APSREDES

AGENDA ESTRATÉGICA PARA ENFRENTAMENTO A COVID-19 NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DO GROTÃO – JOÃO PESSOA

capaagenda

Autor: André Luis Bonifácio De Carvalho

Nova agenda de trabalho para enfrentamento da #Covid-19 em João Pessoa

 

As Equipes da Unidade Básica de Saúde Grotão, em João Pessoa (PB), estruturaram uma nova agenda de trabalho, com registro de sintomáticos com monitoramento, para responderem às necessidades dos usuários no enfrentamento da Covid-19, frente ao afastamento de vários profissionais de saúde por serem grupo de risco ou pelo adoecimento com síndrome gripal (SG).

“Quando saiu o protocolo do Ministério da Saúde começamos a discutir como organizar o processo de trabalho diante da redução de médicos, enfermeiros e outros funcionários da UBS. Os usuários chegavam com muitas dúvidas e necessidades, assim criamos um sistema de registro de sintomáticos com monitoramento. As médicas adaptaram a ficha de atendimento e resolvemos automatizar com um banco de dados”, explica o professor André Bonifácio, do Departamento de Promoção em Saúde (UFPB) e preceptor de residentes de Saúde da Família e Comunidade para a UBS Grotão. 

O processo de trabalho foi reorganizado, com ações de promoção, prevenção e de proteção e segurança para os usuários e profissionais da UBS, além da utilização de tecnologias da informação como a criação de sistema de registro de sintomáticos com monitoramento, para maior agilidade no atendimento e acompanhamento dos usuários. A integração do ensino e serviço foi fundamental para o enfrentamento da Covid-19, com o apoio dos residentes na UBS. Além das ações em relação à pandemia, a UBS continuou tratando as linhas de cuidado, como gestantes, idosos, diabéticos, entre outras.

“Os residentes de saúde mental começaram a realizar os monitoramentos, ajudando no fluxo de atendimento. Nos organizamos primeiro tentando identificar como esses usuários chegavam à unidade. A partir da classificação de risco que os residentes médicos fazem é possível identificar as situações de alerta, os residentes ligam e monitoram o usuário. As pessoas aqui vivem em casas de até dois cômodos com 4 a 6 moradores, usamos o sistema para reconhecer onde estava esse usuário no território, para orientar a família sobre prevenção e verificar o grau de ansiedade dos usuários”, relata André Bonifácio.

Tem aproximadamente 230 usuários cadastrados no banco de dados (dados atualizados em 6/7/20). “Semana passada enviamos uma mensagem de WhatsApp para todos os usuários positivados perguntando como eles estavam, considerando três níveis: 1 se tivessem melhorado, 2 se tivessem alteração no quadro de saúde, e 3 em caso de piora. O 3 é o alerta, automaticamente acionamos a médica para entrar em contato com o usuário e orientá-lo”, explica Bonifácio.

“Diante de um momento de crise e de incertezas, conseguir promover a integração dos diversos processos da UBS, ter uma visão detalhada do território e informações de qualidade para tomar as decisões necessárias, são diferenciais para o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde”concluiu.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram