APSREDES

Hortaliça não é só Salada – Alimentação Saudável sem Desperdício

Autores do relato:

Milza Moreira Lana Milza.Lana@embrapa.br 61984939646

Contextualização

A Embrapa, empresa pública com a missão de viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira tem importante papel a desempenhar na promoção da alimentação saudável no Brasil. Continuamente, a empresa tem afirmado seu compromisso de atuar em um processo contínuo e de longo prazo com alicerces em políticas públicas e decisões de governos. Nesse sentido, a Embrapa se propõe a atuar na formulação, aprimoramento e implantação de políticas públicas como provedora não só de produtos, processos e serviços, mas também de informações e conhecimentos. Hortaliça não é só Salada – Alimentação saudável sem desperdício (HNESS) é um programa de comunicação da Embrapa Hortaliças que disponibiliza gratuitamente para a população brasileira informações práticas sobre como comprar, conservar e consumir hortaliças. Ele é uma contribuição da Embrapa para as políticas públicas do Estado brasileiro e para os compromissos internacionais assumidos pelo país na área de segurança alimentar e nutricional. O programa está alinhado diretamente com as seguintes metas propostas do ‘Guia Alimentar para a População Brasileira’, da ‘Estratégia Intersetorial para a Redução de Perdas e Desperdício de Alimentos no Brasil’ e do ‘Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil’: – Viabilizar campanhas e outras iniciativas de comunicação social e de educação que valorizem e incentivem o consumo desses alimentos (frutas e hortaliças); – Apoiar campanhas educativas, ações de comunicação e divulgação de boas práticas junto à população, visando prevenir o desperdício de alimentos; – Criar estratégia de comunicação com o tema de promoção da saúde, prevenção de DCNT e de seus fatores de risco e promoção de modos de vida saudáveis. O programa também está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Entre os 17 ODS, três estão diretamente relacionados aos objetivos do Hortaliça não é só Salada, e em particular, as seguintes metas: ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável – Meta 2.1: “Até 2030, acabar com a fome e garantir o acesso de todas as pessoas, em particular os pobres e pessoas em situações vulneráveis, incluindo crianças, a alimentos seguros, nutritivos e suficientes durante todo o ano”. ODS 3 – Saúde e bem-estar – Meta 3.4: “Até 2030, reduzir em um terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis via prevenção e tratamento, e promover a saúde mental e o bem-estar.” ODS 12 – Consumo e produção responsável Meta 12.3: “Até 2030, reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, em nível de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita”.

Justificativa

Duas situações evidenciam a importância da promoção do consumo de hortaliças pela população brasileira. Por um lado, o impacto positivo do consumo de hortaliças sobre a manutenção da saúde e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis é consenso entre profissionais de saúde e pesquisadores. O baixo consumo de hortaliças e frutas está entre os 10 principais fatores de risco para mortalidade no mundo. Por outro lado, a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PENSE) e a Vigitel indicam que para uma parte significativa da população brasileira, o consumo de hortaliças está abaixo do nível recomendado. O Hortaliça não é só Salada foi construído a partir de duas premissas, relacionadas a campanhas educativas no tema da segurança alimentar, e defendidas pelos autores. A primeira afirma que não é suficiente sensibilizar as pessoas sobre a importância de uma alimentação saudável e do combate à perda e ao desperdício de alimentos. É preciso também fornecer meios que permitam ações concretas do dia a dia para alcançar esses objetivos. A mensagem “armazene as hortaliças corretamente para evitar desperdício” deve ser acompanhada de informações práticas sobre limpeza, embalagem, refrigeração e congelamento desses alimentos, por exemplo. A segunda afirma que empresas públicas de pesquisa e desenvolvimento científico como a Embrapa, têm importante papel na difusão do conhecimento, traduzindo os resultados da ciência, construída por ela e por outras instituições de pesquisa, para o dia a dia da população com vistas à melhoria de sua qualidade de vida. A mensagem “evite a monotonia alimentar para ter uma dieta mais nutritiva” deve ser acompanhada de informações práticas sobre como preparar hortaliças de diferentes maneiras, de modo que o mesmo almeirão possa ser usado no preparo de refogados, omelete, recheio de tortas e pastéis ou misturado com arroz ou feijão. Ou que, na falta do almeirão, hortaliças semelhantes como taioba, couve, espinafre e chicória possam ser usadas nos mesmos tipos de preparo.

Objetivo

Esse projeto tem por objetivo: 1- Contribuir para o aumento do consumo de hortaliças pela população brasileira, a partir da premissa Hortaliça não é só Salada. Para isso, o HNESS oferece várias opções de uso desses alimentos no dia a dia bem como orienta sobre os atributos de qualidade que devem ser levados em conta na hora de adquirir esses produtos no mercado. 2- Contribuir para o aumento do consumo de hortaliças pela população brasileira, informando-a sobre os efeitos benéficos do consumo destes alimentos sobre a saúde. 3- Contribuir para a redução das perdas que ocorrem após a colheita das hortaliças, tanto em quantidade (o desperdício representado pelo alimento que vai para o lixo) como em qualidade (redução do valor nutricional e da qualidade sensorial). Para isso, o HNESS orienta sobre o correto manuseio e armazenamento das hortaliças pelo consumidor. Dirigido ao público geral, seu conteúdo também pode ser utilizado por profissionais da área de educação, saúde, extensão rural e assistência social, em atividades de promoção da alimentação saudável e de combate ao desperdício de alimentos, no contexto do desenvolvimento sustentável.

Metodologia

São inúmeros os fatores socioeconômicos e culturais que afetam a decisão de consumir ou não hortaliças assim como as práticas que levam ao descarte de alimentos, estejam eles ainda bons para consumo ou deteriorados. O Hortaliça não é só Salada, com o mote Alimentação Saudável sem Desperdício, faz um recorte nesse amplo conjunto de fatores, abordando esses dois temas no campo de atuação da Embrapa Hortaliças e da formação profissional dos autores. Assim o programa se ocupa da rejeição ao consumo e do desperdício de hortaliças devido: – ao desconhecimento de produtos específicos; o consumidor não compra determinadas hortaliças porque não as conhece e não sabe prepará-las ou não sabe identificar se elas estão boas para consumo; – ao uso de práticas de manuseio, acondicionamento e armazenamento doméstico que resultam em alterações rápidas e negativas da qualidade sensorial, redução da durabilidade e, consequentemente, descarte do alimento antes do consumo; – a modos de preparo que afetam negativamente a qualidade sensorial da hortaliça, levando à sua rejeição; – ao desconhecimento de formas alternativas de preparo e consumo que poderiam tornar saborosa a hortaliças ora rejeitada; – ao desconhecimento de formas alternativas de preparo e consumo que poderiam evitar o descarte do alimento. O programa é dividido em cinco eixos temáticos, respectivamente: – Espécie de hortaliça: “Hortaliças: como comprar, conservar e consumir”; – Saúde: “Quem quer saúde vai à feira”; – Desperdício: “Hortaliça e dinheiro não se jogam fora”; – Receitas: “Hortaliça combina com todas as refeições”; – Qualidade: “Como obter o melhor de cada hortaliça”.

Atores envolvidos (institucionais e/ou coletivos)

No período de 1997 a 2010 o projeto foi executado em parceria com a Emater-DF. Desde 2010, o projeto vem sendo executado pela Embrapa Hortaliças. Parcerias pontuais têm sido estabelecidas com técnicos de outros Ministérios para elaboração dos conteúdos do programa, em especial nas áreas que não são de atuação direta da Embrapa Hortaliças como saúde, meio ambiente e sistemas de certificação de qualidade.

