APSREDES

Modelos assistenciais e condições crônicas na saúde suplementar são temas de seminário da ANS.

ANS promove seminário com profissionais e operadoras de planos de saúde sobre programas de prevenção, promoção da saúde e envelhecimento ativo. Posterior ao evento foi realizada uma oficina sobre gestão de condições crônicas na saúde suplementar que dera início a um Laboratório de Inovações sobre o tema coordenado pela OPAS e ANS.

 

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) reuniu operadoras de todo o Brasil no Seminário para Construção de Modelos Assistenciais – Oficinas de Promoção de Saúde e Prevenção de Riscos e Doenças, Envelhecimento Ativo e Diretrizes Clínicas, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), no Rio de Janeiro, em 17 de novembro.

 

“A partir das profundas transformações no perfil da população brasileira, a discussão dos modelos assistenciais ganha ainda mais relevância”, defendeu Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Serviços de Saúde da OPAS Brasil, na abertura do evento. Segundo a gerente-geral de Regulação Assistencial da ANS, Martha Oliveira, “essas transformações, o envelhecimento da população brasileira, com o aumento do número de idosos, é um dos fatores mais impactantes nos modelos de atenção à saúde, acarretando o aumento da incidência de doenças crônicas, principalmente se ligadas ao tabagismo, obesidade, diabetes e sedentarismo.

 

De acordo com Maurício Ceschin, diretor-presidente da ANS, a Agência tem trabalhado, através de ações indutoras, na mudança de conceitos e comportamentos. Para Neusa Pellizzer, da Associação Beneficente dos Empregados em Telecomunicações (ABET), as empresas contratantes de planos coletivos empresarias têm valorizado as operadoras que oferecem programas de promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças, reconhecendo que estes podem contribuir para a redução do absenteísmo.

 

No dia 18 aconteceu a oficina sobre condições crônicas na saúde suplementar que discutiu a proposta de implementar um Laboratório de Inovação sobre gestão de condições crônicas na saúde suplementar. Esse laboratório coordenado pela OPAS e ANS terá como propósito identificar programas e práticas bem sucedidas nas operadoras de planos de saúde que abordam de forma efetiva as doenças crônicas, bem como as estratégias da ANS para apoiar o desenvolvimento desses programas.

 

Fonte: http://www.ans.gov.br

 

Acesse aqui as apresentações selecionadas:

 

Os Desafios Assistenciais na Saúde Suplementar – Martha Oliveira (708.96 kB)

(Gerente Geral de Regulação Assistencial- ANS)

 

Como Promover Saúde e Prevenir Doenças com Sustentabilidade a Longo Prazo? – Neusa Pellizzer (10.67 MB)

(Gerente de Promoção à Saúde da ABET)

 

Redes de Atenção à Saúde coordenadas pela APS: resposta aos desafios da crise global dos sistemas de saúde – Renato Tasca (632.08 kB)

(Coordenador da Unidade Técnica Serviços de Saúde da OPAS/OMS Brasil)

 

O papel das Diretrizes na qualidade da assistência à saúde – Wanderley Marques Bernardo (725.96 kB)

(Associação Médica Brasileira-AMB)

 

O cuidado integral para a saúde do idoso – Renato Veras (1.76 MB)

(Diretor da UnATI/UERJ)

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram