Atenção Primária e Saúde Pública: uma integração ainda precária

O Institute of Medicine, uma organização privada sem fins lucrativos sediada em Washington DC (EUA), lançou em 2011 um relatório denominado Primary Care and Public Health: Exploring Integration to Improve Population Health, baseado em estudos de caso realizados naquele país. Entre as conclusões e recomendações destaca-se a necessidade de que seja intensificada a integração entre a Atenção Primária à Saúde (APS) e a Saúde Pública convencional, considerada precária e inadequada naquele país, para que o alcance da melhoria da saúde da população realmente ocorra. “Trata-se de tema particularmente sensível em um país como os Estado Unidos, onde predomina uma lógica privada no sistema de saúde, mas as conclusões do estudo certamente se aplicam a outras realidades mundiais, inclusive ao sistema brasileiro”, pondera o consultor da Opas,  Flávio Goulart.

O estudo recomenda, ainda, que as estruturas nacionais e o financiamento de APS e Saúde Pública sejam aprimorados, abrangendo aspectos tão diversos como a inserção da rede hospitalar no processo de mudança; o investimento em vigilância à saúde e em pesquisa, inclusive aquela voltada para o desenvolvimento clínico da APS; o desenvolvimento de novos  modelos de financiamento e gestão relativos à força de trabalho; o desenvolvimento de liderança e senso de prioridades, bem como o investimento em modelos de saúde de base comunitária, com foco na prevenção e na promoção da saúde.

O documento traz mais de uma centena de referências bibliográficas sobre o tema e pode ser acessado neste Portal sob o título:
ATENÇÃO PRIMÁRIA E SAÚDE PÚBLICA: EXPLORANDO A INTEGRAÇÃO PARA PROMOVER A SAÚDE DA POPULAÇÃO
Referência: The National Academies Press

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Comentários