Prêmio APSForte no SUS recebe 1.151 inscrições de experiências

Profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) do país mostram protagonismo ao responder o chamado da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil e do Ministério da Saúde, enviando 1.151 relatos de experiências para o Prêmio APS Forte no SUS – integralidade no cuidado (3ª Edição). Todas as regiões do país participam da inciativa, com destaque para o Sudeste (32 % – 365), seguido pelo Nordeste (29% – 336), Sul (22% – 253), Centro-Oeste (10% – 114)  e Norte (7% – 83). “Para a OPAS Brasil é gratificante reunir tanto conhecimento de profissionais de saúde da Atenção Primária, que ofertam várias ações e serviços de saúde e ao mesmo tempo enfrentam a Covid-19”, ressalta o coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços de Saúde da OPAS/OMS no Brasil, Roberto Tapia.

 

As inscrições ocorreram no período de 23 de novembro a 31 de dezembro de 2021, no site da iniciativa. O Estado com maior número de inscrição foi São Paulo (148), seguido pelo Ceará (134) e Minas Gerais (103). O prêmio foi organizado em quatro eixos temáticos, sendo que o mais concorrido foi o Eixo 1 – Organização dos serviços de APS para o atendimento integral, com 562 relatos de experiências, onde a linha temática sobre ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19 recebeu 220 relatos. Os outros três eixos são: Eixo 2 – Integralidade e Equidade, com registro de 277 inscrições; Eixo 3 – Atenção Integral nos Ciclos de Vida, com 224 relatos de experiências; e Eixo 4 – Promoção da Saúde, com 88 práticas inscritas.

A iniciativa tem como principal objetivo identificar, reconhecer e divulgar boas práticas produzidas pela APS do Sistema Único de Saúde (SUS), sistematizando processos e transformando o conhecimento tácito em explícito. As práticas selecionadas pelo prêmio devem promover a melhoria do acesso da população, sempre priorizando e reforçando o papel da APS como porta de entrada prioritária e coordenadora da atenção no sistema de saúde.

Comissão avaliadora

Na quarta-feira passada (05/01), a comissão avaliadora integrada por representantes do Conass, Conasems, OPAS, Ministério da Saúde e especialistas da área se reuniu para discutir o instrumento de avaliação (Barema), elaborado a partir do edital. Cada experiência será avaliada por pares. Para cada Eixo, poderão ser classificadas para a 2ª Etapa de Avaliação até 10 experiências em ordem decrescente de nota, com intervalo de 0 a 10. Dessa 2ª Etapa, um comitê vai selecionar até cinco experiências por Eixo para serem as finalistas. Sendo, por fim, selecionadas apenas uma experiência por Eixo, através de um júri composto por formadores de opinião, para serem premiadas com a viagem internacional, além das práticas serem publicadas na série técnica NavegadorSUS.

As experiências com potencial inovador desta edição vão compor ainda um mosaico de experiências sobre a atenção integral à saúde dentro de uma perspectiva de APS forte e resolutiva. Algumas experiências classificadas  serão convidadas a participar de encontros virtuais para compartilhar o aprendizado entre os profissionais da área, com transmissão online no Portal da Inovação na Gestão do SUS (www.apsredes.org).

A avaliação das 1.151 experiências começará a partir do próximo dia 10 de janeiro. Devido a alteração no período de inscrição, todo o cronograma está sendo ajustado e logo será divulgado na página da iniciativa – https://apsredes.org/apsforte2021/

Quadro 1 – Quantitativo por linha temática

Linha temática Nº Exp. Linha Tem.
1.1 – Ações de enfrentamento da pandemia de COVID-19 220
1.2 – Ampliação do acesso aos serviços de APS. 189
1.3 – Organização da Rede de Atenção à Saúde Bucal. 58
1.4 – Uso das Práticas Integrativas e Complementares. 95
2.1 – Organização dos serviços de APS para o acolhimento e atendimento das populações em situação de vulnerabilidade. 59
2.2 – Ações e estratégias de acolhimento às populações em minoria. 32
2.3 – Integração da APS com o território. 100
2.4 – Ações de Saúde Mental. 86
3.1 – Atenção Integral da Saúde da Criança. 65
3.2 – Atenção Integral da Saúde dos Adolescentes e Jovens. 22
3.3 – Atenção Integral da Saúde da Mulher. 80
3.4 – Atenção Integral da Saúde do Homem. 20
3.5 – Atenção Integral da Saúde da Pessoa Idosa. 37
4.1 – Alimentação Adequada e Saudável. 33
4.2 – Atividades Físicas. 30
4.3 – Enfrentamento do Uso do Tabaco e seus Derivados. 16
4.4 – Enfrentamento do Uso Abusivo de Álcool e outras Drogas. 9

Fonte – Ministério da Saúde/SAPS/eventos

 

Quadro 2 – Quantitativo por estado/região

 

UF Estado Nº Exp. Estado Região  Exp. Região
DF DISTRITO FEDERAL 26 CENTRO-OESTE 114 – 9,90%
GO GOIÁS 23
MS MATO GROSSO DO SUL 25
MT MATO GROSSO 40
AL ALAGOAS 15 NORDESTE 336 – 29,19%
BA BAHIA 37
CE CEARÁ 134
MA MARANHÃO 22
PB PARAÍBA 23
PE PERNAMBUCO 60
PI PIAUÍ 19
RN RIO GRANDE DO NORTE 10
SE SERGIPE 16
AC ACRE 0 NORTE 83 – 7,21%
AM AMAZONAS 29
AP AMAPÁ 5
PA PARÁ 37
RO RONDÔNIA 1
RR RORAIMA 5
TO TOCANTINS 6
ES ESPÍRITO SANTO 52 SUDESTE 365 – 31,71%
MG MINAS GERAIS 107
RJ RIO DE JANEIRO 58
SP SÃO PAULO 148
PR PARANÁ 73 SUL 253 – 21,98%
RS RIO GRANDE DO SUL 82
SC SANTA CATARINA 98

 

Fonte – Ministério da Saúde/SAPS/eventos

 

 

 

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Comentários