemiológicas em curso, a alteração do modelo assistencial se tornou um imperativo para a sustentabilidade do setor de saúde suplementar.

 

Mapa Assistencial

O Mapa Assistencial apresenta um conjunto de informações assistenciais inéditas do setor de saúde
suplementar em 2011. O objetivo é contribuir para o exercício da observação crítica dos dados e permitir uma análise das tendências e comportamentos do mercado. Representa um marco na evolução, monitoramento e uso de informações na saúde suplementar como ferramenta para a qualificação da gestão à assistência.

 

 

Vanessa Borges
Portal da Inovação em Saúde

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram