APSREDES

HORTA NA ESCOLA, UMA QUESTÃO DE EMPATIA

Autores do relato:

Marcia Mendes de Sousa marciamendes2003@bol.com.br 550062985110292

Contextualização

CONTEXTUALIZAÇÃO A horta na escola é o projeto recomendado para implantação, pois parte do entendimento de que, por meio da promoção da ação escolar e de uma educação integral dos educandos é possível gerar mudanças na cultura da comunidade no que se refere à alimentação, à nutrição, à saúde e à qualidade de vida de todos, sobretudo, tendo a horta escolar como o eixo gerador de tais mudanças. Esse projeto tem como fundamento levar as instituições de ensino do município de Jaraguá-Goiás da área urbana e rural a prática da agricultura familiar com o aperfeiçoamento das técnicas de plantio de hortaliças para o consumo alimentar e enriquecimento nurtricional nas refeições produzidas na escola e em casa. Para tanto, as unidades escolares tiveram como parceiros o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (FAEG/SENAR), FAEG/JOVEM, UNIDADE PRISIONAL DO MUNICÍPIO, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E CULTURA. O projeto visa a implantação de HORTAS ESCOLAR que se adequam ao cardápio nutricional elaborado pela Secretaria Municipal de Educação. Assim, será possível atender a distribuição desses alimentos juntamente com o Kit Merenda Escolar em casa. Esse projeto também tem o intuito de serviço de modelo para as demais escolas da cidade com o intuito de desenvolver atividades pedagógicas junto a ele e implantação de horta nas instituições de ensino do município de Jaraguá-Go, bem como estimular as famílias para a prática de plantio e cultivo promovendo a Agricultura Urbana, modalidade esta de cultivo, que no cenário atual ganhou muitos adeptos e vem ganhando destaque no campo da agricultura. A promoção da saúde permite que as pessoas adquiram maior controle sobre sua qualidade de vida. Através da adoção de hábitos saudáveis, não só os indivíduos mas também suas famílias e comunidade se apoderam de um bem, um direito e um recurso aplicável a vida cotidiana. Portanto, este projeto propõe ampliar o conhecimento dos alunos, ensinando a cada um a cuidar melhor da alimentação, pois, enxergamos que uma das melhores formas de promover a saúde é através da escola como canal de informação e instrução nas boas práticas de convivência e execução de ações.

Justificativa

O Projeto se justifica pela necessidade de sanar um problema que era notável dentro da comunidade escolar, a ausência da horta escolar. Nas pesquisas realizadas com algumas servidoras e famílias constatou-se que a maioria ainda não tinha realizado nenhum curso técnico por instituição credenciada e habilitada para melhorarem seus conhecimentos prévios sobre as técnicas do plantio de hortaliças dentro do espaço físico das instituições de ensino e em espaço domiciliar. Obviamente, assim constatou-se que essas instituições de ensino e famílias poderiam melhorar sua produtividade, caso lhes fossem apresentado técnicas e conhecimento fornecido por especialistas na área de agronomia e agricultura familiar e urbana, capacitação esta que resultaria na criação da horta na escola. Ao mesmo tempo, o projeto trouxe vantagens em diversos aspectos relacionados à conscientização da preservação do meio ambiente, tendo em vista que as maiorias dessas famílias não sabem utilizar o solo de forma adequada, inclusive em relação ao uso de materiais químicos, os agrotóxicos, para dar combate a pragas. Dessa forma, a visão aqui é preparar esses a não usarem de forma equivocada pesticidas que podem trazer malefícios a fauna e a flora e aos rios. Dentro do projeto foi pensado três aspectos fundamentais: econômico, social e sustentável. Econômico na medida em que a renda dessas famílias pode melhorar significativamente com o uso de técnicas apropriadas no plantio de hortaliças promovendo a agricultura urbana. Social, tendo em vista, à medida que os estudantes vêem seus pais, vizinhos e conhecidos estudando temas relacionados ao Meio Ambiente e Agricultura. Isso serve de estímulo para que os alunos continuem estudando. Além disso, ao pensar no uso dos EPI’s, os cuidados com a saúde desses cultivadores de hortaliças representarão menos propagação de doenças pelo uso de agroquímicos, o que automaticamente, significa menos gastos à rede de saúde municipal. Observamos também, a necessidade de mostrar para as crianças a importância que as plantas tem função de atuar em nossa saúde como a prevenção e até cura de algumas doenças. A promoção da saúde permite que as pessoas adquiram maior controle sobre sua qualidade de vida. Através da adoção de hábitos saudáveis, não só os indivíduos mas também suas famílias e comunidade se apoderam de um bem, um direito e um recurso aplicável a vida cotidiana. Da Educação Infantil ao Ensino Fundamental, o cuidar e o educar caminham juntos. Quando se está cuidando está educando. Para que possamos promover o Cuidar e o Educar para nossas crianças é necessário a garantia de seu desenvolvimento integral. Desde cedo as crianças precisam ser incentivadas a conhecerem e obterem hábitos de alimentação saudável para que elas possam desenvolver-se bem na infância, na adolescência e na vida adulta. Dessa forma, precisam ser estimuladas a consumir os alimentos que estão disponíveis na natureza (frutas, verduras e legumes) preferencialmente os alimentos típicos de sua região. Portanto, o presente projeto justifica-se por desenvolver nas crianças hábitos alimentares sadios e consequentemente em seus núcleos familiares conhecendo e adquirindo o gosto pelo consumo de frutas, verduras e legumes colhidas na sua comunidade e conscientizá-los da importância de uma boa alimentação regrada e nutritiva para que tenham boa saúde. Portanto este projeto propõe ampliar o conhecimento dos alunos, ensinando a cada um a cuidar melhor da alimentação, pois, enxergamos que uma das melhores formas de promover a saúde é através da escola. Por fim, visa à sustentabilidade dos recursos naturais, à medida que a natureza é preservada em relação aos agentes químicos e ao uso correto e manejado do solo.

Objetivo

Implantar a Horta Escolar, oferecer capacitação para os servidores do quadro administrativo, professores e coordenadores da rede municipal de educação do município de Jaraguá-Goiás com intuito de que os produtores tenham maior conhecimento da agricultura urbana e possam atuar como multiplicadores na implantação da horta escolar na rede municipal e aumentar sua produtividade fazendo uso sustentável do solo, protegendo assim, o meio ambiente. Ao mesmo tempo esses multiplicadores servirão como espelho aos alunos que irão observar a importância dos estudos e da educação em qualquer projeto a se desenvolver, nesse caso, relacionados à atividades pertinentes a prática de alimentação saudável, promoção de saúde pública, agricultura urbana, horta escolar. A horta escolar tem como foco principal integrar as diversas fontes e recursos de aprendizagem, integrando ao dia a dia da escola gerando fonte de observação e pesquisa exigindo uma reflexão diária por parte dos educadores e educandos envolvidos. E abrange propostas interessantes como a valorização e a importância do trabalho e cultura do homem do campo; O conhecer técnicas de cultura orgânica; Estabelecer relações entre o valor nutritivo dos alimentos cultivados; – Compreender a relação entre solo, água e nutrientes e compreender a importância de uma alimentação equilibrada para a saúde;

Metodologia

Este projeto iniciou-se no mês de abril de 2021, quando foi feita uma reunião entre os representantes do projeto para se decidir e discutir sobre o tema a ser desenvolvido. Neste mesmo mês também realizou-se pesquisas bibliográficas a respeito do tema a ser desenvolvido e iniciou-se a busca por parcerias e levantamentos de dados que viessem de encontro a proposta central do projeto, a implantação das hortas nas escolas e promover a agricultura urbana nos domicílios dos estudantes da rede municipal. Segue em esquema o passo a passo : o Reunião com colaboradores e parceiros para dialogar sobre o projeto o Videoconferência – Roda de Conversa – Proposta do Projeto aos Servidores o Visita técnica em área específica para verificação de solo com profissional da área de agronomia o Videoconferência – Tema – Curso de Olericultura o Preparação do solo- limpeza da área com mão de obra voluntária dos reeducandos do Centro de Inserção do município de Jaraguá. o Solicitação de Curso para capacitação dos multiplicadores das instituições de ensino da rede municipal via SENAR/FAEG GO. o Capacitação dos colaboradores com o Curso de Olericultura promovido pelo SENAR/FAEG –GO durante 03 dias entre teoria e prática. o Atividades em Campo – levantamento dos canteiros e preparo do solo o Atividades em Campo – plantio das mudas de hortaliças o Atividades diárias de regar, carpir realizadas de forma escalonada pelos profissionais das instituições de ensino, crianças em menor número e de idade mais avançada acompanhada da professora e pelos pais. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora e aula ministradas por profissionais agrônomos, esclarecendo e pontuando sobre o processo de cultivo das hortaliças. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora com intuito de fazer a colheita e aula ministradas por profissionais agrônomos, esclarecendo e pontuando sobre o processo de colher. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora com intuito de fazer a colheita e promover a doação para instituições tais como Abrigo de Idosos do município e Centro de Inserção dos Reeducandos, colheita esta, que seria utilizada no preparo das refeições para os membros destas instituições. o Atividades em Campo – levantamento dos canteiros e preparo do solo o Atividades em Campo – plantio das mudas de hortaliças o Atividades diárias de regar, carpir realizadas de forma escalonada pelos profissionais das instituições de ensino, crianças em menor número e de idade mais avançada acompanhada da professora e pelos pais. o Atividades em Campo – Colheita de hortaliças para serem entregues juntamente com o Kit Alimentação de Merenda Escolar para os estudantes da rede municipal de educação. E de acordo com o calendário e após as hortas estarem em total produção esse ciclo metodológico se repete. Preparar canteiro, plantar, colher e entregar sempre nas datas marcadas, cujo dia também é a entrega do Kit Alimentação da Merenda Escolar.

