APSREDES

Curso sobre atenção às condições crônicas para os Estados

Fortalecer as redes estaduais de atenção à saúde com base na Atenção Primária à Saúde é o objetivo do Curso de Manejo em Condições Crônicas, que será realizado entre os dia 29 de julho a 2 de agosto, em Maceió. O curso reunirá cerca de 70 profissionais das áreas de atenção e de vigilância das secretarias estaduais de saúde. “O curso vai propiciar uma reflexão sobre a rede de cuidado das condições crônicas com os principais protagonistas da política. Os profissionais da atenção primária e da vigilância terão a oportunidade de discutir e revisar em conjunto as estratégias para o Plano de Ações para o Enfretamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis nos Estados”, explica Maria José Evangelista, assessora do Conass e coordenadora do curso. Organizado pelo Conass, Opas Brasil e Ministério da Saúde, com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde de Alagoas, o curso faz parte das atividades do Laboratório de Inovação em Atenção às Condições Crônicas.

Com duração de 40 horas, o curso abordará, no primeiro dia, o panorama das condições crônicas na Região das Américas, a situação no Brasil, fará um alinhamento conceitual sobre as condições crônicas no SUS e as Redes Integradas de Atenção e discussão sobre o modelo de melhoramento contínuo. Entre os palestrantes estarão o assessor da Opas em Washington, Alberto Barceló; Patrícia Chueri Sampaio, da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde; e o sanitarista Eugênio Vilaça. Serão apresentados vídeos produzidos pelo Conass e Opas no município de Curitiba, também produto do Laboratório de Inovação.

O segundo dia será destinado ao módulo sobre as ferramentas de manejo das condições crônicas: o autocuidado apoiado e a utilização do ACIC, instrumento que avalia se a unidade ESF é capaz de implantar o modelo; a utilização do instrumento de avaliação chamado AGREE; a questão do apoio às decisões; e apresentação dos Cadernos da Atenção Básica. O terceiro dia será discutido o módulo sobre a utilização de sistemas de informação clínica, incluindo o programa E-SUS, apresentação da experiência do município de Belo Horizonte com prontuário eletrônico e exercício prático sobre o uso de dados da vigilância para subsidiar a política de atenção à saúde.

No quarto dia, será abordado o tema da intersetorialidade no manejo da doença crônica, com apresentação da experiência do município de Santo Antônio do Monte, em Minas Gerais. Será realizada também uma leitura crítica a artigos científicos selecionados pela coordenação do curso e discussão das estratégias do Plano de Ação de Enfrentamento de Doenças Crônicas nos Estados. Este último assunto será tratado também no último dia, data em que será aplicada uma avaliação final para os participantes. Os facilitadores do curso serão Ana Maria Cavalcanti e Maria Zélia Soares Lins, assessoras do Conass; Fabíola Daniele Corrêia e Silvânia Caribe Andrade, do Ministério da Saúde; Lenildo de Moura, da Opas Brasil; e Silvia Takeda.

Por Vanessa Borges, para o Portal da Inovação

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram