APSREDES

Laboratórios de Inovação trocam experiências no XXX Congresso do Conasems

Os Laboratórios de Inovação participaram, nesta terça-feira (3/6), do XXX Congresso do Conasems compartilhando experiências e inovações sobre gestão do trabalho, manejo das condições crônicas, ouvidoria e gestão participativa e saúde do adolescente. A mostra dos laboratórios ocorreu no centro de eventos Carapina, em Serra, no Espírito Santo, como parte das atividades do congresso do Conasems. “O que o Laboratório chama de inovação é a solução adotada pelo gestor para resolver um problema real. Identificamos experiências que dão respostas positivas aos serviços”, explicou a coordenadora do Portal da Inovação em Saúde e consultora da Opas, Elisandréa Kemper, coordenadora da mostra dos laboratórios.

Gestão do Trabalho

O Laboratório de Inovação na Gestão do Trabalho escalou para a mostra as experiências das secretarias municipais de saúde de Betim-MG, com a iniciativa da Mesa Municipal de Negociação Permanente do SUS e Efetivação da Política de Gestão do Trabalho, e de Vitória-ES, com o tema da Avaliação Periódica de Desempenho – Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos. “A Mesa Municipal de Negociação de Betim se firma como um espaço democrático que coloca em constante diálogo as duas bancadas, o governo e o trabalhador”, ressaltou Elisabete Silva, servidora do município. A Avaliação Periódica de Desempenho utilizada pela secretaria de saúde de Vitória possibilitou a progressão funcional de 1.386 servidores nos últimos quatro anos, de um total de 3.700 servidores. “Por conta da progressão funcional, o salário da iniciativa privada já não é tão superior do que o oferecido pela secretaria”, explica Gessimara Sousa, responsável pelo programa.

“A equipe do Laboratório está aprofundando a metodologia que será utilizada para melhor descrever, sistematizar e compartilhar as soluções inovadoras para os desafios do sistema de saúde na área de Gestão do Trabalho”, conta a consultora da Opas, Cristiane Gosch. Esta iniciativa é fruto da parceria entre Departamento de Gestão e Regulação do Trabalho na Saúde do Ministério da Saúde (Degerts), Opas/OMS e o Observatório de Recursos Humanos do Núcleo de Estudos de Saúde Pública da Universidade de Brasília (ObservaRH/Nesp/UnB).

Laboratório de Inovação no Manejo das Condições Crônicas

A experiência do Centro Integrado Hiperdia Viva Vida, instalado no município de Santo Antônio do Monte-MG, que utiliza as ferramentas do modelo de atenção voltado para as condições crônicas na atenção secundária é acompanhada pelo Laboratório de Inovação desenvolvido em parceria entre Opas, Conass, Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) e a prefeitura de Santo Antônio do Monte/Samonte. Outros eixos de atuação do Laboratório dizem respeito à reestruturação da Atenção Primária no município de Santo Antônio do Monte, que está sendo reformulada para atender adequadamente as necessidades de saúde dos usuários e coordenar a rede de atenção e a integração entre as ações da assistência com as da vigilância em saúde (epidemiológica, sanitária e ambiental).

Localizado no município de Santo Antônio do Monte-MG, o Centro Integrado é referência na média complexidade para 13 municípios e abrange uma população de cerca de 430 mil habitantes. Com foco no cuidado dos usuários com hipertensão arterial, diabetes, gestantes e crianças de até um ano de idade e para detecção precoce de lesões percussoras de câncer de mama e de colo uterino, o Centro de Referência além de desenvolver ferramentas do manejo de crônicas na atenção secundária capacita as equipes de Atenção Primárias dos municípios da região utilizando como referência o modelo de atenção às condições crônicas. “Como o Centro Integrado só recebe usuários estratificados com risco alto ou muito alto, a atenção primária está sendo capacitada para fazer o manejo dos crônicos adequadamente, começando pela estratificação de risco”, explica a coordenadora do Centro, Priscila Rabelo.