Estratégias

Na construção do HNESS foram utilizadas as seguintes estratégias. 1. Quanto ao conteúdo MATERIAIS INFORMATIVOS i. Linguagem clara e direta para população em geral. ii. Conteúdo alinhado com as políticas públicas de segurança alimentar e desenvolvimento sustentável do estado brasileiro. iii. Informações práticas para ajudar a população nas operações básicas que envolvem o consumo de hortaliças, quais sejam: comprar, conservar e consumir. iv. Informações práticas para evitar o desperdício, com destaque para o uso da geladeira e do congelador. Também informações sobre o tratamento de resíduos, por exemplo, através da compostagem de resíduos domésticos orgânicos. v. Informações de cunho mais geral para sensibilizar a população sobre a importância do consumo de hortaliças para a saúde. vi. Informações de cunho mais geral para conscientizar a população sobre o impacto do desperdício de alimentos na sustentabilidade dos sistemas agroalimentares com destaque para o impacto ambiental desse desperdício. vii. Receitas adequadas para indivíduos sem restrição alimentar com ingredientes de origem vegetal e animal, utilizando prioritariamente ingredientes de baixo custo, fáceis de serem encontrados em feiras, supermercados e mercados de alimentos não especializados do país. Para hortaliças de alto consumo como tomate, alface e couve, por exemplo, pelo menos uma receita é de um preparo não tradicional para aquela hortaliça. Para hortaliças de menor consumo, ou de consumo regional, como taioba, aipo e mostarda por exemplo, pelo menos uma receita se refere à preparação tradicional na região onde seu consumo é comum. viii. Receitas com preparações (torta, bolo, sanduíche, suco e outros) e ingredientes (arroz, feijão, macarrão, frango e outros) tradicionais da culinária brasileira, inspiradas no uso de hortaliças em países onde o seu consumo é maior e mais diversificado, comparativamente ao Brasil. MATERIAIS PROMOCIONAIS i. O programa disponibiliza um selo com a logomarca e QR-Code do site Hortaliça não é só Salada, para uso em embalagens de hortaliças, cartazes promocionais e gôndolas de mercados varejistas. ii. O programa disponibiliza cartazes sobre alimentação saudável e/ou redução do desperdício para usos em escolas, em eventos, em mercados, assim como para divulgação em redes sociais. Os cartazes estão agrupados nos seguintes temas: – Hortaliças combinam com todas as refeições; Novos Sabores; Vá de Hortaliças; Ponha mais verde no seu prato. 2. Quanto ao formato i. Todo o conteúdo está disponível no formato html, no portal da Embrapa e no formato de foldêres e cartazes. ii. Parte do conteúdo está disponível também no formato de livros. iii. Há livros para adultos e para crianças. 3. Quanto ao acesso i. Todo o conteúdo está disponível gratuitamente no portal da Embrapa no endereço https://www.embrapa.br/en/hortalica-nao-e-so-salada. ii. Instituições e/ou empresas públicas e privadas que tenham interesse em imprimir um grande número de cópias de quaisquer títulos para distribuição a seus clientes e/ou em eventos promocionais de alimentação saudável e redução do desperdício, podem fazê-lo através de um contrato de patrocínio. A Embrapa fornece o arquivo digital já com a logomarca do patrocinador incluída, gratuitamente, e a patrocinadora arca com os custos de impressão e distribuição.

Resultados alcançados

Registros do Google analytics indicam 392.971 acessos ao site do HNESS no ano de 2020 e 151.677 entre janeiro e agosto de 2021. O livro 50 Hortaliças: como comprar, conservar e consumir, esteve na lista dos mais vendidos da Embrapa nos 4 anos seguintes ao seu lançamento. A Embrapa não tem registro do uso do conteúdo por outras instituições, por não ter recursos humanos e financeiros para identificar estas ações. A principal dificuldade enfrentada pelo programa é sua divulgação junto à população, tendo em vista a baixa capilaridade de atuação da Embrapa junto a esse público. Para ter este alcance, a Embrapa precisa estabelecer parcerias com outros agentes e instituições de atenção básica à saúde, assistência social, assistência técnica e extensão rural, produtores e comerciantes de hortaliças.

Considerações finais

O HNESS inova como campanha de comunicação ao ir além da conscientização do cidadão sobre a importância da alimentação saudável e da redução do desperdício de alimentos. O programa também fornece informações práticas para que o cidadão possa fazer escolhas mais saudáveis na sua alimentação e manusear as hortaliças de modo a reduzir o desperdício. As informações são alinhadas a situações vividas no dia a dia pelos brasileiros, e as receitas são de fácil execução e de baixo custo. O HNESS inova por ser uma ação de divulgação científica e um serviço de utilidade pública, na qual as informações geradas por universidades e centros de pesquisa são traduzidas em informações e recomendações práticas para o dia a dia dos cidadãos. Ele também é um exemplo de como centros de pesquisa podem atuar na execução de políticas públicas coordenadas por outros órgãos da administração pública. De uma maneira simplificada, se o Guia Alimentar recomenda a ingestão de hortaliças diariamente, o HNESS informa como as hortaliças podem ser preparadas em diferentes pratos para todas as refeições; se a Estratégia Intersetorial, coordenada pela CAISAN, enfatiza a importância de se reduzir o desperdício de alimentos, o HNESS informa como as hortaliças devem ser refrigeradas e/ou congeladas para evitar seu desperdício. Não tendo recursos humanos suficientes para a execução de ações educativas diretamente junto à população brasileira, a Embrapa trabalha na elaboração de conteúdos que possam ser utilizados por outros agentes públicos e privados, entre os quais, assistentes sociais, extensionistas rurais, profissionais da saúde, professores, gestores da administração pública. A inciativa privada, produtores e comerciantes de hortaliças, também podem promover a venda de seus produtos e o consumo sustentável, utilizando-se do conteúdo do HNESS.