Centro de Obesidade Infantil – COI (Campina Grande)

Em Campina Grande/PB, o Centro de Obesidade Infantil (COI) configura-se como um serviço ambulatorial e especializado de referência em obesidade, atendendo crianças e adolescentes com obesidade ou sobrepeso encaminhados da Atenção Básica e por demanda espontânea. Criado em 2008, por meio de uma parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), o COI acompanha semanalmente uma média de 25 usuários, comparecendo em torno de duas vezes por mês. A triagem é realizada uma vez por semana e se o indivíduo atender aos critérios estabelecidos para a inclusão no programa, é encaminhado para acompanhamento com endocrinologista, nutricionista, profissional de Educação Física e, em casos especiais, com psicólogo.

Semanalmente, antes do atendimento com os especialistas, acontecem atividades educativas coletivas com encontros dinâmicos e integrativos, com momentos que envolvem atividade física, painéis de colagem, desenhos, jogos, apresentação audiovisuais, entre outros. É abordado um tema por mês, evidenciando a importância da prática de atividade física, da alimentação saudável, das consequências da obesidade e da participação familiar nas mudanças comportamentais e na adesão ao tratamento.

Além disso, em datas comemorativas, os usuários e seus familiares são convidados, antecipadamente, para a participação em eventos festivos. Estudo realizado no COI verificou que as crianças e adolescentes que estavam em acompanhamento regular por dois anos apresentaram melhora do estilo de vida e do hábito alimentar, consumindo menos refrigerante, massa e guloseimas e aumentando as horas de atividade física semanal.

Para pensar e refletir:

As dinâmicas de grupo são utilizadas para provocar algum tipo de mobilização ou de reflexão nos participantes. Essas reflexões visam trazer ao debate temas diversos, como crenças e noções dos participantes a respeito de algo, sobre a forma como o grupo se comporta ou mesmo sobre o comprometimento e as expectativas com os resultados da atividade. Esses momentos podem ser propícios para o autoconhecimento, reflexões coletivas ou difusão de informações sobre algum tema específico, além de estimular as pessoas a expressarem suas vivências ao grupo. É possível encontrar ampla gama de dinâmicas com diferentes objetivos e metodologias. A construção de grupos com a participação de docentes e discentes qualifica o trabalho e possibilita a formação de força de trabalho para atuação nos serviços. Quais dinâmicas de grupo são desenvolvidas pela sua equipe de saúde?

Existem instituições de ensino em seu município para realizar parceria e contribuir para formação de força de trabalho qualificada para o Sistema Único de Saúde?

Para saber mais: Acesse o Caderno de Atenção Básica nº 39: Núcleo de Apoio à Saúde da Família – ferramentas stop-depression-now.com e o trabalho cotidiano e o Caderno de Atenção Básica nº 38 – Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica Obesidade.

– Em seu município há instituições de ensino para realizar a integração ensino-serviço?

Leia mais:

“Perspectivas e Desafios no Cuidado às Pessoas com Obesidade no SUS: Resultados do Laboratório de Inovação no Manejo da Obesidade nas Redes de Atenção à Saúde”

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Comentários