As ferramentas de cuidado dos usuários de crônicos que estão sendo utilizadas no Centro Integrado são o plano de cuidado, o trabalho com metas, a atenção compartilhada, atenção contínua, autocuidado apoiado, a atenção em pares, entre outras. A experiência tem como referencial teórico o modelo desenvolvido pelo sanitarista Eugênio Vilaça, chamado modelo de atenção as condições crônicas no SUS (MACC).

Laboratório de Inovação em Ouvidoria e Gestão Participativa

O escopo das atividades deste Laboratório de Inovação desenvolvido em parceria entre Opas e o Departamento de Ouvidoria Geral do SUS (DOGES) foi apresentado pela coordenadora do Sistema Nacional de Ouvidoria (SNO), Maria Moro. “Entre as atividades do Laboratório está o acompanhamento das iniciativas vencedoras do Prêmio Cecília Donnagelo”, explicou Maria Moro. As duas experiências vencedoras do Prêmio foram apresentadas na oficina: “Ouvidoria Ativa – Praticando Cidadania no Grupo Hospital Conceição”, de Porto Alegre (RS), por Mara Batista Dias, autora da iniciativa; e “Ouvidoria e Urnas de Sugestão – Experiência de Aproximação com o Usuário para Melhoria da Gestão”, de Maracanaú (CE), por Edna Maria Martiniano, autora da pesquisa.

Já a diretora do DOGES, Vanilda Alves, informou sobre os resultados do intercâmbio de informações de Ouvidoria entre Brasil e Portugal, realizado desde 2012 e aperfeiçoado na II Mostra Nacional de Experiências em Gestão Estratégica e Participativa (II EXPOGEP), em fevereiro deste ano. “Esta é uma troca muito rica e nós estamos agora avançando na implantação do que vimos como experiências exitosas em Portugal. Assim como temos a aprender com eles, também mostramos o nosso trabalho. Tudo, obviamente, pode ser aproveitado para o fortalecimento e implantação de ouvidorias municipais em todo o país”, explicou Vanilda Alves.

Laboratório de Inovação em Boas Práticas na Saúde de Adolescentes e Jovens

Este Laboratório levou para a Mostra dos Laboratório de Inovação duas experiências acompanhadas pela iniciativa: a da secretaria municipal de Salvador, no Distrito Sanitário Cabula Barra Beiru, com o projeto Adolescer com arte; e da prefeitura de Novo Hamburgo/RS, com o projeto Multiplicadores adolescentes do SPE de Novo Hamburgo – a prevenção entre pares.

As experiências apresentadas trouxeram os jovens que são multiplicadores da saúde, os quais puderam dar os depoimentos de como é o trabalho que desenvolvem em suas comunidades. Baseados no protagonismo juvenil, atuam como multiplicadores e promovem a saúde, por meio de dinâmicas e da arte nas escolas e nos bairros. “Estamos muito famosos na nossa cidade e isso é muito legal” disse Nathani, jovem do município de Novo Hamburgo-RS. O grupo de Salvador, liderados pelo Agente de Saúde Lenilson Bento, apresentou um rap com temas da saúde e encenou uma peça de teatro que apresenta aos jovens do município.

A coordenadora da área Técnica de Saúde do Adolescente e do Jovem, do Ministério da Saúde, Thereza de Lamare, explicou que até fim de junho, o grupo de trabalho do Laboratório de Inovação finaliza as visitas in loco às 18 experiências para reunir em publicação os principais pontos de inovação. A gestora antecipa que será lançado em breve um novo chamamento de experiências dando início à segunda edição do Laboratório de Inovação. “Foi muito enriquecedora a discussão para a Política de Atenção à Saúde de Jovens e Adolescentes e vamos continuar as atividades com um novo Laboratório”, disse.

OBS – Fotos da reunião disponíveis no Facebook – https://www.facebook.com/pages/Portal-da-Inova%C3%A7%C3%A3o-na-Gest%C3%A3o-do-SUS-Redes-e-APS/287193334645741?fref=ts

Por Vanessa Borges, para o Portal da Inovação

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram