OPAS Brasil apresenta Laboratório de Inovação em Saúde em seminário internacional

Captura de Tela 2021-03-11 às 19.59.07

O Laboratório de Inovação em Saúde em Atenção Primária à Saúde (APS) e a iniciativa APSForte no combate à COVID19, ambas promovidas pela Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS/OMS Brasil), foram apresentadas no seminário internacional “Experiências significativas e Prácticas destacadas en Derecho a la Salud y Humanización del Trato en la Atención Primaria de Salud”, realizado de forma virtual nesta quinta-feira (11/03), na cidade El Bosque, na região metropolitana de Santiago, no Chile. Na oportunidade, foi realizado um balanço do Laboratorio de Innovación Social en Derecho a la Salud y Humanizacion del Trato (LABDSAL) e o reconhecimento de 15 experiências locais da região metropolitana da capital chilena.

Participam do LABDSAL, experiências das cidades que integram a Associação dos Municípios das Cidades do Sul correspondentes a Cerrillos, El Bosque, La Granja, Lo Espejo, Pedro Aguirre Cerda, San Ramón e San Joaquín, com adesão posterior de La Pintana e San Bernardo. Ao todo, o LABDSAL conta com mais de 40 experiências significativas desenvolvidas a nível local que materializam o direito à saúde e a humanização do tratamento, especialmente, no contexto da pandemia. A iniciativa chilena conta com o apoio da OPAS/OMS e do Instituto Nacional de Direitos Humanos do Chile e é desenvolvido pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Santiago de Chile juntamente com as referidas autoridades locais.

Experiência brasileira

A convite do escritório da OPAS/OMS no Chile, a coordenadora de Sistemas e Serviços de Saúde e de Capacidades Humanas em Saúde da Representação da OPAS no Brasil, Monica Padilla, apresentou a metodologia utilizada pelos Laboratórios de Inovação em APS no Brasil. “Desde 2011, a OPAS Brasil promove Laboratórios de Inovação, que identificaram e sistematizaram 182 experiências exitosas em várias temáticas de saúde, como na APS, na participação social, na atenção à saúde para populações vulneráveis”, explicou Padilla. A iniciativa APS Forte no combate à pandemia de COVID19, que promove o intercâmbio de experiências entre os gestores e profissionais de saúde da APS no Brasil desde o ano passado, também foi apresentada. “Em conjunto com o Ministério da Saúde do Brasil, recebemos mais de 1.600 relatos da APS brasileira sobre a reorganização dos serviços para enfrentar a pandemia. Realizamos o intercâmbio de conhecimentos entre gestores e profissionais de saúde para potencializar a resposta do setor saúde”, pontuou Padilla.

Fernando Leanes, representante da OPAS/OMS no Chile, que participou da abertura do seminário, ressaltou a importância do SUS brasileiro como referência para todos os países da Região e sobre o aprendizado por meio do intercâmbio de experiências. “Há 42 anos, a Unicef e a Organização Mundial da Saúde realizaram a Conferência de Alma Ata onde se acordou que a APS é o caminho para a saúde universal. Na ocasião, foram apresentadas certas experiências de nível local de organização da APS. O LABDSAL traz essa reflexão sobre a importância de compartilhar experiências”, disse Leanes. Mario Cruz-Peñate, coordenador de Sistemas de Serviços em Saúde da OPAS/OMS no Chile, ressaltou que o primeiro nível de atenção é essencial para a garantia dos direitos à saúde.

Balanço das atividades do LABDSAL

O coordenador técnico do Laboratorio de Innovación en Derecho a la Salud y Humanización de Trato (LABDSAL), Anselmo Cancino, fez um balanço da iniciativa lançada em novembro de 2020. “O LADBSAL avançou muito em pouco tempo. Criamos uma plataforma que reúne a academia, a sociedade civil e diversos atores estratégicos, onde levamos informação-chave das práticas identificadas pela iniciativa”, observa Cancino. “Contribuímos para a formação de uma rede de colaboradores nacionais de saúde pública, abordando temáticas como saúde infantil, saúde mental, participação social, entre outras. Contamos também com o apoio de referências internacionais no Equador, na cidade de Guarulhos-SP/Brasil, Argentina, Colômbia”, explica.

Entre os objetivos do LABDSAL está o reconhecimento do trabalho em rede e o fortalecimento do papel estratégico que possuem as equipes de saúde e, principalmente, os serviços de APS, para responder às necessidades da população. A plataforma de trabalho desenvolvida pelo LABDSAL permite a identificação, sistematização e divulgação de informações relevantes sobre experiências significativas de ação local / territorial que, de acordo com os padrões nacionais e internacionais, avançam no exercício do direito à saúde e humanização do tratamento.

Para o especialista do Banco Interamericano de Desenvolvimento no Chile, Pablo Angelelli, é essencial a continuidade dos trabalhos do LABDSAL no contexto da pandemia de COVID19. “É importante criar um vínculo entre a população e os serviços de APS, melhorando a comunicação em uma perspectiva mais participativa”, refletiu. A médica Jessica Alfaro, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Santiago ressaltou o caráter permanente das alianças exitosas realizadas entre os participantes do LABDSAL. “Nosso compromisso é com o direito a saúde. Essas experiências locais mostram caminhos enriquecedores para avançar nesse tema”, disse.

Plataforma do Laboratorio de Innovación en Derecho a la Salud y Humanización de Trato – www.apshumanizada.org.

Assista ao seminário internacional – https://www.youtube.com/watch?v=u4_ymOTJzHE&t=4728s

 

 

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Comentários