APSREDES

Promoção da Sustentabilidade na Alimentação Saudável em Comunidades Escolares inseridas no Programa de Alimentação Escolar de Pernambuco

Autores do relato:

Maria Aparecida de Araújo Silva xcidax@hotmail.com 55(81)983548845

Alessandra da Silva Jucene dos Santos Valença gtan.supae@outllok.com 55(81)992982575

Rafaela Ravana Lourenço Pererira cplae.getan@gmail.com 55(84)999175937

Natália Mayara Menezes de Souza natalia.msouza@educacao.pe.gov.br 55(81)996770606

Any Marcelli Alexandre Barbosa any.marcelli@educacao.pe.gov.br 55(81)996478524

Aíla Maria Cruz de Oliveira aila.deoliveira@educacao.pe.gov.br 55(81)996579653

Claudia Jacqueline Mendes jakymendes@hotmail.com 55(81)998059181

Contextualização

A cidade da Vitória de Santo Antão, localizada no planalto Borborema, encontra-se a 48 km do Recife. Sua população é estimada em 130 mil habitantes. A cidade possui a economia baseada na agricultura, na indústria, no comércio e na prestação de serviços. Sua atividade agrícola baseia-se no cultivo de hortaliças, de verduras, de tuberosas (macaxeira, mandioca e batata doce) e de cana-de-açúcar. O governo estadual mantém em Vitória de Santo Antão 8 escolas com as modalidades de ensino regular e integral de 35 e 45 horas semanais, além dos programas de apoio ao sistema de ensino, como o EJA

Justificativa

Tendo em vista o crescente número de excesso de peso em adolescentes acompanhado de comorbidades, se faz necessária a promoção de uma alimentação saudável, a partir do ambiente escolar, incentivando a produção de alimentos de forma sustentável no contexto do planejamento dos cardápios do Programa de Alimentação Escolar de Pernambuco, além do estímulo à atividade econômica na comunidade escolar

Objetivo

Fomentar a alimentação saudável e sustentável nas comunidades escolares da Rede Estadual de Ensino localizadas no município de Vitória de Santo Antão

Metodologia

A atividade foi desenvolvida na Escola de Referência de Ensino Médio Eurico Queiroz a partir da disciplina eletiva de Educação Alimentar e Nutricional chamada “Horta e Sustentabilidade”, ofertada na rede de Ensino Estadual de Pernambuco. Participaram cerca de 20 alunos com idade média de 15 a 17 anos, das turmas do 1º ao 3º ano letivo, em conjunto com professores, merendeiras e nutricionistas, os quais ficaram responsáveis pela horta desde a plantação até a colheita. A partir dos gêneros obtidos da horta (alface, tomate cereja, pimentão, pimenta, cebolinha e coentro), da Agricultura Familiar (cenoura, batata doce, inhame e macaxeira) e dos insumos fornecidos pelo Programa de Alimentação Escolar do Estado de Pernambuco (carne moída, sardinha e frango), foram elaboradas saladas no pote. Essas foram envasadas em embalagens descartáveis de 300mL com tampa e consumidas pelos alunos no horário do almoço do mesmo dia

Atores envolvidos (institucionais e/ou coletivos)

Participaram da ação alunos, professores, merendeiras e nutricionistas do Programa de Alimentação Escolar do Estado de Pernambuco

Estratégias

A partir da introdução na matriz escolar da disciplina eletiva “Horta e Sustentabilidade” e da participação ativa de professores, alunos, merendeiras e nutricionistas, foi possível otimizar o cultivo sustentável de hortaliças e vegetais diversos no ambiente escolar. Também contribuíram para a fomentação da alimentação saudável e sustentável na comunidade escolar, capacitações e oficinas voltadas para a Educação Alimentar e Nutricional e Empreendedorismo, bem como o engajamento e mobilização do corpo discente e docente

Resultados alcançados

O projeto proporcionou a melhora dos hábitos alimentares dos alunos e um melhor entendimento sobre a riqueza dos nutrientes, além de estimular a complementação da renda familiar através da replicação desta experiência

Considerações finais

A introdução na matriz curricular dos estudantes da disciplina de Educação Alimentar e Nutricional “Horta e Sustentabilidade” proporcionou o desenvolvimento de ações pedagógicas através da horta orgânica, em estimulo às práticas alimentares saudáveis, resultando em melhor rendimento escolar e prevenção de Doenças Crônicas Não Transmissíveis causadas por uma alimentação inadequada