APSREDES

Governança Regional no Paraná une forças para combater à #Covid-19

capaaps8

Autor: Luana Carla Tironi De Freitas Giacometti

Coautores: Edinalva Moura e Edileuza de Fátima Rozine Nardi

A Governança Regional no Paraná, composta pelo Conselho Regional de Secretarias Municipais de Saúde (CRESEMS), pela Regional de Saúde (RS) e Conselho Estadual de Secretários de Saúde (COSEMS), criou o Comitê Organizativo de Emergências (COE) para discutir ações regionais e municipais, que estão sendo colocadas em prática pelos 17 municípios do estado, durante a pandemia.

Os prefeitos também foram integrados, mostrando a importância do processo de regionalização e de organização dos atendimentos municipais de forma linear na região. A tomada de decisão e organização dos serviços são coletivas, todas as ações precisam passar pelo comitê.

“Os municípios não podem executar a assistência sem o envolvimento do estado, e o estado não pode definir sozinho o que os municípios vão executar, é por isso que a Governança Regional traz ações efetivas que salvam vidas no dia a dia da população”, explica Luana Giacometti, apoiadora do COSEMS do Paraná.

 

Ações desenvolvidas

 

“Discussão sobre o funcionamento da APS, compartilhamento das experiências exitosas, orientações e recomendações aos profissionais de saúde, tomada de decisões coletivas, melhor negociação para compra de EPIs, elaboração de Manual de Recomendações com informações da APS, Vigilância em Saúde, de notas informativas do Estado e do Ministério da Saúde, são essas algumas das atividades realizadas neste comitê, para que todos tenham um alinhamento do processo de trabalho enquanto região, proporcionando troca de experiências e educação permanente”, explica Giacometti.

Os protocolos de atendimento também foram padronizados, com o apoio de três infectologistas. Também foi criada uma planilha regional na qual os municípios e os hospitais preenchem os dados dos usuários para o monitoramento e identificação territorial dos casos, com a finalidade de acompanhar cada município.

“Em conjunto, construímos o comitê com reuniões semanais para fazer análise epidemiológica, de dados e tomada de decisão. A APS não parou de funcionar, teve só uma reorganização do processo de trabalho”, explica Luana Giacometti.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde (CISVIR) – centro de especialidade e com multiprofissionais – continuou com os atendimentos através de teleatendimento, teleconsulta e tele interconsulta, e em alguns casos, os profissionais de saúde têm ido pessoalmente realizar o atendimento para o usuário não sair de casa. Segundo a facilitadora do Cosems, essas ações fazem com que a população se sinta mais  amparada e segura.

“A experiência juntou tudo em um mesmo momento, conseguimos fazer uma integração da APS com a vigilância, usar os meios de informação, potencializar as redes nos pontos de atenção e conseguimos observar os resultados vendo o índice de incidência na região. Nenhum município trabalha sozinho”, finaliza Luana Giacometti.

 

GOVERNANÇA REGIONAL PARA O ENFRENTAMENTO DO COVID-19

GOVERNANÇA REGIONAL PARA O ENFRENTAMENTO DA COVID-19

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram