Resultado do Laboratório de Inovação na Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e Jovens (2017/2018) aponta 20 experiências inovadoras

O Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral da Saúde de Adolescentes e de Jovens do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) tornam público o resultado da 3a edição do Laboratório de Inovação na Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e Jovens (2017/2018).

De um total de 73 inscrições, foram selecionadas 20 experiências desenvolvidas nos serviços de saúde que trabalham com adolescentes e jovens (10 a 24 anos), público que soma 51 milhões de brasileiros. O objetivo do Laboratório de Inovação foi apontar experiências que se destacam em cinco eixos temáticos: Agenda Proteger e Cuidar de Adolescentes na Atenção Básica, Participação Juvenil, Integralidade das ações de saúde para adolescentes que estão em Sistema Socioeducativo, Educação permanente de profissionais em saúde e Interculturalidade e gênero.

As 20 experiências finalistas do Laboratório de Inovação participarão de uma oficina de trabalho, prevista para ocorrer no início do segundo semestre deste ano, em Brasília. Confira a lista com as práticas selecionadas:

  • Desenvolvimento do trabalho intersetorial do socioeducativo em saúde mental – Cuiabá/MT.

 

  • WW Baleia Branca: estratégia de enfrentamento à situações de autoagressão – Curitiba/PR.

 

  • Juventude em ação: na trilha da prevenção ao uso/abuso de drogas –Fortaleza/CE.

 

  • Jovem e Adolescente não combina com DST-HIV/AIDS, cuida de si e do outro – Canindé/CE.

 

  • Experiências da Liga de Promoção à Saúde do Adolescente da Universidade Estadual Vale do Acaraú no Município de Sobral – Sobral/CE.

 

  • Grupo da diversidade: a inclusão que inclui – Brasília/DF.

 

  • Projeto Adolescer Consciente – União do Oeste/SC.

 

  • Projeto Meio Aberto – Rio Branco/AC.

 

  • Projeto “Se Liga Aí” – Brasiléia/AC.

 

  • Programa Academia Carioca – Grupo de Karatê para crianças e adolescentes – Rio de Janeiro/RJ .

 

  • Programa Academia Carioca – Grupo Vem Ser – Rio de Janeiro/RJ.

 

  • Rede de Adolescentes e Jovens Promotores de Saúde – RAP da Saúde – Rio de Janeiro/RJ.

 

  • Adolescentes promotores e multiplicadores de saúde do Novo Degase: uma experiência de protagonismo juvenil na socioeducação – Belford Roxo/RJ.

 

  • SUSDANCE PERUS – saúde e qualidade de vida aos jovens e professores de Perus – São Paulo/SP.

 

  • Projeto Pulando Muros – São Paulo/SP.

 

  • Lacre do Bem – Andradas/MG.

 

  • Agentes mirins de combate a endemias – Andradas/MG.

 

  • Saúde de Adolescente: uma experiência intersetorial de Educação Permanente em Saúde nas Regiões de Saúde 29 e 30, Rio Grande do Sul – Lajeado /RS.

 

  • Treinamento de Habilidades Sociais para Jovens com Transtorno

Mental – Porto Alegre/RS .

 

  • Grupo terapêutico no desenvolvimento da identidade de adultos jovens com transtorno mental: possibilidades de intervenção em um CAPS – Porto Alegre/RS.

A definição das experiências inovadoras ocorreu logo após a realização das visitas in loco, em fevereiro a abril deste ano, onde 21 experiências foram conhecidas em profundidade pela comissão avaliadora da 3a edição do Laboratório de Inovação na Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e Jovens, integrada por consultores do Ministério da Saúde, das secretarias municipais e estaduais de Saúde e da Organização Pan-Americana de Saúde.

A partir deste resultado, as experiências serão apresentadas em uma publicação técnica, intitulada NavegadorSUS, de autoria e organização da OPAS e do Ministério da Saúde. As experiências selecionadas também serão divulgadas pelo Portal da Inovação na Gestão do SUS – Redes e APS (http://www.apsredes.org).