APSREDES

O ENFERMEIRO NO PROCESSO PARIR/NASCER: ESTRATÉGIA DE CUIDADO E HUMANIZAÇÃO DO PARTO NO HOSPITAL REGIONAL DE PROPRIÁ-SE

Tema do relato:
Assistência à Saúde na Linha de Cuidado Materno Infantil

Sua experiência está relacionada a que área:
Atenção em saúde

Instituição onde a experiência se desenvolve/desenvolveu (serviço/instituição)
Hospital Vicente de Paula/ Hospital Regional de Propriá

Autor(es) Principal
Maria Luiza Bezerra Oliveira
Maria Luiza Bezerra Oliveira
Autor(es)
Ellen Kryshna Amorim Dias
Maria Antonia Martins
Laise Vasco Dantas Melo

Situação atual da experiência
Concluída/finalizada

Data de início da experiência
2021-01-01

Desde novembro de 2014 a Maternidade do Hospital está habilitada pelo Ministério da saúde na Rede cegonha, atendendo os critérios impostos, dispõe de 16 leitos de alojamento conjunto, 04 leitos de pré-parto e 04 leitos de UCINco, contamos com uma equipe médica de 06 obstetras, 05 neonatologistas e 07 anestesistas, 04 enfermeiros obstetras contratados via PSS, 18 enfermeiros assistenciais que possuem especialização em obstetrícia e/ou neonatologia, atendemos 16 municípios da região do Baixo São Francisco e assistimos em média 100 partos ao mês. O parto é um evento singular. Assim, o respeito e valorização das vivências de cada mulher-mãe são fundamentais à humanização do processo parir/nascer – período que compreende o início do trabalho de parto, parto e nascimento – ganhando centralidade o entendimento de que os modos como os sujeitos elegem determinadas opções de viver, organizam suas escolhas e criam possibilidades para satisfazer suas necessidades, desejos e interesses é um processo que se dá no contexto da própria vida, consubstanciado pelos princípios que sustentam o processo gestar, parir/nascer com responsabilidade ( CABRAL, 2007). A perspectiva de humanização dentro das maternidades está inserida dentro dos processos de produção da saúde, como: qualidade técnica e ética do cuidado, mediante a postura acolhedora dos profissionais de saúde e da interação com as mulheres- gestantes e parturientes e suas famílias dentro de cada contexto cultural. A Maternidade do Hospital Regional de Propriá tem procurado estabelecer dentro da política de Humanização do Parto e Nascimento com á adoção de medidas e procedimentos sabiamente benéficos na atenção ao parto, evitando- se práticas intervencionistas e desnecessárias que não beneficiam nem a mulher nem ao recém-nascido. A equipe de Enfermagem comandado pelo enfermeiro Obstétrico tem valorizado dentro do contexto do parto a produção de vínculo, apoio, confiança e tranquilidade, atenção acolhedora com privacidade, mais autonomia, privilegiando condutas que rompam com a infantilização e despersonalização, muitas das vezes, impostas às mulheres, especialmente, no processo parir/ nascer. Destaca-se neste processo de humanização do parto o papel do enfermeiro obstétrico no acolhimento e apoio deste empoderamento feminino das parturientes e também no poder de decisão dentro da equipe multidisciplinar diante das condutas intervencionistas que descaracteriza o parto natural, mudando o cenário de parto da Maternidade Regional de Propriá.

Galeria

Apresentação