Manejo de Obesidade Infantojuvenil  (Porto Alegre)

No Hospital das Clínicas de Porto Alegre/RS, o Ambulatório de Manejo de Obesidade Infantojuvenil (AmO) existe há 12 anos, atendendo cerca de 40 crianças e adolescentes por semana referenciados das UBS ou por interconsultas de outras especialidades do próprio hospital. O ambulatório trabalha com uma abordagem que objetiva mudança de hábito alimentar e de estilo de vida de forma gradual, focando primeiramente em mudanças de hábitos, depois em alterações quantitativas e, por fim, as qualitativas, sem a prescrição tradicional de dietas.

A experiência do serviço mostrou que mudanças muito radicais no consumo, desde o início, levam a alta taxa de abandono, sendo as mudanças gradativas, pactuadas individualmente com os participantes, mais adequadas para o público-alvo. Em cada consulta são realizadas habitualmente três combinações com o indivíduo, que deve concordar com elas e realizá-las até a consulta seguinte. As combinações são direcionadas para o estímulo às mudanças de hábitos de vida, incluindo promoção de alimentação saudável, comportamento e atividade física. Durante a consulta também se tenta trazer a responsabilidade do problema para a família, destacando-a como responsável por tornar o ambiente familiar mais saudável. O serviço tem ampla documentação de alterações metabólicas e hormonais dos indivíduos atendidos.

O Ambulatório de Cardiologia Pediátrica Preventiva do Instituto de Cardiologia (IC), de Porto Alegre/RS, é um serviço de atendimento criado em 2001 com o intuito de trabalhar na prevenção, com base no conhecimento da progressão das doenças arterioscleróticas. No ambulatório, atualmente, são atendidas mais de 300 crianças e adolescentes de todo o Estado do Rio Grande do Sul com fatores de risco para doenças cardíacas, tais como obesidade, dislipidemia, diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica, cardiopatia isquêmica, acidente vascular cerebral ou morte súbita, sendo a obesidade um dos principais fatores de encaminhamento para o ambulatório.

Os indivíduos são encaminhados a partir do serviço ambulatorial de Cardiologia Pediátrica do IC, UBS de Porto Alegre ou de municípios circunvizinhos do estado e a partir de escolas visitadas pelo serviço. O atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar, composta por cardiologista pediátrica, nutricionista, psicóloga, psicopedagoga, profissional de Educação Física e enfermeira

Cada profissional atua de forma complementar no Plano Terapêutico Singular (PTS) definido para o indivíduo: a Medicina realiza avaliação clínica e analisa os exames; a Enfermagem realiza atividades educativas; a Nutrição trabalha a reeducação alimentar, reorganizando a rotina familiar; a Psicologia avalia a estrutura familiar, orientando na busca do equilíbrio das relações; a Educação Física estimula a prática regular de atividade física e modificações no estilo de vida; e a Psicopedagogia trabalha com a adequação da linguagem da intervenção às diferentes faixas etárias e realiza atendimento na sala de espera, construindo o conhecimento sobre hábitos saudáveis por meio de atividades lúdicas, para orientar os indivíduos. Uma estratégia utilizada na experiência, que visa reduzir o tempo de espera entre uma consulta e outra é a oferta de atendimentos mensais em grupos para a família, a criança e o adolescente.

Para pensar e refletir:

Trabalho em equipe: por meio de trabalho colaborativo, múltiplo e interdependente, agrega maior capacidade de análise e de intervenção sobre problemas, demandas e necessidades de saúde, em âmbito individual e/ou coletivo. Desse modo, produz potencialmente ações mais abrangentes que aquelas encontradas em trabalhos segmentados, desde que bem construídas e articuladas.

Para saber mais: Conheça o Caderno de Atenção Básica nº  39: Núcleo de Apoio à Saúde da Família – ferramentas para a gestão e o trabalho cotidiano.

– Quais profissionais atuam coletivamente, de maneira integrada, em sua equipe?

Leia mais:

“Perspectivas e Desafios no Cuidado às Pessoas com Obesidade no SUS: Resultados do Laboratório de Inovação no Manejo da Obesidade nas Redes de Atenção à Saúde”

 

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest

Leave a comment