Novo plano da OPAS busca reduzir déficit de quase 800 mil trabalhadores de saúde na região das Américas

26 de setembro de 2018 – Autoridades da saúde das Américas acordaram nesta terça-feira (25) um novo plano para reduzir o déficit de 800 mil trabalhadores de saúde para atender às necessidades atuais dos sistemas de saúde da região. O acordo foi fechado durante o 56º Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Plano de ação sobre recursos humanos para o acesso universal à saúde e cobertura universal de saúde 2018-2023 marca o caminho para que os países tenham os recursos humanos necessários para atingir a meta mundial de saúde universal até 2030. A iniciativa também visa melhorar a distribuição geográfica e habilidades dos profissionais para chegar a todas as pessoas, em todos os lugares.

“Os trabalhadores de saúde são a pedra fundamental dos sistemas de saúde e seu déficit é um dos obstáculos significativos para alcançar progressos em matéria de saúde”, afirmou a diretora da OPAS, Carissa F. Etienne. “O plano aprovado oferece um mapa para combater a escassez de pessoal, mas também para conseguir sua distribuição equitativa e melhorar sua qualidade profissional”, acrescentou.

O plano oferece diretrizes para os países desenvolverem suas políticas e planos de recursos humanos para a saúde. Propõe-se fortalecer e consolidar a governança e a liderança dos ministérios da saúde para que possam prever suas atuais e futuras necessidades para os profissionais de saúde e formular e implementar estratégias de longo prazo.

O documento também estabelece a necessidade de maiores investimentos públicos em saúde, bem como melhorias nas oportunidades de empregos e condições de trabalho oferecidos, especialmente no primeiro nível de atenção e nas áreas rurais e subatendidas.

Além disso, o plano também busca ampliar o acesso à atenção, melhorando a organização do sistema de saúde e suas condições de trabalho por meio de políticas destinadas a reter os trabalhadores e lhes oferecer incentivos. Essa medida também ajudará a enfrentar a alta migração de pessoa de saúde que afeta especialmente os países do Caribe.

Outro eixo do plano é fortalecer as capacidades e habilidades dos recursos humanos por meio da educação continuada, uma vez que os profissionais de saúde geralmente não possuem as habilidades, competências e treinamento necessários para trabalhar com a abordagem intercultural e de gênero que a população precisa.

Finalmente, o documento propõe que sejam alcançados acordos com o setor de educação para capacitar profissionais de acordo com as necessidades dos sistemas de saúde. Propõe que os sistemas de acreditação acadêmica considerem as competências científicas e técnicas, mas também as sociais, e apela para o desenvolvimento de planos de formação para especialidades prioritárias, incluindo o aumento do número de especialistas atribuídos à saúde familiar e comunitária.

Recomendações para reduzir inequidades nas Américas

A Comissão da OPAS sobre Equidade e Desigualdades em Saúde nas Américas apresentou nesta terça-feira (25) uma versão preliminar de seu relatório final com 12 recomendações para que os países da região possam reduzir as inequidades e desigualdades em saúde. Essas orientações têm base em objetivos prioritários e medidas concretas que devem ser adotadas para:

  • Alcançar a equidade nas estruturas políticas, sociais, culturais e econômicas;
  • Proteger o ambiente natural, mitigar os efeitos das mudanças climáticas e respeitar as relações com a terra;
  • Reconhecer e revertes o impacto do colonialismo e do racismo estrutural persistentes na equidade em saúde;
  • Oferecer equidade desde o início: nos primeiros anos de vida e na educação;
  • Trabalho digno;
  • Vida digna para pessoas idosas;
  • Renda e proteção social;
  • Reduzir a violência para alcançar a equidade em saúde;
  • Melhorar o meio ambiente e as condições habitacionais;
  • Sistemas de saúde equitativos;
  • Mecanismos de governança para a equidade em saúde;
  • Exercício e proteção dos direitos humanos.

###

O Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde reúne ministros da Saúde e delegados de alto nível dos países membros da OPAS/OMS em Washington, Estados Unidos, para debater e analisar políticas de saúde regionais e fixar prioridades de cooperação técnica e de colaboração entre países.

Links relacionados

Progresso para acabar com a tuberculose nas Américas deve ser acelerado, afirma novo relatório da OPAS

Ministros da Saúde das Américas fazem acordo para fortalecer ações de prevenção às doenças transmitidas por vetores

Presidente uruguaio pioneiro no controle do tabaco é nomeado Herói da Saúde Pública nas Américas

Relatório Anual da Diretora da OPAS: ajudando os países a construir sistemas de saúde baseados na atenção primária à saúde

Ministros se reúnem na OPAS para abordar prioridades de saúde das Américas