Cenários para Sustentabilidade do Sistema Único de Saúde

A troca de conhecimento científico entre pesquisadores e gestores da saúde foi a marca do seminário Cenários para Sustentabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS) realizado na segunda-feira (4/12), em Brasília. A atividade faz parte da agenda 30 anos do SUS, que SUS para 2030?, proposta pela OPAS para contribuir com o debate técnico sobre as opções de fortalecimento do SUS, identificando cenários, desafios e opções viáveis para a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil. Pesquisadores nacionais e internacionais apresentaram evidências sobre o impacto das medidas de austeridade fiscal em políticas de saúde na Europa e prospecção para o Brasil e também resultados preliminares de pesquisas sobre o perfil da gestão municipal da saúde e percepções de atores da saúde sobre o futuro do SUS. O encontro contou com apoio do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretários Saúde (Conass) e do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Para o Secretário Estadual de Saúde do Ceará, Henrique Javi, o Conass tem um papel relevante em propagar a informação sobre os efeitos das medidas de austeridade fiscal na saúde e levar o debate para as 27 Unidades da Federação, para que os gestores se mobilizem e divulguem também para a população sobre o risco para as políticas sociais. “Tivemos acesso a dados consistentes e agora temos argumentos para contrapor as medidas de austeridade fiscal implementadas pela Emenda Constitucional 95 que congela os gastos em Saúde por 20 anos. Os dados apresentados podem ser extrapolados para outras políticas sociais do Brasil e me deixa muito ansioso em poder dar consecução aos debates que a OPAS iniciou. Não vai ser com a austeridade fiscal, que pode trazer danos irreversíveis para a população, que a gente vai conseguir fazer o país entrar na rota do desenvolvimento”, defende Javi.


Apresentações

FOTOS

ENTREVISTAS

Organização Pan-Americana de Saúde

Choose Your Style