APSREDES

Combate ao tabagismo, alimentação saudável e atividades físicas promovem a saúde das comunidades

WhatsApp Image 2022-03-31 at 19.32.08

Com ações que fomentam a alimentação saudável nas escolas, o cuidado integral dos tabagistas e a promoção da atividade física, as secretarias municipais de saúde Porto Alegre – RS, Belo Horizonte – MG e Jaboatão dos Guararapes – PE foram selecionadas para compor o grupo de finalistas do Prêmio APS Forte: Integralidade do Cuidado. As experiências foram apresentadas nesta quinta-feira (31/03), durante a live do Eixo 4 – Promoção da Saúde, que reúne as práticas desenvolvidas pela Atenção Primária à Saúde em prol da saúde da comunidade. A apresentação encerrou o ciclo de quatro encontros virtuais destinados à divulgação das doze experiências finalistas do Prêmio.

Na abertura do seminário, a técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Maria José Evangelista, destacou o papel da Atenção Primária à Saúde como centro de comunicação das redes de atenção. “A APS é o local do primeiro contato do cidadão. Cabe à APS captar o cidadão, desenvolver ações de prevenção de doenças, recuperação e promoção de saúde, assunto desta live. Não é uma tarefa simples. É muito complexa, mas é fundamental. Tanto a prevenção como a promoção devem ir além da abordagem focada na doença”.

A enfermeira Graziela Tavares, assessora técnica do Ministério da Saúde, observou que a promoção da saúde foi uma das áreas mais afetadas com a pandemia, e as iniciativas selecionadas demonstram a capacidade de inovação da APS neste cenário, criando oportunidades para o cuidado. “Vê-se a importância de extrapolar os muros da unidade, do cuidado olhando para a comunidade e o território, bem como a mobilização social, com a inclusão do coletivo”.

Jaboatão dos Guararapes – PE

Conviver mais: atividade física através da intersetorialidade para munícipes do Jaboatão dos Guararapes

 

O Plano Municipal de Incentivo à Atividade Física – Conviver Mais – foi uma das respostas do município de Jaboatão dos Guararapes – PE aos impactos da pandemia de Covid-19. Ao apresentar o relato da iniciativa, a Secretária Municipal de Saúde, Zelma Pessôa, enfatizou o comprometimento físico e mental das pessoas, além da redução na procura pelos serviços de saúde para cuidados de rotina, como reflexos significativos do contexto pandêmico.

Neste cenário, o Conviver Mais foi lançado com o objetivo de promover, em articulação com a APS, práticas corporais e atividade física regular em diversos espaços públicos, preferencialmente para idosos e pessoas com deficiência. As ações visam a reduzir a inatividade física, promovendo um olhar ampliado em saúde e oportunizando a socialização. Zelma contou que, para alcançar este propósito, foram realizadas busca ativa de idosos e pessoas com deficiência, e a identificação e geolocalização de espaços públicos adequados às práticas, sempre com o engajamento das equipes da APS. “Criamos um mapa para que percebêssemos a distribuição em todo o território. Nosso município tem um território maior que o da capital, Recife, e isso leva a uma série de complicações do ponto de vista de gestão, sobretudo durante a pandemia”.

Segundo Zelma, o planejamento das ações foi desenvolvido de forma coletiva e participativa, envolvendo APS e NASF, com a inserção de residentes da Residência Multiprofissional. Foi formada uma equipe intersetorial, com representantes das secretarias de saúde e esportes. Os profissionais participaram de um acolhimento, para reforçar o engajamento. “A gente queria criar um projeto que fosse também espaço de escuta, além da prática de atividade física”, comentou a Secretária.

Foi necessário, ainda, investir na revitalização, reforma e aquisição de equipamentos, em espaços como praças, quadras de esportes e academias, fortalecendo o pertencimento da população aos locais de práticas. “O projeto, que inicialmente visava a idosos e deficientes, se viu com uma adesão importante também de crianças e adultos. No caso dos idosos, os cuidadores também foram envolvidos nas atividades”, lembrou Zelma.

Entre os principais resultados alcançados com a iniciativa, estão a participação de aproximadamente 500 pessoas em oito espaços, a capacitação e motivação dos profissionais, a promoção da saúde, prevenção e tratamento de DCNT, bem como do envelhecimento saudável. Zelma destacou, ainda, a prevenção de quedas e melhoria da autoestima, a inclusão e fortalecimento de vínculos familiares e sociais, e o fortalecimento da APS como porta de entrada e de referência para o SUS.

 

Porto Alegre – RS

Horta Escolar, do vasinho ao pomar – experiência intersetorial de promoção da alimentação saudável no Programa Saúde na Escola

 

Para o biênio 2021/2022, o município de Porto Alegre aderiu todas as escolas públicas do município ao Programa Saúde na Escola (PSE), que permite a progressiva ampliação intersetorial das ações executadas pelos sistemas de saúde e educação, com vistas à atenção integral à saúde de crianças e adolescentes. A iniciativa envolveu as secretarias municipais e estaduais de saúde e educação.

A nutricionista Annelise Barreto Krause, do Núcleo de Promoção da Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, explicou que uma das razões que levaram o município a ampliar a adesão ao PSE foram alguns indicadores preocupantes que a capital gaúcha apresenta na área de saúde e nutrição. Porto Alegre é a segunda capital com o maior número de habitantes com excesso de peso, a capital com o maior consumo semanal de refrigerantes e ultraprocessados. Os indicadores demonstram, ainda, que é a capital com mais diagnósticos de diabetes e a terceira capital com mais diagnósticos de hipertensão.

Por outro lado, Porto Alegre é referência no Programa Nacional de Alimentação Escolar e possui projeto de educação ambiental reconhecido em sua rede de ensino. Considerando as potencialidades e fragilidades analisadas coletivamente, o município optou por adotar a horta escolar como espaço de promoção da alimentação saudável no PSE/Crescer Saudável. Os principais objetivos foram a promoção da alimentação saudável e adequada, por meio da criação de hortas escolares, como espaços fomentadores de hábitos alimentares saudáveis e educação ambiental de forma integrada.

Entre as ações desenvolvidas, estão avaliação do estado nutricional das crianças menores de dez anos e dos marcadores de consumo alimentar. Foram ofertadas atividades coletivas de promoção da alimentação adequada e saudável, atividades coletivas de práticas corporais e atividades físicas, além de atendimento individual a crianças menores de dez anos identificadas com obesidade. “Para nossa atuação, usamos três eixos: vigilância alimentar e nutricional, as Hortas Escolares e o projeto Amamentar é Tri,” comentou a nutricionista.

O programa Horta Escolar envolve 45 escolas estaduais, 55 escolas conveniadas e 48 escolas municipais. Durante a apresentação da iniciativa, Annelise exibiu o vídeo de um menino que levou o modelo da horta escolar para casa. “Este é nosso sonho, que as crianças levem esta experiência para além da escola”, disse.

Belo Horizonte – MG

Inovação, articulação intersetorial, mobilização e assistência: um novo olhar para o cuidado integral dos tabagistas

 

Em Belo Horizonte – MG, as equipes de saúde perceberam que as medidas de distanciamento para mitigar o impacto da pandemia desencadearam aumento do consumo de cigarros e da exposição involuntária à fumaça. A gerente de Promoção à Saúde da Subsecretaria de Promoção e Vigilância em Saúde da SMS, Tatiane Caetano, relatou que, diante deste contexto epidemiológico, as equipes de saúde do município avaliaram que seria necessária uma reaproximação com os usuários e uma “reinvenção do cuidado”. Foram desenvolvidas, então, ações de educação em saúde e mobilização social. “Todas as ações necessitaram de articulações inter e intrasetoriais, com processos que aconteceram de forma inovadora, sem deixar de levar em conta a importância da territorialização. As estratégias estavam voltadas para a ampliação do acesso”, contou Tatiane.

As atividades envolveram ações de educação em saúde e mobilização social, em locais como estações de metrô, transportes coletivos, restaurantes populares, praças, Academias da Cidade e UPAs. Também foram desenvolvidas atuações intersetoriais, presenciais e virtuais, como rodas de conversas e lives, em articulação com o legislativo e organizações da sociedade civil.

Segundo Tatiane, em 2021, as ações do Programa impactaram em torno de 12 mil usuários.  Foram aplicados 530 testes de Fargestrom em espaços públicos. Nas Academias da Cidade, foram realizadas 98 rodas de conversa. Aconteceram, ainda, 60 apresentações do grupo de teatro MobilizaSUS e a distribuição de sete mil cartilhas. As ações da assistência foram articuladas concomitantemente com ações de educação permanente, salientou Tatiane. “Nós acreditamos que a assistência é a chave para apoiar a liberdade do usuário tabagista que manifesta o desejo de parar de fumar”, frisou.

No contexto pandêmico, em 2021, mais de 2,7 mil pacientes foram tratados, por meio de ofertas da Abordagem Intensiva Coletiva em 33 Centros de Saúde da Rede SUS-BH. A parceria com o Movimenta PBH, com a GAFIE e com o Lian Gong possibilitou o acesso a 18 tipos de terapias. A articulação em rede com a Atenção Terciária viabilizou o início de um projeto piloto direcionado a pacientes tabagistas das clínicas cirúrgica e vascular do Hospital Odilon Behrens.

Entre os desafios apontados no relato de Tatiane, estão ampliar a oferta do tratamento do tabagismo na rede SUS-BH, qualificar os profissionais da APS nas Abordagens Breve e Intensiva, conforme novo protocolo do INCA, inovar os mecanismos de comunicação com a rede SUS-BH e com os usuários, e ampliar a oferta ao tratamento do tabagismo durante a internação hospitalar, garantindo a continuidade pós-alta na APS.

 

Anúncio dos vencedores

 

Os vencedores do Prêmio APS Forte no SUS 2021 serão conhecidos no próximo dia 07 de abril, quando se comemora o Dia Mundial da Saúde. A divulgação vai ocorrer em cerimônia, na sede da OPAS/OMS Brasil, com a presença de autoridades e equipes técnicas da OPAS/OMS no Brasil, do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), além de todos os autores finalistas e de outros atores envolvidos nesta iniciativa.

 

Assista à íntegra da live:

 

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram