Procedimento Operacional Padrão (POP) para as Instituições de Longa Permanência de Idosos (Ilpis) relacionado à COVID-19, em Porto Alegre (RS)

Procedimento Operacional Padrão (POP) para as Instituições de Longa Permanência de Idosos (Ilpis) relacionado à COVID-19, em Porto Alegre (RS)

Cuidado em Instituições de longa permanência de idosos na COVID-19, em Porto Alegre (RS)

O checklist aborda medidas comportamentais e físicas a serem adotadas imediatamente pelas ILPI

A Central de Monitoramento da Covid-19 das Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) em Porto Alegre foi criada em abril de 2020, quando as informações apontavam o público de idoso como de maior risco para desfechos negativos pela doença. “A principal ação da equipe era a identificação de casos suspeitos para ativar as equipes envolvidas na resposta. Foram mais de 5.000 testes realizados pela APS nesses estabelecimentos”, explica Diane Moreira do Nascimento, diretora da Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre.

Para padronizar este trabalho, a diretoria-geral da APS de Porto Alegre (RS) colocou em prática o Procedimento Operacional Padrão  (POP) para as ILPIs relacionadas à Covid-19. “O fluxo do POP que foi elaborado se dava a partir de casos suspeito com pelo menos um dos sintomas gripais. Então, essa ocorrência era comunicada por Whatsapp para a Central de Monitoramento e, em seguida, realizada a notificação do caso para a realização do teste do morador ou profissional de ILPI. Se confirmado o diagnóstico de Covid-19, todos os residentes e profissionais da instituição eram notificados e testados. Daí, o surto passava a ser monitorado de perto pela Central”, explica Flavia Kimura Okamoto, sanitarista residente da diretoria de APS de Porto Alegre.

“Em 2020, a Central de Monitoramento conseguiu acompanhar 199 ILPIs em Porto Alegre. Em 121 ILPI foram registrados surtos de Covid-19 e registrados 161 óbitos de moradores, do total de 5.288 pessoas monitoradas”, aponta Paula Martina Nunes, enfermeira e assessora de gestão da diretoria de APS de Porto Alegre à época da implantação da experiência. Ao todo, a experiência envolveu as 141 Unidades Básicas de Saúde da capital.

O POP instituiu para as equipes das UBS instrumentos de monitoramento,  como o checklist do estabelecimento e o registro dos atendimentos no sistema de gerenciamento de consultas (GERCON) que reúne os prontuários eletrônicos dos usuários. Cada instituição de ILPI recebeu as recomendações contidas no POP (Procedimento Operacional Padrão) e adaptou-se aos procedimentos sugeridos de acordo com a sua realidade.

O checklist aborda medidas comportamentais e físicas a serem adotadas imediatamente pela instituição, como por exemplo: implementação de rotina de higiene; orientações para a entrada de visitantes; restrição de atividades coletivas; aferição de temperatura e de sintomas respiratórios duas vezes ao dia nos profissionais responsáveis; local de isolamento para os sintomáticos respiratórios; acionar um  profissional na instituição responsável pelo contato com a UBS; manutenção dos ambientes arejados, entre outras.

“A principal ação da equipe era a identificação de casos suspeitos para ativar as equipes envolvidas na resposta. Foram mais de 5.000 testes realizados pela equipe da APS”, aponta Diane Moreira do Nascimento

Experiência

Identificação precoce e manejo eficaz de residentes em ILPIs com suspeita de COVID-19; – Orientações para visitantes e equipe de trabalho.

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA AS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA DE IDOSOS NA COVID-19

Documento

[embeddoc url="https://apsredes.org/wp-content/uploads/2020/07/POP-e-checklist-ilpi-3ed-09.06.20.pdf" width="550px" height="700px" download="none" viewer="adobe"]

Galeria de imagens

Créditos SMS Porto Alegre