APSREDES

Resposta integrada em Cajamar/SP

Captura-de-Tela-2020-08-15-às-13.36.50

Autor: Juliana Alves Balbino

A SMS Cajamar/SP apostou na APS como coordenadora da rede de atenção na resposta à Covid-19. Foram feitas pactuações com cada ponto da rede local de saúde para definir os papéis na assistência aos pacientes e assegurar a adoção de fluxos de informação e de comunicação, visando qualificar o cuidado dos usuários com Covid-19. Cajamar possui 10 Unidades Básicas de Saúde (19 equipes de APS, sendo 14 ESBucal) para uma população de quase 77 mil habitantes.

Para monitorar a resposta à pandemia, a coordenação da APS no município utilizou ferramentas administrativas, como o ciclo DMAIC (definir, medir, analisar, melhorar e controlar) e promoveu reuniões sistemáticas com os gestores da rede. “A APS assumiu o protagonismo, cuidando dos profissionais e também se responsabilizando com o cuidado da população, para não perder o vínculo”, explica a coordenadora da APS da SMS Cajamar, Juliana Balbino.

“Mantivemos as ofertas de consultas mensais, com a realização de 20 mil consultas em julho. Fizemos visitas domiciliares para a vacinação contra a Influenza (H1N1) no público de risco para Covid-19. E utilizamos o agendamento por telefone das consultas presenciais, intercalando horários para evitar aglomeração e circulação na cidade”, explicou Balbino.

Segunda a coordenadora da APS, todas as unidades básicas de saúde funcionam no município, disponibilizando espaços para triagem dos pacientes e áreas de isolamento para casos suspeitos e confirmados de Covid-19. A continuidade do cuidado dos usuários com condições crônicas também foi garantido, porém com o uso de tecnologia de comunicação à distancia. “Mantivemos o atendimento programático das UBS. Os pacientes crônicos foram assistidos por meio da telemedicina”, explicou Juliana Balbino. “A atenção especializada teve fator preponderante dentro da APS porque contribuiu com profissionais médicos para que a APS continuasse a assistência via teleatendimento”, explica.

“A APS precisa de ter parceiros, a gente precisa amarrar a rede, utilizar os espaços colegiados, integrar os profissionais que fazem o planejamento das ações de vigilância, das especialidades”, reforça Balbino. Outro ponto importante na resposta à Covid-19 em Cajamar foi a parceria com a assistência social e a educação. “A população de rua recebeu testes rápidos para Dengue e Covid-19, dentro dos espaços montados pela prefeitura para estadia, alimentação e higiene”, conta Balbino.

“O nosso pico de internação ocorreu quando fizemos busca ativa de casos de Covid-19 nas casas de longa permanência de idosos”, apontou a coordenadora. Pra ela, a lição aprendida na resposta à Covid-19 passa pela integração dos profissionais e da rede e pela intensificação do uso da telemedicina. “No pós-Covid vamos intensificar o uso da telemedicina e da educação permanente in loco. É muito importante essa troca”, resume Balbino. “A APS virou multidisciplinar, não é mais cada profissional no seu quadrado. A APS não é básica, é complexa. A APS é amor, é uma tradução de entrega, é vínculo, está no acesso e coordena todo o cuidado do paciente”, finaliza Juliana Balbino.

 

Desejo dos profissionais da APS de Cajamar para após pandemia

APS FORTE - APS no centro da coordenação do cuidado frente à Covid-19 em Cajamar/SP

APS Cajamar

Assista ao vídeo completo do Debate

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram