APSREDES

SERVIÇO DE ATENÇÃO AO COVID-19: DA IMPLANTAÇÃO AOS DIAS ATUAIS

Tema do relato:
Ações da Enfermagem para o enfrentamento da pandemia da COVID-19

Sua experiência está relacionada a que área:
Atenção em saúde

Instituição onde a experiência se desenvolve/desenvolveu (serviço/instituição)
Secretaria Municipal de Saúde/Organização Social da Saúde - OSS Pirangi

Autor(es) Principal
Elisangela Cristina de Campos
Autor(es)
Daniela Cristina da Silva
Maiara Aparecida Mialich Almeida

Situação atual da experiência
Em estágio avançado de execução

Data de início da experiência
2020-03-23

1.INTRODUÇÃO No final de 2019, durante um surto de pneumonia de causa desconhecida é descoberto o agente etiológico da síndrome respiratória aguda grave, de alta transmissibilidade (SARS-CoV-2), denominada coronavírus 2019 – COVID 19 (HEYMANN; SHINDO, KANG D, et al., 2020). Os sintomas da doença podem variar de sintomas leves a graves e as intervenções mais eficazes são medidas não farmacológicas tais como, uso d, distanciamento social e isolamento dos casos confirmados e seus contatos (SHAN, 2019). Após expressivo número de casos dispersos em mais de 100 países, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou o status pandêmico (CAVALCANTE et. al., 2020).No Brasil, a situação epidemiológica começa a atrair maiores preocupações no mês de fevereiro de 2020 quando é declarado situação de emergência pública de importância nacional. No cenário epidemiológico brasileiro, ganham foco as ações assistenciais e de vigilância em saúde, ambas garantidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS)(MS, 2017, OPAS 2020)e executadas em todas as esferas de complexidade do Sistema. Mas, é na Atenção Primária (APS), o primeiro nível de atenção do SUS que desejamos dar ênfase. A APS está inserida nos preceitos da Lei 8080/1990 que dispõe que a saúde é um direito do usuário e dever do Estado, sendo a assistência balizada pelos princípios da universalidade e integralidade (MS, 1990). É no âmbito da APS que configura-se a estratégia de ordenação da rede de saúde de um determinado local, com o propósito de atender os usuários de maneira integral, regionalizada, contínua e sistematizada. Perpassando pelas ações de prevenção, curativas e de reabilitação (MS, 2017) este setor se configura como a principal porta de entrada do SUS. E não foi diferente sua representatividade de acesso durante a Pandemia de COVID 19. Em mais de um ano de pandemia, muitas vidas foram perdidas e famílias ainda lutam para vivenciar seus lutos. O enfrentamento e contenção de controle da pandemia se diferiram de maneira significativa em todas as regiões do país. O Estado de São Paulo, por sua potência econômica e política, sendo considerada a 21ª maior economia do mundo, teve destaque na condução da pandemia, sendo o primeiro estado a ser contemplado com a vacinação (ESTADO DE SÃO PAULO, 2021). Ademais, outros locais do estado também foram alvo de visibilidade, sendo eles, o município de Serrana e Botucatu, este último em apenas um dia vacinou cerca de 65 mil pessoas. Neste contexto, será descrito o relato de experiência envolvendo o serviço estruturado na cidade de Botucatu, no controle da pandemia 1.1.CENÁRIO A cidade está situada à 235 km da capital, possui população de 148.130 mil habitantes, distribuídos em uma área de 1.483 Km2 divididos em área urbana, rural e ainda possui os distritos de Cesar Neto, Rubião Junior e Vitoriana (IBGE, 2017). Possui economia mista, com notoriedade para a indústria e agropecuária e tem como destaque a Universidade Estadual Paulista (UNESP) e o Hospital das Clínicas de Botucatu que é referência de saúde para todas as regiões do País (SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE,2021). É município em Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada pela NOA01/02, é sede do Colegiado de Gestão da Região de Saúde de Botucatu (CGR Pólo Cuesta) (IBGE, 2017). Botucatu é referência secundária e terciária, para os treze municípios do CGR Pólo Cuesta. Conta com um importante hospital, o Hospital das Clínicas da Unesp de Botucatu, habilitado como Centro de Referência em Terapia Renal Substitutiva, Neurologia III, Alta Complexidade em Ortopedia, Centro de Referência Cardiovascular, Serviço de Oftalmologia, Parto de Alto Risco, sendo ainda importante centro transplantador de rins, córnea, rins e pâncreas e captador de órgãos. A rede de saúde de Botucatu e é composta é composta por: O Município conta com 21 Unidades Básicas de Saúde (UBS), sendo destas 13 trabalhando na lógica da Estratégia Saúde da Família, compondo 19 equipes de saúde. As demais UBS trabalham na forma tradicional realizando o atendimento básico para a sua área de abrangência. Dentre estas, as policlínicas são referências em pediatria, ginecologia e obstetrícia e clínica geral e há dois Centros de Saúde Escola. A Estratégia Saúde da Família, após alguns anos de discussão, teve a primeira unidade implantada em 2003. Este programa vem priorizando áreas periféricas e com população em piores condições de vida e saúde e, atualmente, atende a aproximadamente 40% da população do município. Ainda, na estrutura de saúde, conta com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST (referência para parte do Departamento Regional de Saúde 6 – DRS 6) e com ambulatório de especialidades odontológicas (CEO), rede de saúde mental composta por: Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I, II, infantil e AD), Residências Terapêuticas e Lares Abrigados, Hospital Psiquiátrico “Professor Cantídio de Moura Campos” – leitos para internações agudas e por fim , Serviço de Atenção e Referencia em álcool e drogas – SARAD. São pontos da rede dois hospitais de nível secundário, sendo um estadual e outro da rede privada e um hospital de referencia na atenção de nível terciária – Hospital das Clinicas de Botucatu, além dos serviços de urgência e emergência composto por três prontos socorros e o Serviço de Urgência e Emergência – SAMU. Considerando toda a rede de saúde Botucatuense, os processos de contenção da doença começam a ganhar forma no mês de fevereiro de 2020 com ações efetivas a partir do mês de março do ano em tela, quando a Prefeitura Municipal de Saúde em parceria com a OSS Pirangi e Universidade Estadual Paulista, reúnem para treinamento um grupo de profissionais de saúde que comporiam a linha de frente para o combate ao novo Coronavírus. O serviço passou a ser estruturado por uma equipe multiprofissional, onde a enfermagem foi ponto de destaque, tanto no aspecto da gestão, do gerenciamento, bem como no domínio da educação continuada e da prática assistencial.
1.2.JUSTIFICATIVA Este trabalho se justifica pela importância de dar publicidade e compartilhar experiências exitosas frente a potência da enfermagem em organizar e sistematizar serviços, mediante à processos de gestão a implantação e condução de um projeto de saúde de contenção da Pandemia COVID 19.
2.OBJETIVOS Descrever os pontos de destaque da implantação de um serviço de atenção à saúde no contexto da Pandemia COVID-19, no âmbito da atenção primária à saúde, no período de março de 2020anovembro de 2021, em um município do interior paulista.
3.METODOLOGIA E ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Trata-se de um estudo de caráter descritivo, tipo relato de experiência acerca dos principais pontos de gestão de enfermagem na implantação de um plano de contingência acerca da Pandemia COVID – 19. A estratégia do serviço iniciou com processo de capacitação para todos os profissionais, admitidos em caráter emergencial, de modo a garantir que a população fosse atendida precocemente e com assistência de qualidade. 3.1.RELATO DE EXPERIÊNCIA 3.1.2.ESTRATÉGIA DE CUIDADO As ações foram sistematizadas de maneira a garantir que a testagem de RT-PCR acontecesse em tempo hábil em conformidade com as normas vigentes a cada situação epidemiológica. Dentre elas podemos destacar: •Manter um canal de comunicação com a população com o objetivo de retirar dúvidas, orientar acesso aos serviços de saúde de acordo com a complexidade da necessidade das pessoas; •Realizar o agendamento do exame de testagem para COVID-19 (RT-PCR), promovendo o pronto isolamento de caso índice e comunicantes domiciliares; •Detecção e isolamento precoce dos casos suspeitos e/ou confirmados para COVID 19; •Realizar a comunicação dos resultados no menor tempo possível, sendo em até 24h para os casos positivos e em no máximo de 48 horas para os negativos; •Realizar a cada 48 horas o monitoramento dos