Atores envolvidos (institucionais e/ou coletivos)

PREFEITURA MUNICIPAL DE JARAGUÁ – GO SECRETARIA MUNICIAPAL DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E CULTURA DO MUNCÍPIO DE JARAGUÁ -GO ESCOLAS E CMEIS DA REDE MUNICPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE JARAGUÁ-GO SINDICATO RURAL DE JARAGUÁ-GO SENAR/FAEG GO FAEG/JOVEM GO CENTRO DE INSERÇÃO DOS REEDUCANDOS (PRESÍDIO) DO MUNICÍPIO DE JARAGUÁ

Estratégias

Segue em esquema o passo a passo : o Reunião com colaboradores e parceiros para dialogar sobre o projeto o Videoconferência – Roda de Conversa – Proposta do Projeto aos Servidores o Visita técnica em área específica para verificação de solo com profissional da área de agronomia o Videoconferência – Tema – Curso de Olericultura o Preparação do solo- limpeza da área com mão de obra voluntária dos reeducandos do Centro de Inserção do município de Jaraguá. o Solicitação de Curso para capacitação dos multiplicadores das instituições de ensino da rede municipal via SENAR/FAEG GO. o Capacitação dos colaboradores com o Curso de Olericultura promovido pelo SENAR/FAEG –GO durante 03 dias entre teoria e prática. o Atividades em Campo – levantamento dos canteiros e preparo do solo o Atividades em Campo – plantio das mudas de hortaliças o Atividades diárias de regar, carpir realizadas de forma escalonada pelos profissionais das instituições de ensino, crianças em menor número e de idade mais avançada acompanhada da professora e pelos pais. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora e aula ministradas por profissionais agrônomos, esclarecendo e pontuando sobre o processo de cultivo das hortaliças. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora com intuito de fazer a colheita e aula ministradas por profissionais agrônomos, esclarecendo e pontuando sobre o processo de colher. o Atividades pedagógicas em campo com número reduzido de crianças acompanhadas pela professora com intuito de fazer a colheita e promover a doação para instituições tais como Abrigo de Idosos do município e Centro de Inserção dos Reeducandos, colheita esta, que seria utilizada no preparo das refeições para os membros destas instituições. o Atividades em Campo – levantamento dos canteiros e preparo do solo o Atividades em Campo – plantio das mudas de hortaliças o Atividades diárias de regar, carpir realizadas de forma escalonada pelos profissionais das instituições de ensino, crianças em menor número e de idade mais avançada acompanhada da professora e pelos pais. o Atividades em Campo – Colheita de hortaliças para serem entregues juntamente com o Kit Alimentação de Merenda Escolar para os estudantes da rede municipal de educação. E de acordo com o calendário e após as hortas estarem em total produção esse ciclo metodológico se repete. Preparar canteiro, plantar, colher e entregar sempre nas datas marcadas, cujo dia também é a entrega do Kit Alimentação da Merenda Escolar.

