APSREDES

CNS e Ceap: Nova formação para conselheiros de saúde e lideranças sociais começa a partir de 15/08

capa-30-07

Serão 40 turmas, oferecidas de forma virtual e gratuita, para ampliar rede em defesa da democracia, da vida e do SUS como política pública, universal e equânime

Conselheiros estaduais e municipais de saúde e lideranças de movimentos sociais já podem se inscrever para as novas turmas do projeto de Formação para o Controle Social no SUS – 2ª edição. Promovidas pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e Centro de Educação e Assessoramento Popular (Ceap), as oficinas serão realizadas a partir de 15 de agosto, de forma virtual e gratuita.

Para conhecer o calendário e se inscrever basta acessar o site www.formacontrolesocial.org.br. As oficinas são realizadas em dois dias, com um intervalo de uma semana entre uma turma e outra. Até o final de outubro, serão realizadas 40 oficinas para atender conselheiros de saúde e lideranças de todos os estados brasileiros.

O conteúdo das aulas inclui os seguintes temas: Covid-19, conceito de saúde e concepção de sociedade; História das políticas públicas de saúde e do SUS; Financiamento do SUS; Modelo de atenção e organização das ações e serviços no SUS; Controle Social no SUS e Ciclo orçamentário e instrumentos de planejamento do SUS.

Além de capacitar os participantes, o projeto também visa que os inscritos possam multiplicar ações em defesa do SUS em seus territórios e comunidades.

Promovido por meio da Comissão Intersetorial de Educação Permanente para o Controle Social do SUS (CEIPCSS) do CNS, o projeto é realizado em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Impacto positivo

Esta será a continuidade da edição que se iniciou em abril e, desde então, já alcançou 800 conselheiros de saúde e lideranças sociais em todo país, em 41 turmas. Para a coordenadora da CEIPCSS, Sueli Barrios, promover novas turmas a partir de agosto é resultado do impacto positivo das atividades realizadas e atende à demanda de conselhos de saúde e comissões de educação permanente, para qualificar e fortalecer o papel político dos conselheiros e lideranças sociais diante da profunda crise sanitária e humanitária que estamos vivendo no Brasil.

“Continuaremos com o desafio de formar uma rede de multiplicadores, para que todos saiam das oficinas com o compromisso de mobilizar corações e mentes na luta em defesa da democracia participativa, da vida, da saúde como direito humano e do SUS como política pública, universal, equânime e com forte participação social”, afirma.

“É uma estratégia de mobilização da sociedade brasileira. Ao proporcionar a qualificação das lideranças e conselheiros de saúde, colocamos em marcha a resistência ao desmonte do SUS e damos vida ao capítulo da saúde pactuado em 1988, de que a saúde é um direito de todas e todos e dever um dever Estado”, completa o coordenador executivo do Ceap, Valdevir Both.

 

Fonte: susconecta.org.br

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram