Adolescer com arte: protagonismo juvenil (Cabula)

ADOLESCER COM ARTE: um exemplo de protagonismo juvenil

Ilustração – Mostrar pelo Mapa Google – onde fica o distrito de Cabula

Fotos do lugar  e da experiência

Lenilson Bento Cícero, agente comunitário; Claudia de Carvalho Santana, —-; Gilmara Cruz Santos Carmo, agente comunitário; Rita de Cássia de Carvalho—

Esse trabalho relata a trajetória do Adolescer com Arte, grupo de educação em saúde, que desenvolve ações de saúde promovendo o protagonismo juvenil através das artes, especialmente do teatro e da música. O projeto foi idealizado por um Agente Comunitário de Saúde (ACS), como resposta a pouca frequência de jovens na Unidade de Saúde (US). Criado em 2009, vinculado ao Programa de Saúde do Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador- Bahia, o Projeto conta atualmente, com cerca de 30 a 40 adolescentes e jovens, com idades entre 12 e 24 anos, oriundos da Mata Escura, bairro popular de Salvador, que participam anualmente de discussões sobre assuntos relacionados à saúde, escolhem temas que consideram relevantes dentro de seus contextos sociais e elaboram peças teatrais a fim de transmitir o conteúdo construído para outros adolescentes.

O desafio propulsor para a criação do Adolescer com Arte foi desenvolver uma atividade para que os adolescentes e jovens da Mata Escura criassem um vínculo com a US. Palestras e encontros eventuais não produziam o efeito necessário, pois não se mostravam atraentes para a juventude do bairro. Dessa forma, o projeto foi idealizado, de forma inovadora, para motivar adolescentes e jovens na utilização desse serviço, valorizando o que é oferecido no combate do crescimento das DST, da gravidez não planejada, da violência e das demais vulnerabilidades associadas a esta fase de desenvolvimento humano.

O grupo de trabalho do Adolescer com Arte se expandiu e hoje conta com dois ACS, além de diretores, coordenadores e professores das instituições parceiras: Distrito Sanitário Cabula/Beiru, Área Técnica da Saúde do Adolescente e Jovem do Salvador, Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão (ACOPAMEC), Colégio Estadual Márcia Meccia, Centro Educacional Jardim Pampulha (CEJP) e Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).

É característica fundamental do projeto o processo de construção de uma peça teatral do Adolescer com Arte.

Num período de três a quatro meses, assuntos específicos de saúde são levantados de forma espontânea pelos adolescentes, tais como: drogas, violência, DTS, gravidez não planejada, cidadania e educação. Reflexões são provocadas por profissionais de saúde através de oficinas, rodas de conversas, debates sobre filmes e músicas, dentre outras atividades interativas. A partir desse momento, um ou mais temas são escolhidos pelos adolescentes, geralmente relacionados à realidade que experimentam na escola, nos meios de comunicação, na rua e em casa. Personagens e histórias que irão compor o roteiro da peça são criados por eles, dentro de contextos que eles identificaram como mais importantes para serem abordados na comunidade jovem.

Em suas atuações recentes o grupo Adolescer com Arte fez sua apresentação inicial cantando um rap, considerado por eles como “o hino do grupo”. Seguem alguns trechos da letra:

“Adolescer com Arte
Pra fazer pensar, pra desenvolver
Para isso é necessário com Arte Adolescer
A arte vem somada junto com a saúde,
Fica muito mais fácil se a juventude se une.
Trabalhando juntas pra trazer mudanças
Traz segunda chance a quem não teve na infância”

“Adolescer com arte pra abrir o mundo e a mente
E o intuito da gente é fazer você pensar
Que as coisas não podem ficar do jeito que está”

“Eu sei que ficar parado não vai dar solução
Também, quem só critica não faz revolução
Pros territórios desmatados nós somos a reação
Nas ‘mente’ planto as ‘semente’ e refloresto a nação”

RESULTADOS

A promoção da saúde gerada pelas ações do Adolescer com Arte resultou no aumento do número de adolescentes e jovens que utilizam os serviços de saúde A valorização deles como sujeito aparece de forma perceptível para os profissionais da US da Mata Escura. Além disso, há relatos comprovados de jovens que deixaram o uso de drogas e se afastaram de ambientes de risco após o envolvimento nas atividades do Adolescer.

Contraditoriamente, as maiores dificuldades enfrentadas pelo grupo, em seu início, foram geradas pelos próprios profissionais de saúde da US. Para eles a proposta de trabalho era vista como uma “folia” e por isso não poderia acontecer dentro da US. Com a manutenção do apoio da gerência da US às ações do Adolescer com Arte, atualmente se tornaram aceitas pela maioria dos profissionais, que solicitam sua integração a outros setores da Unidade.

Nos membros do grupo, o interesse em cuidar de si e dos que estão próximos se refletiu em maior compromisso com os seus estudos – atualmente uma adolescente jovem está fazendo curso técnico de Enfermagem, cinco estão fazendo curso de técnico de Informática e um está cursando faculdade de Enfermagem, além de verdadeiros artistas revelados pelo grupo, graças à vivência e à interação dentro do mesmo. Vale ressaltar que, em decorrência dos estímulos promovidos pelo trabalho, o ACS que o criou também ingressou no ensino superior, investindo em sua formação através da graduação em Psicologia.

A trajetória do Adolescer com Arte e o êxito das suas ações demonstram que para corrigir as iniquidades incidentes sobre adolescentes é necessário muito mais do que a transmissão verticalizada de informação. No relato apresentado, a sensibilidade e a disposição de um ACS, para a promoção empática e integral da saúde dos adolescentes de sua comunidade, foram acolhidas pelo gestor da sua Unidade. Este fato favoreceu a desconstrução da ideia de que adolescentes são “um problema”, ainda presente em muitos profissionais da saúde, como também o desenvolvimento de ações articuladas entre o setor da adolescência com outros da Unidade. De forma mais ampla, favoreceu o estabelecimento de parcerias que: aproximaram profissionais da saúde dos da educação (ensino fundamental, médio e superior); geraram recursos para confecção de cenários e figurinos, bem como ampliaram a abrangência das ações sobre um maior número de pessoas.

 

INOVAÇÃO

A promoção da saúde gerada pela proposta inovadora do grupo resultou na valorização do adolescente como sujeito, que passou a frequentar mais a US e a se afastar de ambientes de risco. Muitos ingressaram em escolas profissionalizantes e alguns no ensino superior. O grupo se fortaleceu, passou a ser convidado para atuar junto a outros setores da US e estabeleceu parcerias que aproximaram profissionais da saúde e da educação, favorecendo a apresentação de seus trabalhos para um público de quase 1000 pessoas em 2014 (estudantes do ensino fundamental, médio e superior, docentes e profissionais da saúde). A iniciativa e perseverança dos agentes comunitários envolvidos, a linguagem teatral e a gestão da US representaram elementos importantes para que o Adolescer com Arte vencesse as adversidades, contribuindo para a expansão do trabalho que, hoje, serve de exemplo e estimula outras US para o desenvolvimento de ações semelhantes com adolescentes, inclusive em outras  cidades. Cerca de 200 adolescentes já foram beneficiados com este trabalho.

Essa inovação engloba utilização do teatro como metodologia educativa em saúde, que foi justificada pela sua adequação ao estimular insights e reflexões, permitir avaliação da aprendizagem e favorecer a multiplicação do conhecimento, tendo o adolescente como protagonista.

Na conversa com outro adolescente de apenas 13 anos, existiu por parte deste a seguinte afirmação: “Antes do projeto eu só queria ir embora da Mata Escura… agora eu quero ficar e ajudar a mudar a Mata Escura”.

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest