APSREDES

Projeto #eusaudável

Autores do relato:

Sarajane Helena Pazin Gonçaves Dias sara.pazin@gmail.com (49)999515990

Valéria Grifante lelagrifante@hotmail.com.br (49)991277208

Contextualização

Intervenções nutricionais na atenção primaria são necessárias para a promoção da saúde e a prevenção de Doenças Crônicas não Transmissíveis (hipertensão, diabetes, sobrepeso/obesidade, etc). Tais condutas devem ser tomadas como preventivas , pois visam diminuir a procura por tratamento das comorbidades dentro das unidades básicas, e também contribuem para uma melhor qualidade de vida da população, causando bem estar geral.

Justificativa

Com o avanço da epidemia de obesidade mundial, e avanços tecnológicos, as classes sociais vem diminuindo as diferenças entre si, à também a diminuição da pobreza, desnutrição entre outras e tais mudanças contribuem para o aumento nas condições rentáveis das famílias, tais mudanças contribuem para um estilo de vida com melhores condições, contudo, pessoas leigas desconhecem sobre o que é uma alimentação saudável , ou acham que estão se alimentando adequadamente, dai surge a proposta de intervenções nutricionais educativas na atenção primaria.

Objetivo

O objetivo do projeto é levar conhecimento sobre hábitos de vida saudáveis e conduzir modificações no estilo de vida dos usuários assistidos na unidade básica de saúde de Iomerê

Metodologia

Foi realizado o estudo de intervenção de abordagem de natureza quantitativa e qualitativa, com 18 mulheres adultas de 25 a 60 anos de idade, residentes no município de Iomerê, Santa Catarina, assistidas na Unidade Básica de Saúde, as quais se inscreveram voluntariamente no grupo (#eusaudável). O método utilizado foi a educação alimentar e nutricional, com finalidade de melhorar os hábitos saudáveis dos participantes. Aconteceram encontros quinzenais na UBS (Unidade Básica de Saúde), entre as participantes e a equipe multiprofissional designada para tal projeto, em horários e datas estabelecidas. No primeiro encontro houve a explicação de como iria funcionar o grupo esclarecendo dúvidas das participantes e realizado a coleta de dados iniciais como, nome, idade, e feita a avaliação nutricional, tomada de peso, altura, IMC, circunferência da Cintura (CC), Circunferência Quadril (CQ) e Circunferência do Braço (CB). A cada encontro era abordado um tema diferente relacionado a alimentação e saúde, o grupo também contou com a participação de uma equipe multiprofissional além da nutricionista e da estagiaria (médico, psicólogo, educador físico, farmacêutico, dentista) para explanar temas diversos que impactam a saúde, foram eles; 1) trocas inteligentes, 2) prato saudável e pirâmide alimentar, 3) pratica de atividade física, 4) transtornos alimentares, 5) mastigação, 6) uso de medicamentos, 7) Doenças Crônicas não Transmissíveis, 8) encerramento.

Atores envolvidos (institucionais e/ou coletivos)

Secretaria Municipal de Saúde (Nutricionista, Médico, Psicólogo, Farmacêutico, Dentista) Secretaria Municipal de Esporte (Educador Físico) Instituição de Ensino – UNOESC/VDA (Estagiária de Nutrição)

Estratégias

Através de conversas entre gestores da saúde e servidores da saúde, verificou-se a necessidade de intervenções voltadas a melhorias no estilo de vida dos munícipes. Através de redes sociais da instituição (whatzapp, facebook, instagram) e Agentes Comunitárias de Saúde, foi divulgado o cronograma do projeto, e as pessoas que tivessem interesse entravam em contato com a Unidade para realização da inscrição.

Resultados alcançados

O Presente projeto encontra-se em andamento. Porém dados antropométricos e relatos de experiência das participantes obtidos no segundo encontro demonstram que houve redução de peso e medidas da maioria das participantes e relato da melhora da qualidade do sono, disposição e cognição.

Considerações finais

A educação em saúde abrange vários campos tanto comportamentais quanto sociais e culturais, daí parte a iniciativa de todos os profissionais de saúde participar do processo, a intervenção nutricional deve despertar voluntariamente a adoção de mudança de hábitos nas pessoas sem pressiona-las. O atendimento realizado em forma de grupos, traz melhores resultados, pois os indivíduos participantes podem compartilhar de seus relatos e incentivar seus colegas, como também, a participação de uma equipe multiprofissional abre um leque de diferentes informações voltadas a qualidade de vida.