Campo Grande integra o Laboratório de Inovação em APS Forte

Campo Grande (MS) é o novo integrante do Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde Forte (APS Forte), desenvolvido pela Organização Pan- Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (24/10), em reunião na sede da OPAS, em Brasília, onde o secretário de saúde, Marcelo Vilela, apresentou a organização do sistema sanitário de Campo Grande e as metas da gestão para o grupo condutor do Laboratório de Inovação em APS Forte. Campo Grande passa a compor a iniciativa que participam as secretarias de saúde de Porto Alegre, Teresina e Distrito Federal.

No próximo mês, será realizada uma visita técnica em Campo Grande para que o grupo condutor do Laboratório de Inovação conheça as medidas que estão sendo adotadas pelo município para a expansão da Atenção Primária à Saúde. O convite para que Campo Grande integrasse o Laboratório de Inovação partiu do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, que apoia a metodologia de cooperação técnica desenvolvida pela OPAS.

“A prioridade da nossa gestão é a mudança do modelo de saúde ainda muito focado nas urgências, temos seis Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), para um modelo mais preventivo e integral de cuidado por meio da expansão e do fortalecimento da Atenção Primária”, defendeu o secretário Marcelo Vilela. Atualmente, a cobertura populacional da APS em Campo Grande é de 60%, um salto do que era em janeiro de 2017, quando registrava cerca de 35% de cobertura populacional.

“O DAB reconhece o esforço que a gestão de Campo Grande está fazendo para ampliar a atenção básica e, neste momento, entendemos que a troca de conhecimento com outros entes da federação, por meio da participação no Laboratório de Inovação, irá qualificar ainda mais este trabalho”, afirmou Webster Pereira. “Para a OPAS é um privilégio acompanhar de perto a mudança de um modelo de saúde ancorado na APS. Ter Campo Grande como um experiência será muito bem-vindo para o Laboratório de Inovação que entrará em um segundo ciclo no próximo ano”, explica Tasca.

Participaram da reunião o coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços da OPAS, Renato Tasca, com os consultores nacionais, Wellington Carvalho, Iasmine Silva e Antônio Ribas (Unidade Técnica de Capacidades para a Saúde da OPAS), o representante do Departamento de Atenção Básica, Webster Pereira, o coordenador da Atenção Básica da SMS de Campo Grande, Gabriel Valdez, e a gerente de Educação Permanente da SMS de Campo Grande, Luciane Lima.

Por Vanessa Borges

Jornalista do Portal da Inovação na Gestão do SUS