Fortalecimento e inovação da APS nos estados do Nordeste no combate à pandemia do novo coronavírus

Autor: Heider Aurélio Pinto

Coautores: José Santos Souza Santana, Luísa Da Matta Machado Fernandes e Miguel Al Nicolelis

Comitê Científico de Combate ao Coronavírus fortalece APS e cria plataformas online para o enfrentamento da #Covid-19 no Nordeste

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, que tem a participação dos nove estados da região, criou o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus (C4) com o objetivo de reunir evidências, realizar estudos e propor ações para o enfrentamento da Covid-19, com foco no fortalecimento e no reposicionamento da Atenção Primária à Saúde (APS). Como produtos, o comitê criou plataforma online de monitoramento (Monitora Covid-19), a Sala de Situação e a Plataforma Eletrônica da Saúde (iPES) para aprimorar a comunicação entre os usuários e os profissionais de saúde.

O objetivo do C4 é garantir atenção à saúde em tempo oportuno, proteger o usuário evitando deslocamentos e exposição a riscos desnecessários, subsidiar decisões de cuidado e da gestão de saúde, além de monitorar a situação de saúde e realizar a detecção precoce de sintomáticos.

“Cada município tem um padrão nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), o que fizemos foi reforçar a importância do reposicionamento da APS e como poderia atuar fortemente no território para diminuir a contaminação. Cada município organiza da sua forma e nós circulamos as experiências”, explica Heider Aurélio, coordenador do projeto da iPES. O objetivo do C4 foi desenvolver soluções que apoiassem a APS no enfrentamento da pandemia, em parceria com as Equipes de Saúde da Família.

 

Funcionamento das plataformas online

 

Foi criado um portal clínico, o Registro Eletrônico da Saúde (RES), para consolidar todas as informações dos usuários e independentemente da UBS em que o usuário for atendido o profissional de saúde pode acessar todo o seu histórico. Também foi disponibilizada uma equipe específica para fazer busca ativa, ajudando a reduzir o contágio.

“Na plataforma da saúde foram plugadas algumas soluções, como o Monitora Covid-19, aplicativo desenvolvido com mais de 80 mil usuários cadastrados, 50 mil atendimentos já realizados por médicos para orientações. É uma estratégia importante de atendimento remoto”, pontua Heider. O aplicativo alimenta a iPES (Plataforma Eletrônica da Saúde), também possui site e todos os acessos são realizados com cadastro e senha. O aplicativo Monitora Covid-19 identifica pessoas com sintomatologia da doença, segundo protocolo de alta sensibilidade, classifica-as por gravidade dos sintomas e fatores de risco e possibilita o atendimento e monitoramento remoto por profissionais de saúde.

A partir do aplicativo, as informações são georreferenciadas na Sala de Situação para triangulação e análises territoriais. Permite ainda que as equipes da APS identifiquem usuários em seu território com sintomas de Covid-19 e deem suporte ao modo de atuação das Brigadas Emergenciais de Saúde.

A Sala de Situação está disponível para todos os estados e a diversos municípios. O Monitora Covid-19 está disponível nacionalmente e conta com equipes de retaguarda clínica em cinco estados nordestinos. No final de maio, existiam mais de 13 mil pessoas com sintomatologia de Covid-19 em monitoramento. Informações sistematizadas das três estratégias e de soluções estaduais como o TeleCorona/BA, e Atende em Casa/PE, apoiam análises do C4 e subsidiam as recomendações à Assembleia de Governadores nas decisões relacionadas à pandemia.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Comentários