Cofen promove oficina para elaboração de Protocolos na Atenção Primária

Representantes dos Conselhos Regionais de Enfermagem estão reunidos em Brasília para tratar dos Protocolos de Enfermagem na Atenção Primária em uma oficina promovida pelo Cofen dias 25 e 26/4 . O objetivo é fornecer todos os subsídios sobre o tema, debater a proposta de implantação nos estados e definir as etapas operacionais. Esta já é a segunda etapa do processo, depois que foram lançadas as “Diretrizes para elaboração de Protocolos de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde pelos Conselhos Regionais”.

A abertura da oficina foi feita pelas enfermeiras Elisabete Pimenta, da Comissão de Práticas Avançadas em Enfermagem (CPAE), e Silvia Neri, da Comissão de Atenção Básica (CTAB).

A programação iniciou com a apresentação do modelo de Santa Catarina pela conselheira do Coren/SC, Elizimara Siqueira, coordenadora de Enfermagem da Prefeitura de Florianópolis, que detalhou como foram desenvolvidos os protocolos e a sistemática em que as prefeituras assinam termos de adesão e os enfermeiros recebem capacitação para implantação nas Unidades Básicas de Saúde. “Temos muitos desafios ainda, como consolidar o conceito que a prescrição de cuidados pelo enfermeiro abrange a prescrição de medicamentos e solicitação de exames”, disse Elizimara, destacando pontos como a ampliação de pesquisas para detectar a resolutividade da consulta de Enfermagem, economicidade para o Sistema Único de Saúde (SUS) e satisfação do usuário.

Após, a colaboradora do Cofen, Luana Ribeiro, professora da Universidade Federal de Goiás, mostrou métodos favoráveis para elaborar os protocolos e apresentou os modelos de Goiás, Santa Catarina, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. “Alguns fatores são fundamentais nesta construção dos protocolos, como considerar a Sistematização da Assistência em Enfermagem, o trabalho em equipe e o respaldo da legislação, sendo o foco nas atribuições dos profissionais de Enfermagem”, afirmou.

Os participantes puderam levantar questionamentos com dúvidas sobre a prática nos estados que já desenvolveram os protocolos. Durante a tarde, ocorreu explanação do papel dos apoiadores, que são os que desenvolvem as oficinas e irão organizar os grupos em cada regional, e dos facilitadores, que são os representantes dos regionais.

A próxima etapa é realizar uma discussão da proposta para os estados e, após, definir as equipes de trabalho, as fases operacionais os encaminhamentos necessários para execução das próximas fases. O objetivo é terminar o ano com a elaboração dos grupos de trabalho e implantação dos protocolos em todos os estados.

Fonte texto e foto: Ascom – Cofen (com colaboração do Coren-SC)