APSREDES

“Ligue Web Saúde Joinville como ferramenta de apoio a Atenção Primária em Saúde no enfrentamento da Pandemia COVID-19”

Tema do relato:
Ações da Enfermagem para o enfrentamento da pandemia da COVID-19

Sua experiência está relacionada a que área:
Atenção em saúde

Instituição onde a experiência se desenvolve/desenvolveu (serviço/instituição)
Secretaria Municipal de Saude

Autor(es) Principal
CAroline Dias
Maria Solange Ferreira Alves
Autor(es)
Deisy Pereira Navarro Lins Fiorentin
Marilaine Guimarães Pires
Renata Andrade Teixeira Heil
Michelle String

Situação atual da experiência
Concluída/finalizada

Data de início da experiência
2020-03-01

A telessaúde consiste na utilização de tecnologias de informação e comunicação (TIC) para prestar serviços de saúde a distância e para compartilhar informações e conhecimento. Na literatura, os termos telessaúde, telemedicina e eHealth são frequentemente utilizados; eles expressam estratégias de resposta para problemas de saúde socialmente construídos, como escassez de profissionais em áreas remotas e aumento da longevidade da população (BRASIL, 2020a; 2020b). Silva (2014) define o termo telessaúde como uma nova maneira de pensar os processos de saúde, quebrando a barreira da distância, usando as tecnologias da informação e telecomunicação. No contexto da telessaúde, nasceu também a telenfermagem, que tem avançado no Brasil, principalmente depois da resolução do COFEN nº 634/2020, que autoriza e normatiza a telenfermagem, colocando-a como forma de enfrentamento ao coronavírus (SARS-CoV-2) (COFEN, 2020). Com base nesse conceito, a Secretaria de Saúde do Município de Joinville-SC implantou uma nova ferramenta de apoio à Atenção Primária em Saúde-APS com objetivo de garantir o acesso ao usuário do sistema de saúde do Município, mesmo diante de situações com medidas de segurança decretada, como acontece no momento de Pandemia. Após o primeiro decreto estadual de medidas de combate à pandemia, o serviço iniciou suas atividades no prédio da secretaria municipal de saúde, com profissionais que estavam impossibilitados de atua na linha de frente (comorbidades, idade) e estagiários dos últimos anos dos cursos de graduação dos cursos da área da saúde do município que estagiavam na rede e não podiam continuar suas atividades na forma presencial. Nascia o primeiro esboço do serviço, onde profissionais médicos e enfermeiros atendiam a população, através de ligações telefônicas ou mensagens através de um canal de atendimento ao usuário, utilizando um sistema de gerenciamento de conversas em aplicativo de mensagens, ferramenta cedida pela TIFlux Sistemas de Gestão, empresa de software situada no município. Nesse primeiro momento, o foco estava em orientações de sinais e sintomas de Covid, locais de atendimento e dúvidas sobre a pandemia. O serviço foi sendo remodelado frente aos desafios encontrados no dia a dia da pandemia, mas se tornou referência por contribuir como ordenador do acesso sistemático e organizado a todos os serviços de saúde pública do município, garantindo o acesso facilitado do usuário no sistema de saúde, além de manter as medidas de proteção e distanciamento, fundamentais ao enfrentamento da propagação da COVID-19. O serviço se consolidou e hoje conta com equipe própria. São 6(seis) equipes, composta cada equipe, de um profissional Médico e um Enfermeiro, com experiência na Atenção Básica e que vieram de equipes de Estratégia Saúde da Família-ESF, que receberam capacitação sobre o funcionamento de todos os serviços da rede de saúde do Município. Um serviço inovador e de grande relevância para o Município nos dias atuais. As ferramentas utilizadas para atendimento remoto são: Web-Saúde, que funciona através do aplicativo de mensagens WhatsApp e o Ligue-Saúde através de ligação telefônica no horário das 07h00 às 19h00 atraves do número 3481 5165. A Atenção Primária à Saúde (APS) é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde, sendo o primeiro nível de assistência, e de acordo com os princípios do SUS, se caracteriza pelo conjunto de ações que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, redução de danos e a manutenção da saúde. A população brasileira, nos últimos anos, tem sido coberta pela Estratégia Saúde da Família (ESF). O Telessaúde, a integração dos sistemas de informação e a nova política de regulação apontam para a ampliação da resolubilidade da AB (atenção Básica) e para a continuidade do cuidado do usuário, que precisa da atenção especializada, conforme regulamenta a Política Nacional de Atenção Básica. A telenfermagem integra a telessaúde e é caracterizada pelo uso de recursos tecnológicos para a realização da prática de enfermagem a distância nas dimensões assistencial, educacional ou de pesquisa (SOUZA-JUNIOR, 2017). Pode ser utilizada para promover e apoiar o cuidado e a educação em saúde quando os sujeitos dessa ação estão à distância. A American Nurses Association (ANA) considera a telessaúde como um termo amplo, tipo guarda-chuva, que inclui a telemedicina, a Teleenfermagem, a teleodontologia e as demais áreas da saúde (PRADO, 2013) De acordo com a portaria nº 3.222, de 10 de dezembro de 2019, que dispõe sobre os indicadores do pagamento por desempenho no âmbito do Programa Previne Brasil, os resultados dos indicadores alcançados por equipes credenciadas e cadastradas no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (SCNES) serão aglutinados em um indicador sintético final, que irá definir o incentivo financeiro do pagamento por desempenho por município e pelo Distrito Federal (BRASIL, 2019a). Segundo a portaria, entre o conjunto de indicadores a ser observado na atuação das Equipes de Saúde da Família (ESF) estão ações estratégicas nas Doenças Crônicas (Hipertensão Arterial e Diabetes Melittus), sendo o percentual de pessoas hipertensas com pressão arterial aferida em cada semestre; e o percentual de diabéticos com solicitação de hemoglobina glicada. Baseado nessa necessidade de garantir acesso a população, realizar o monitoramento dos indicadores, mesmo diante do curso de um pandemia, a teleconsulta se mostra como uma ferramenta de apoio a APS, pois além de realizar o monitoramento, também garante a continuidade do cuidado mesmo que de forma remota. O enfermeiro é o profissional que possui competências e habilidades para utilizar as tecnologias de telecomunicações, como sistemas de informação, redes, softwares e aplicativos web por meio do uso de computadores e outras, no desenvolvimento do trabalho da enfermagem (PRADO, 2013) e fazer a interface com as informações coletadas em prontuário eletrônico, dados e informações coletados no atendimento telefônico além de requisição de exames ou prescrição de condutas conforme protocolos de enfermagem implantados. A tecnologia é algo que veio para ficar na vida de todos, não sendo diferente para as práticas de trabalho. Pode ser utilizada para promover e apoiar o cuidado e a educação em saúde quando os participantes dessa ação estão à distância. Nas equipes que atuam no Ligue/Web Saúde de Joinville há 06 profissionais enfermeiros, com experiência em APS, que com os médicos, realizam essa atividade respeitando os princípios do SUS como acessibilidade, vínculo, integralidade, garantindo a promoção de saúde, de acordo com a legislação e o Código de Ética (MUSSI, 2018).

Galeria

Apresentação