Resultados alcançados

Entre os benefícios alcançados com o projeto horta escolar, se destaca a produção e consumo de alimentos naturais pelos alunos, atividades ligadas à culinária na escola, troca de conhecimentos, inserção de assuntos como a economia doméstica, a promoção da agricultura urbana, a influência nas escolhas alimentares das crianças, na prática as consequências que ações do homem têm em relação ao meio ambiente. As hortas também podem inserir a comunidade, trazendo para o projeto os pais e familiares dos alunos. As crianças servem de multiplicadores, porque levam o que aprendem na escola para casa e, deste modo, a influência da horta não se restringe à escola. O resultado do projeto horta na escola são espaços físicos de áreas públicas melhores aproveitados onde o produzir do alimento gerará e proporcionará as crianças melhor saúde alimentar e conscientização da boa alimentação e consumo de alimentos saudáveis, gerará alunos mais conscientes que levam para a vida ensinamentos ecológicos, amplificando a necessidade de uma mudança de postura que é preciso implantar na sociedade com relação à natureza. Horta na Escola é um projeto realidade tanto para as instituições de ensino na área urbana quanto nas instituições de ensino da área rural, onde todos os colaboradores abraçaram as ações e se mobilizaram para que os enfrentamentos perante as dificuldades sobre o cultivo e produção fossem sanadas com auxílio de profissionais técnicos e capacitados, gerando assim maior segurança em todos para a concretização e colheita da produção. E no campo pedagógico a estratégia de trazer a prática para a aula de forma escalonada e com número reduzido de crianças nos canteiros da escola serviu como estímulo e motivação para que as crianças não se sentissem tão confusas e com medo do inimigo invisível mediante ao vírus do COVID-19 e deste modo, a teoria passada em aulas online ganham exemplos reais e deixam de serem abstratas. Através deste projeto, ficou clara a importância de explorar temas ligados à educação ambiental e alimentar, uma vez que as crianças sofrem com a falta de alimentação nutricional adequada e rica em nutrientes em suas casas. O projeto mostrou sua importância com a promoção da qualidade nutricional das hortaliças e alimentação para as crianças, visto que cerca de 80% é suprida pela alimentação fornecida na escola. Ao longo do decorrer das ações do projeto, desde o preparo até a colheita, as crianças puderam comprovar a germinação das sementes e o o desenvolvimento das verduras, legumes e folhas por meio das aulas em campo e online, vivenciando assim a experiência realizada. Além do aspecto citado, esses alimentos presentes no ambiente escolar passam a ter um novo significado para as crianças, pois elas passam a entender que, antes de chegar aos mercados, os alimentos passaram por todo o processo de “crescimento” que elas puderam vivenciar. Desta forma, é importante ressaltar que, entre a alimentação adequada, sua aceitação e o entendimento de que esta é a melhor opção há uma grande distância que certamente é diminuída quando a criança tem a oportunidade de acompanhar o desenvolvimento do próprio alimento. Os resultados e objetivos traçados foram positivos, pois trabalhar com crianças permite um grande aproveitamento, pois elas se entregam ao conhecimento e buscam aprender sempre mais. As hortas de todas as unidades puderam proporcionar uma boa rentabilidade, pois obteve-se pouca perda com ataque de praga, onde aplicamos controle de pragas natural sem veneno, utilizou-se o fumo, resultado bom. Dos colaboradores houve aprendizado e expectativa de continuidade do projeto com alunos de todas as unidades escolares quiçá de forma presencial com todas as turmas. Levando em conta, o uso das hortaliças para merenda de alunos carentes que contribui para a escola oferecer alimento de boa qualidade, sem agrotóxico, inserindo na alimentação escolar um hábito mais saudável e com as hortaliças melhora o desempenho do aluno. O custo beneficio do projeto e inestimável, pois valoriza o meio ambiente e nos proporciona mais conhecimento.

Considerações finais

A horta inserida no ambiente escolar torna-ser um laboratório vivo que possibilita o desenvolvimento de diversas atividades pedagógicas em educação ambiental e alimentar, unindo teoria e prática de forma contextualizada, auxiliando no processo de ensino aprendizagem e estreitando relações através da promoção do trabalho coletivo e cooperado entre os agentes sociais envolvidos. Pode ser observado no projeto, que ele desenvolve um papel importante, auxiliando a comunidade escolar no planejamento, execução e manutenção das hortas, levando até ela princípios de horticultura orgânica, compostagem, formas de produção dos alimentos, o solo como fonte de vida, relação campo-cidade, entre outros. O ensino-aprendizagem ocorreu e tornou-se possível quando, além de despertar curiosidades e valores sociais , tornou os alunos capazes de analisar e discutir sobre o assunto. Além de torná-los mais preparados para uma vida saudável, através de alimentos que ofereçam os nutrientes, sais minerais e vitaminas suficientes, para uma maior qualidade de vida. A educação ambiental é marcada pela necessidade de definir sua identidade frente a outros campos da educação encontra no conceito de interdisciplinaridades, uma união das áreas educativas para que se possa aprimorar o conceito e aplicação da educação ambiental e o uso da educação no PROJETO HORTA NA ESCOLA, UMA QUESTÃO DE EMPATIA pode promover novos hábitos alimentares levando ao seu consumo freqüentemente. Com a proposta implantada nas escolas e CMEIS obtiveram-se ganhos positivos com resultados esperados alcançados, através de mudanças alimentares e consumo diário pelos alunos e de pais que relataram que passaram a consumir hortaliças devido às cobranças dos filhos. Percebe-se, portanto, que é notório que a horta contribui para um ensino e aprendizagem, tanto para inserção ao consumo das hortaliças como para uma consciência ambiental e sustentável, cabendo ao educador buscar informações especificas. A relevância deste projeto para os todos os servidores foi grande, sendo gratificante trabalhar o tema horta na escola proposto pela SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E CULTURA, através do qual se pode chegar aos resultados alcançados, com um ganho valoroso que foi trabalhar com crianças que se permitem aprender e tem o poder de passar para sua família o que aprenderam e acima de tudo com a garantia de que toda a produção foi e está sendo investida no consumo alimentar de todas as crianças da rede municipal de educação.