casos positivos por tele atendimento; •Ofertar de assistência médica e de enfermagem no domicílio às pessoas em quarentena sempre que necessário e oportuno; •Internação de casos moderados e cuidados intermediários em enfermaria COVID 19. •Constatação imediata de casos graves e rápida intervenção por meio de encaminhamento aos serviços de referência via SAMU192 ou ambulância branca; Todas as ações realizadas pelas equipes de saúde são permeadas por protocolos assistências, os quais em sua maioria foram elaborados e revisados por enfermeiros e aprovados pela Secretaria Municipal de Saúde 3.1.3.PROTOCOLOS ASSISTENCIAS •Protocolo de Tele atendimento à COVID-19; •Protocolo de coleta laboratorial de amostras biológicas para investigação de COVID 19; •Protocolo de coleta laboratorial de amostras biológicas para investigação de COVID 19 em Instituições de Longa Permanência; •Protocolo de coleta laboratorial de Pool de saliva para investigação de COVID 19; •Protocolo de rastreamento/monitoramento de contatos de casos de COVID -19; •Protocolo de atendimento individual frente à COVID-19; •Protocolo de atendimento familiar frente à COVID-19; •Padronização de termo de isolamento domiciliar – individual; •Padronização do termo de isolamento domiciliar – familiar; •Protocolo de atendimento para educação– orientações sanitárias para promover o retorno às aulas com segurança; •Monitoramento escolar – acompanhamento e suporte para unidades escolares na implementação do Protocolo de atendimento para a educação; •Protocolo de menores; •Operação de inverno– acolhimento, proteção e assistência à saúde para os moradores em situação de rua; •Implementação do Fluxograma da gestante; •Protocolo de vacinação em massa contra a COVID 19. 3.1.4.ESTRUTURA EQUIPE COVID (2020-2021), conforme quadro 01: QUADRO 01. Composição da equipe COVID 2020-2021. SERVIÇOAÇÕESINICIO PANDEMIAPICO PANDEMICO Tele atendimentoPorta de entrada no complexo COVID, orientações acerca de sinais e sintomas, elo entre os serviços de saúde, agendamento de exames.16 profissionais32 profissionais MonitoramentoAcompanhamento dos pacientes positivos e seus contatos via telefone a cada 48 horas ou quando necessário.03 profissionais28 profissionais Visita domiciliarAtendimento em domicílio à pacientes que possuem mobilidade reduzida, seja ela social ou clinica e ainda, avaliação de pacientes positivos e seus contatos.09 profissionais99 profissionais Pronto atendimentoAtendimento a sintomáticos respiratórios nos finais de semana e feriado03 profissionais25 profissionais RegulaçãoDeterminar períodos de isolamento conforme protocolo assistência e organizar as visitas domiciliares.01 profissional05 profissionais Hospital CampanhaAtendimento a casos leves030profissionais 3.1.5.DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS IMPLANTADOS, conforme figura 01. Figura 01 – Serviços de Atenção à Pandemia de COVID-19 do Município de Botucatu-SP. Central de Tele Atendimento, conduzida por médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem, os quais são responsáveis por acolher munícipes, via atendimento telefônico, resolvendo dúvidas sobre sintomas, o melhor local para atendimento presencial segundo horário, localidade do paciente, e especialmente, de acordo com a gravidade de seus relatos. Este serviço também representa um importante ponto de apoio para os pacientes que cumprem a quarentena da doença, os quais podem discutir preocupações e solicitar suporte domiciliar em caso de agravamento do quadro de COVID. Os profissionais do Tele Atendimento realizam também o agendamento do RT-PCR na unidade de saúde mais próxima do paciente ou nos pontos fixos de coleta, garantindo a documentação do isolamento domiciliar do usuário a partir da data do contato telefônico. Caso necessário, o munícipe poderia entrar em contato com esta equipe de segunda a segunda, das 7h às 19h, inclusive aos feriados. Coleta de exames de RT – PCR: Os exames para detecção da infecção de SARSCOV-2 em um primeiro momento foi realizado pela equipe de contingência, sendo que, em meados do maio de 2020 foi necessário expandir a coleta para todas as unidades básicas de saúde que compõem a rede de atenção à saúde municipal, e ainda, ao final de 2021, as farmácias e laboratórios da cidade passaram a realizar os testes de modo particular, porém, atrelados, por meio da notificação de agravos à secretaria de saúde local. Central de Monitoramento: Responsável pela avaliação dos resultados de RT-PCR (SWAB) colhidos pelos diversos serviços da Central COVID, instituições particulares e Unidades Básicas de Saúde. Organiza documentação relacionada ao exame (resultado emitido, ficha de notificação contendo dados de sinais/sintomas e contato, termos de isolamento o qual será referencia para equipe de regulação determinar período de isolamento/busca ativa e avaliação domiciliar. É também atribuição desta equipe comunicar resultados de contatos e acompanhar por tele atendimento pacientes positivos e seus familiares durante período de isolamento. Regulação: Somente esta equipe está habilitada para dar o resultado positivo ao caso índice, com o compromisso de elencar o período de isolamento a ser cumprido por todos os membros do domicilio, ainda, avaliar por meio telefônico sinais de gravidade com rápido encaminhamento aos serviços de referencia e ainda, organizar as visitas domiciliares das equipes. Atendimento Domiciliar: realizado por equipes compostas por enfermeiros, médicos, motoristas e técnicos de enfermagem. Realizam o primeiro atendimento dos casos positivos e a coleta de exames para demais moradores do domicílio, bem como retornam ao local caso haja piora do quadro clínico das pessoas em acompanhamento. Este serviço funciona de segunda a segunda. Pronto Atendimento: assistência às pessoas com sintomas suspeitos de COVID-19 aos sábados, domingos e feriados, das 07:00h às 19:00h, em duas unidades estratégicas na cidade. Operam ainda os Pontos de Coleta Fixo de RT-PCR, realizando de segunda a segunda a coleta do exame segundo agendamento prévio. Monitoramento escolar: com o retorno das aulas da educação infantil, a Central COVID passou a contar com a Equipe de Monitoramento Escolar, oferecendo apoio e supervisão na implementação dos protocolos de segurança sanitária, bem como na garantia do atendimento,isolamento e testagem de casos suspeitos dentro do ambiente escolar, por meio dos recursos de pool de saliva para contatos assintomáticos, RT-PCR para sintomáticos e crianças com dificuldades de realizar o teste de saliva. Projeto Sentinela: a guarda municipal é um ponto de apoio na contenção da disseminação da doença na cidade. Diariamente a equipe da regulação alimenta planilha dinâmica com nome, endereço, telefone, período de isolamento de todos da residência de forma que a guarda municipal possa fazer a ronda para avaliação do cumprimento adequado da quarentena, em conformidade com a legislação vigente. Enfermaria COVID-19 – Hospital de Campanha: com o avançar na pandemia na cidade após as festividades de final de ano, os leitos dos hospitais locais não estavam sendo suficientes para atender a demanda, diante disso, foi necessária a implantação de um hospital de campanha com 10 leitos específicos para atendimento de casos positivos que necessitam de cuidados intermediários, os quais recebem cuidados de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e auxiliares de limpeza, por 24 horas, durante 7 dias da semana. As internações foram exclusivas para munícipes de Botucatu. Todo complexo COVID de Botucatu foi organizado para trabalhar em rede e sendo assim, há comunicação diária entre os serviços com o objetivo de cercar o usuário com todos os cuidados necessários e ainda, impedir a disseminação da doença. 3.1.6.SERVIÇOS DE APOIO 3.1.6.1.VIGILANCIA EPIDEMIOLÓGICA Consiste em um serviço de apoio nas condutas e elaboração de protocolos e ainda, centro de ordenação das notificações sejam elas de agravo (ESUS-notifica), pacientes internados (SIVEP-GRIPE) e comunicação de óbitos. Para além dessas ações, este serviço é responsável por fornecer dados sobre a situação epidemiológica local. Ainda, faz-se presente na elaboração dos protocolos assistenciais. 3.1.6.2.VIGILANCIA SANITÁRIA Esta unidade tem sido apoio em situações complexas de dificuldade de cumprimento de isolamento, contenção de condução de surtos em casas de repouso e instituições com grandes populações, tais como indústrias e comércio. Toda rede de assistência ao paciente COVID-19 teve como eixo principal de gestão das ações o profissional enfermeiro que se utilizou de recursos como indicadores para alavancar os processos de trabalho e também de protocolos e fluxogramas para nortear as práticas de cuidado. 4.PRINCIPAIS INDICADORES, conforme quadro 02. Quadro 02. Indicadores Complexo COVID SERVIÇOINDICADOROBSERVAÇÃO Pontos de atendimentoTotal de coletas, taxas de absenteísmoDados emitidos/avaliados mensalmente aos gestores municipais para balizar a tomada de decisões, exceto taxa de ocupação da enfermaria que foram emitidos semanalmente. RegulaçãoTotal de casos positivos/negativos; Total de visitas Tele atendimentoTotal de ligações/período. EnfermariaMédia de pacientes/dia; media de permanência; taxa de ocupação; intervalo de substituição e giro de rotatividade Central de MonitoramentoTotal de casos positivosDados emitidos/avaliados semanalmente Central de MonitoramentoProporção de casos positivosDados emitidos/avaliados semanalmente Central de MonitoramentoTotal de casos internados por COVID-19Dados emitidos/avaliados semanalmente Central de MonitoramentoTotal de óbitos por COVID-19Dados emitidos/avaliados semanalmente
5.RESULTADOS ALCANÇADOS Botucatu foi um dos municípios do Brasil com menor índice de letalidade e mortalidade, mediante dados epidemiológicos, se caracterizando como modelo para o Brasil e do mundo. A cidade teve a maior proporção de testagem, por meio de RT-PCR, de sintomáticos e contactantes de casos positivos, busca ativa de testagem na rede privada e rapidez na realização de exames e diagnóstico. O complexo Covid de Botucatu realizou até novembro de 2021 mais de 30 mil coletas de exames de RT-PCR, cerca de 3.000 testes de saliva, 14.872 visitas domiciliares com o atendimento de 38.148 pessoas. Já a enfermaria, atendeu 169 pacientes sendo 51% do sexo masculino e 49% feminino. Foi necessária a transferência de 33 pacientes para serviço de referência que tiveram seu quadro agravado mesmo após as medidas de recrutamento. Mediante a organização do serviço, com o apoio do executivo e da Universidade Estadual, o município foi contemplado com o estudo de efetividade da vacina AstraZeneca, que após a administração da segunda dose, apresentou resultados significativos com queda brusca dos casos positivos, redução de internações e óbitos. Todo o processo foi permeado por muito estudo dos enfermeiros gestores e assistências e constante educação continuada da equipe contratada de modo a seguir os documentos normativos emitidos pelos órgãos reguladores: Ministério da Saúde, Agencia Nacional de Vigilância Sanitária e Conselho Regional de Enfermagem. Desde que o primeiro caso de Covid-19 foi registrado no Brasil, os profissionais da saúde não têm medido esforços para salvar vidas diariamente e evitar ao máximo a circulação do vírus. Esse é exatamente o trabalho da Central Coronavírus de Botucatu, que realiza o atendimento diário dos casos suspeitos e monitoramento dos confirmados, por meio de atendimento telefônico e visitas domiciliares para avaliação e seguimento dos casos confirmados, bem como testagem dos contatos domiciliares, se prontificando a ajudar qualquer pessoa com sintomas. Por meio dos indicadores de gestão e assistência, foi possível redimensionar os serviços e equipes de saúde de modo a atender a população conforme o cenário epidemiológico.
6.CONSIDERAÇÕES FINAIS No decorrer de 20 meses de gestão da pandemia COVID-19, enfermeiros gestores e assistenciais se dedicaram a manter a qualidade dos serviços e do cuidado prestado aos usuários. Realizaram avaliação e reorientação dos serviços, em sintonia com as atualizações dos processos de trabalho e protocolos assistenciais realizadas pelos órgãos reguladores a equipe se adequava às novas normativas, por meio revisão dos documentos e de educação continuada. Entende-se que a potência da enfermagem em gerenciar serviços dessa magnitude esta pautada em instrumentos e educação continuada com o objetivo de ofertar assistência de qualidade e autonomia para os profissionais de saúde. O êxito dessa organização tem sido reportado pelos pacientes como um salto de qualidade no cuidado no município e ainda, não há relatos parecidos com essa organização o que contribuiu e muito para o alcance da vacinação em massa na cidade de Botucatu.

Galeria

Apresentação