Plano de Monitoramento Intensivo da População Idosa e Portadores de Doenças Crônicas na APS referente à Covid-19 – Acre

Plano de Monitoramento Intensivo da População Idosa e Portadores de Doenças Crônicas na APS referente à Covid-19 – Acre

#APS Forte no ACRE

A Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre), logo que declarada a pandemia por COVI19 em 2020, implantou junto a municípios, o Plano de Monitoramento Intensivo da População Idosa e Portadores de Doenças Crônicas na Atenção Primária à Saúde (APS), visando reduzir a incidência de transmissão, internações e óbitos pela nova doença.

Logo que declarada a pandemia por Covid-19 em 2020, a Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) implantou o Plano de Monitoramento Intensivo da População Idosa e Portadores de Doenças Crônicas na Atenção Primária à Saúde (APS),  visando reduzir a incidência de transmissão, internações e óbitos pela nova doença. O plano contempla três eixos (Manejo Clínico, Isolamento Domiciliar e Educação em Saúde) e contou com a adesão de 11 municípios acreanos (Acrelândia, Bujari, Brasileia, Capixaba, Feijó, Manoel Urbano, Porto Acre, Plácido de Castro, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Tarauacá), no período de março a outubro de 2020. 

A iniciativa do Departamento de Atenção Primária Políticas e Programas Estratégicos (Dape), órgão da Sesacre, potencializou o trabalho dos agentes comunitários de saúde e de endemias promovendo a visita domiciliar com utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e acompanhamento dos casos confirmados de Covid-19 por meio de sistema de informação especialmente desenvolvido para o monitoramento da pandemia na APS e callcenter.

O biólogo Luiz Marinho, responsável pela implantação do Plano de Monitoramento na Sesacre na época, conta que o perfil das internações e óbitos registrados por Covid-19 no estado motivou a implantação do projeto.   “Tudo é combatível e prevenível pela APS. Enquanto que a atenção estava na média e alta complexidade assistencial, nós criamos o Plano de Monitoramento para que, junto com as secretarias municipais, pudéssemos intervir dentro das suas microareas por meio dos ACS. Nós montamos um sistema integrado com fichas específicas e levamos essa estratégia para a ponta”, relata Marinho.

As Secretarias Municipais de Saúde participantes utilizaram um formulário Google como sistema de informação on-line, para registro de dados necessários para a realização de identificação de sintomas e monitoramento dos usuários pertencentes aos grupos prioritários identificados pelas equipes de Saúde da Família. Para não sobrecarregar a equipe responsável pelo monitoramento presencial e telefônico, foram destacados outros servidores para inserção dos dados no sistema de informação.

“Por meio da ficha de notificação elaborada pela nossa APS no Estado conseguimos identificar a pessoa idosa do município. O banco de dados, além de consolidar todas as informações, serviu para subsidiar a tomada de decisão a partir do monitoramento dos casos de Covid-19, por meio do callcenter”, explica Wendel Silva, biólogo e coautor da experiência.

Para a secretária de saúde de Sena de Madureira, Nildete Silva, o plano contribuiu com o serviço de saúde durante a pandemia ao rastrear e monitorar as pessoas suspeitas com Covid-19. “Os ACS vão até a residência de idosos e de doentes crônicos para que sejam monitorados pelas equipes de saúde. Os ACS têm papel fundamental pois são eles que identificam e rastreiam esses idosos para que a equipe consiga monitorar”, observa.

Em Bujari, o plano de monitoramento evitou aglomeração do público prioritário nas UBS, por meio da realização de visitas domiciliares. Para os gestores da SMS de Bujari, Fernanda Santos de Menezes e Joanderson Pereira, os agentes comunitários de saúde, juntamente com a Equipe Saúde da Família, possibilitaram o acompanhamento dos pacientes com condições crônicas em casa, diminuindo o fluxo nas UBS, evitando a transmissão do coronavírus.   

“Com o Plano de Monitoramento foi possível oferecer melhor acompanhamento para as pessoas do grupo prioritário
nos municípios.” Luiz Marinho, ex-gestor da Sesacre

Experiência

Reduzir em 50% a incidência de contaminação, internações e óbitos das pessoas Idosas e com condições Crônicas.

APS em Sena Madureira

Em Sena Madureira, o Plano de Monitoramento priorizou as visitas domiciliares realizadas pelos agentes comunitários de saúde para identificar os pacientes com sintomas de Covid-19.

SMS Sena Madureira / Acre - adesão ao plano de monitoramento da Sesacre

O agente comunitário de saúde Maquilene de Sá explica o trabalho realizado pela equipe para identificar possíveis casos de Covid-19.

APS em Bujari

Fernanda de Menezes e Joandeson Pereira, explicam sobre o papel dos agentes comunitários de saúde para evitar aglomeração nas UBS.

Apresentação