A iniciativa APS Forte no combate à pandemia, desenvolvida pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e pelo Ministério da Saúde, já recebeu cerca de 800 inscrições de experiências provenientes da atenção primária de todo país. As inscrições de experiências na iniciativa podem ser realizadas até o dia 30 de junho, na plataforma virtual ancorada ao Portal da Inovação na Gestão do SUS (https://apsredes.org/aps-forte-sus-no-combate-a-pandemia/).

A partir deste banco de boas práticas, a comissão seleciona as que participam da primeira fase de atividades, voltada para o intercâmbio de conhecimentos por meio de debates técnicos e entrevistas. A segunda etapa será a realização do Prêmio APS Forte no SUS – 2a. edição, com edital a ser publicado posteriormente, em novo chamado.

“É uma riqueza de conhecimento que estamos recebendo de todas as regiões do país”, disse Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços de Saúde da OPAS, que pondera sobre o futuro da APS após a pandemia. “A pandemia trouxe o reconhecimento da importância do SUS, dos profissionais de saúde na área hospitalar, mas infelizmente não foi possível reconhecer o trabalho que a APS realiza na contenção da propagação da pandemia, com a prevenção e a proteção de grupos vulneráveis na comunidade”, enfatiza.

“Em um cenário de crise econômica pós pandemia, o setor saúde e a APS ficarão em situação complicada para disputar recursos financeiros, mas a percepção que temos com a iniciativa APS Forte é que precisamos preparar uma proposta concreta para a APS, para que alcance os atributos recomendados e possa se conectar efetivamente com a comunidade”, defendeu Tasca na abertura do debate virtual “APS conectada com a comunidade”, realizado no dia 19 de junho, como parte das atividades da iniciativa.

“É um equívoco achar que se vence a pandemia apenas com a rede hospitalar. Se a APS estiver melhor preparada, tenho certeza que há redução nas internações hospitalares”, explica a assessora técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Maria José Evangelista, que participou do debate como moderadora.

Podem participar da iniciativa APS Forte no combate à pandemia: profissionais do SUS; equipes que atuam na APS; Coordenações de Atenção Básica/Primária regionais ou municipais; Secretarias Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Saúde; entidades filantrópicas ou organizações sociais vinculadas à saúde pública; e ainda, universidades e pesquisadores em parceria com gestores e trabalhador da APS.

Saiba mais – https://apsredes.org/aps-forte-sus-no-combate-a-pandemia/

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest