Ampliação do acesso a partir da inserção de DIU por Enfermeiros na APS de Florianópolis

Ampliação do acesso a partir da inserção de DIU por Enfermeiros na APS de Florianópolis

A inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU) por enfermeiros em Florianópolis fortalece o vínculo das usuárias com a equipe de saúde da atenção primária e amplia o acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS). Dos 49 centros de saúde, 36 realizam o procedimento por enfermeiros habilitados. O serviço ofertado reduziu drasticamente a fila de espera pelo procedimento na capital catarinense.

“Essa prática com o enfermeiro amplia a possibilidade das mulheres terem cada vez mais acesso aos métodos contraceptivos, antes era algo muito burocratizado. As mulheres estão entendendo mais sobre os métodos e não desejam mais fazer uso de métodos hormonais, a gente garante o direito de escolha delas”, ressalta Lucilene Paes, enfermeira e uma das autoras da experiência em relato em vídeo.

Sobre a ampliação do acesso, foi registrado um quantitativo de 1.454 inserções de DIU por enfermeiros, desde a implantação do projeto em três anos. Significa um incremento de 60% de ampliação do acesso e oferta do procedimento às mulheres catarinenses, considerando que 50% deste número são mulheres que residem em área de interesse social. Segundo os autores, praticamente todas as usuárias que estavam em fila de espera para esse serviço foram atendidas, o qual era oferecido somente por ginecologistas da rede e por alguns médicos de família.

Desde 2018, a Secretaria de Saúde de Florianópolis, por meio da Comissão Permanente de Sistematização da Enfermagem, desenvolve ações de educação permanente que permitiu a ampliação do escopo de prática da enfermagem. A primeira etapa foi a construção do Procedimento Operacional Padrão (POP) da inserção do DIU, seguida pelas etapas de formação de facilitadores para a multiplicação da prática na APS. Atualmente há 115 enfermeiros habilitados, entre profissionais efetivos e residentes, que realizam o procedimento. O DIU de cobre assume o segundo lugar como método de contracepção com menor chance de falha, ficando atrás apenas dos métodos definitivos (vasectomia e laqueadura).

A Comissão Permanente de Sistematização da Assistência de Enfermagem do município de Florianópolis designou um grupo de enfermeiros assistenciais da APS e residentes para construir o Procedimento Operacional Padrão – Inserção de DIU. Após foram realizados os treinamentos teóricos e práticos para enfermeiros do município, que também contou o apoio da Universidade Federal de Santa Catarina. Também houve a capacitação dos enfermeiros preceptores da Residência Multiprofissional em Saúde da Família da Escola de Saúde Pública de Florianópolis, para capacitação dos residentes atuantes nos Centros de Saúde do município. Cada profissional obtém a certificação para inserção do DIU após cinco inserções assistidas do DIU.

O acesso a serviços de planejamento reprodutivo e contracepção engloba as necessidades de saúde essenciais e se constitui como um direito humano fundamental. A falta de acesso a esses serviços impactam com um aumento de gestações indesejadas e não planejadas que poderão resultar em aumento da mortalidade materna e neonatal. O DIU apresenta poucos efeitos adversos, potencializa o autocuidado e autoconhecimento da mulher em relação a seu próprio corpo e, por atuar diretamente no endométrio e muco cervical é indicado principalmente em casos onde uso de terapias hormonais são contraindicadas.

Uma das razões mais comuns que prejudicam o emprego deste método são as barreiras organizacionais, que diminui o direito ao acesso das usuárias ao planejamento familiar em sua integralidade. Contudo, por meio de medidas simples como o aumento de informações acerca das legislações e diretrizes existentes, e esforços empreendidos para desmistificar o processo, é possível o aumento de profissionais aptos para absorver a demanda, como ocorrido na capital catarinense.

Assista ao vídeo com depoimentos:

Ficha Técnica: Ampliação do acesso a partir da inserção de DIU por enfermeiros na APS de Florianópolis.

Ampliação do escopo de práticas

Melhoria do acesso aos serviços de saúde
Maior adesão ao tratamento, gestão de sintomas e utilização dos serviços
Efetividade clínica na atenção aos usuários/pacientes

Emilia Cruz da Cunha

Leila Beatriz Brandes de Azevedo Ferreira

Laura Laura Denise R. Castillo

Renata da Rosa Turatti


Lucilene Gama Paes

Em 2018, a Secretaria de Saúde do Município de Florianópolis, através da Comissão Permanente de Sistematização da Enfermagem, desenvolveu ações de educação permanente com a intenção de ampliar a clínica dos enfermeiros da Rede Municipal de Saúde de Florianópolis, visando ampliar o acesso seguro da população ao método. Contudo, este estudo pretende apresentar as ações desenvolvidas, bem como analisar a efetividade das mesmas, identificando as metas alcançadas e os desafios enfrentados durante sua implementação.

Leia mais…

Choose Your Style

%d blogueiros gostam disto: