APSREDES

O sistema de saúde argentino e sua trajetória de longo prazo: conquistas alcançadas e desafios futuros

Representantes da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS / OMS) e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) lançaram em dezembro passado, em Buenos Aires, um relatório sobre as conquistas alcançadas e desafios a serem enfrentados pelo sistema de saúde argentino para assegurar o acesso igualitário aos serviços de saúde. O relatório destaca as mudanças no perfil epidemiológico da Argentina, a organização e a cobertura do sistema de saúde e os gastos em saúde.

 

A publicação “O sistema de saúde argentino e sua trajetória a longo prazo: conquistas alcançadas e desafios futuros” é a sexta publicação da série “Aportes para el Desarrollo Humano”. “O relatório tem a intenção de gerar discussões e reflexões sobre os avanços conquistados e os desafios pendentes”, afirma o representante residente do PNUD na Argentina, Martín Santiago Herrero.

 

Segundo Herrero, “a saúde é um elemento fundamental do desenvolvimento humano”. Ele ressaltou a classificação da Argentina em relação ao Índice de Desenvolvimento Humano, que ocupa a 45a. posição, equivalente ao grupo de países com alto desenvolvimento humano. “A saúde não é uma dimensão isolada, mas um componente central do progresso das nossas sociedades”, afirma Herrero.

 

O representante da OPAS/OMS na Argentina, Pier Paolo Balladelli, concorda em afirmar que “a saúde é um motor de desenvolvimento” e disse que o relatório “é mais uma contribuição a mais para a discussão sobre o sistema de saúde na Argentina, uma análise lúcida que contribui para o diálogo no setor visando alcançar uma boa harmonização e coordenação.”

 

“O foco é reduzir a segmentação e a iniquidade em saúde, as lacunas entre as províncias deste país federal e estamos comprometidos, cada um no seu papel e funções, a contribuir para esse fim. Um sistema de saúde com acesso de qualidade é a contribuição do setor saúde que, junto com os determinantes sociais da saúde, contribui para o bem-estar e a saúde da população da Argentina”, observa Balladelli.

 

Por sua vez, o coordenador de pesquisa da publicação e ex-pesquisador da Cepal, Oscar Cetrangolo, disse que o documento “tem a intenção de dar uma sinalização do caminho para alcançar uma cobertura de saúde uniforme, de qualidade e seguindo a trajetória passada.” Ele destacou ” uma impressionante progressiva melhora nas condições de vida nos últimos 145 anos.”

 

Acesse aqui o relatório completo.

 

Vanessa Borges com informações do portal da OPAS Argentina

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram