APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Restaurante Estudantil e a agricultura familiar em São Raimundo Nonato, Piauí: 10 anos de uma agenda pública de educação alimentar e nutricional

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Tatiane Leocádio Temóteo Nutricionista São Raimundo Nonato

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Restaurante campus São Raimundo Nonato do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
Piauí São Raimundo Nonato

1.5 Região do país

Nordeste

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Tatiane leocádio Temóteo Nutricionista São Raimundo Nonato

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 2 - EAN no campo da Educação

1.8 Público participante da experiência

AdolescentesAdultosComunidade em geralEstudantesPovos Indígenas e Povos e Comunidades TradicionaisProdutores de alimentos da agricultura familiar

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
Escola Pública
Universidade
Ensino Médio
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
todas as pessoas têm o direito de estarem livres da fome
todas as pessoas têm o direito de ter acesso à alimentação adequada saudável
universalidade
integralidade
equidade
intersetorialidade
participação social
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

No ano de 2023 o Restaurante Estudantil do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí-IFPI, localizado no Município de São Raimundo Nonato, completará dez anos de uma agenda pública de educação alimentar e nutricional para o atendimento de jovens e adultos do ensino médio e ensino superior pela oferta de alimentação. Em meio à região do semiárido sudeste do estado, rodeado pelo Parque Nacional da Serra da Capivara, Patrimônio Mundial Cultural e Natural; e pelo bioma da caatinga, o preparo refeições pelo serviço alcançou além do cumprimento do direito à alimentação estudantil. Para o prato à mesa, fundamentada pelos princípios da comida com um direito, da sustentabilidade e da intersetorialidade, a aproximação entre os estudantes e a agricultura familiar local de base agroecológica, não somente incluiu a diversidade da mandioca, da batata doce, do umbu, do caju, do feijão de corda, do urucum, do maracujá do mato e diversos outros alimentos na alimentação estudantil, o que, segundo o Guia, tem como consequência direta o fortalecimento da agricultura familiar e da economia local e das formas solidárias de viver e produzir; em acréscimo, a experiência, ao longo dos anos, possibilitou a geração de ricos frutos de educação alimentar e nutricional.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

O objetivo dessa experiência foi criar uma agenda pública de educação alimentar e nutricional para o atendimento de jovens e adultos do ensino médio e ensino superior pela oferta de alimentação, pelo cumprimento de um ciclo de gestão consciente da Política Nacional de Alimentação e Nutrição sob orientação do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas e à luz do Guia Alimentar para a População Brasileira, pela integração da agricultura familiar às estratégias de promoção da segurança alimentar e nutricional aos estudantes e ao território.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
II- Abordagem do sistema alimentar, na sua integralidade
III- Valorização da cultura alimentar local e respeito à diversidade de opiniões e perspectivas, considerando a legitimidade dos saberes de diferentes naturezas
IV- A comida e o alimento como referências; Valorização da culinária enquanto prática emancipatória
V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VI- A Educação enquanto processo permanente e gerador de autonomia e participação ativa e informada dos sujeitos
VII- A diversidade nos cenários de prática
VIII- Intersetorialidade
IX- Planejamento, avaliação e monitoramento das ações
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
Construiu-se uma rede suficientemente forte para a permanência das ações baseadas no entendimento abrangente sobre alimentação, do contexto alimentar e nutricional que vivemos, da necessidade valorização dos sistemas alimentares sustentáveis e saberes e práticas tradicionais de produção e uso dos alimentos, tendo como eixo orientador todos os princípios do Guia.
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS1 - Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares
ODS 2 - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 4- Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
ODS 5 - Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas
ODS 6 - Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos
ODS 8 - Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos
ODS 10 - Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles
ODS 11 - Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis
ODS 12 - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
ODS 15 - Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade
ODS 16 - Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis
ODS 17 - Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
A partir do empoderamento sobre o cumprimento da PNAN, seus princípios e suas diretrizes, o que revela a importância da capacitação da força de trabalho na área da alimentação e nutrição, foi desenvolvido em 2014 um projeto de extensão intitulado, “Segurança alimentar e nutricional e sua interface com a agricultura familiar de base agroecológica em São Raimundo Nonato, Piauí, Brasil”, cujo objetivo foi fortalecer os atores responsáveis pela produção alimentar local para o desenvolvimento de uma cadeia curta de comercialização de alimentos e favorecimento do público-alvo do restaurante a partir da aquisição institucional. Assim, foram seguidas as seguidas etapas da experiência: – (2013) Início de mapeamento da agricultura familiar no município; – A partir do mapeamento, desde 2013 há a construção de cardápios regionais para os estudantes, a exemplo da oferta de pratos como o Quibebe, o Pintado, a Umbuzada e o Feijão de Arranque; -Desde 2013 há a valorização da identidade cultural, da regionalidade e da sociobiodiversidade alimentar; – Desde 2013 há a promoção da agroecologia e do sistema participativo de avaliação de conformidade local, da igualdade de oportunidades e renda entre homens e mulheres rurais e do desenvolvimento sustentável; – Desde 2013 há estímulo à autonomia dos sujeitos na produção e nas práticas alimentares saudáveis e na escolha dos alimentos das refeições pois os alunos têm opções e se servem à medida que são estimulados a conhecer novos alimentos; -Desde de 2013 há a promoção da sustentabilidade social, econômica e ambiental nas aquisições institucionais e na produção local de alimentos orgânicos pela defesa e aplicação dos dispositivos legais de compras sustentáveis, a exemplo do Decreto Nº 7.746/2012, Instrução Normativa Nº 1/2010, Lei da Agricultura Orgânica (Nº. 10.831/2003), Lei Nº 11.326/2006, Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Decreto Nº 7.794/2012); Lei Nº 11.947/2009 (PNAE); – (2014) Desenvolvimento do projeto de extensão “Segurança alimentar e nutricional e sua interface com a agricultura familiar de base agroecológica em São Raimundo Nonato, Piauí, Brasil”; – (2014) Fixação dos dez passos para alimentação saudável do Guia e outras informações de promoção da saúde na área do refeitório; – Desde 2015 há a execução e fortalecimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar pela aquisição de 100% de alimentos oriundos da agricultura familiar local; – Em 13 de Maio de 2015 foi realizada a primeira Feira do Campus e desde então a ação mensal é um portal de trocas entre a escola e a comunidade da região, de acesso ao alimento adequado, saudável e sustentável e à valorização das discussões, cultura, artesanato e gastronomia regional (incluída nos Ideia na Mesa, Mapa das Feiras Orgânicas do IDEC); – Desde 2016, há a execução e fortalecimento de aquisições anuais de alimentos orgânicos da agricultura familiar por meio de licitação pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil (primeira no país); – Desde 2016, o restaurante estudantil intensificou as práticas e compras sustentáveis de redução do uso de descartáveis e protagonizou no Estado do Piauí a exclusão de mais de 50 alimentos ultraprocessados da alimentação estudantil por preparações naturais e alimentos orgânicos; – Em 2018 houve a criação do transdisciplinar Núcleo de Estudos em Agroecologia; – As ações despertaram nos estudantes o interesse em projetos de soluções inovadoras para o fortalecimento da agricultura familiar orgânica, a exemplo dos projetos Área Verde (2018) e Orgânicos Zabelê (2019), que ampliaram os canais de comercialização da agricultura familiar e o acesso da população a alimentos adequados e saudáveis; – (2018) Inclusão da agricultura familiar para auxiliar na criação da horta coletiva estudantil Girassol; – (2019) Premiação de Inovação Social pela Organização das Nações Unidas ao Projeto Orgânicos Zabelê e alinhamento com os aceleradores dos ODS mapeados para a região; – (2019) Promoção do I Encontro Regional de Ecogastronomia para discussões sobre PANC’s e pães artesanais, hoje em dia fornecidos para alimentação dos estudantes por mulheres do Território Quilombola Lagoas, pertencente ao Município; – em 2020 há a inclusão do IFPI São Raimundo Nonato entre as principais instituições de ensino colaboradoras dos Sistemas Participativos de Garantia do Brasil, mediante mapeamento dos pesquisadores Aloísia Rodrigues Hirata e Luiz Carlos Dias Rocha (Sistemas Participativos de Garantia do Brasil, 2020); – (2021) reconhecimento das práticas realizadas pela veiculação das ações em documentário da CNN. Séries Originais – Futuro da Educação -EP 3 – Minuto 16’57”. Link: https://youtu.be/qcFwaHeEgWs – (2021) Prêmio Piauí de Inclusão Social (2021) pelo desenvolvimento do projeto Orgânico Zabelê e fortalecimento da agricultura familiar local; – (2021) Ampliação sobre o diálogo sobre alimentação sustentável no campus e fora dele em momentos como o G.A.R.F.O, que contou com a participação da Chef Roberta Sudbrack; – Gerou uma rede de parcerias municipais, estaduais e federais de promoção de ações da segurança alimentar e nutricional; – Gerou pesquisas, livros, trabalhos de conclusão de curso, publicações científicas, além de comunicações sociais à comunidade; – (2021) Possibilitou a aprovação de uma proposta de Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar, para disseminação das ações ao Território Serra da Capivara. Todas as estratégias promoveram o caminho permanente de EAN e promoção da alimentação adequada, saudável e sustentável na perspectiva da SAN e garantia do DHAA pela aproximação entre escola e agricultura familiar.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
O panorama atual sobre saúde e nutrição da população brasileira, verificado nos inquéritos nacionais, sustentaram as estratégias de promoção da saúde e proteção de agravos do público-alvo assistido pelo restaurante estudantil, a partir do olhar ampliado sobre o conceito de alimentação. Além disso, o mapeamento da agricultura familiar e a verificação da demanda de desenvolvimento sustentável local, permitiram a condução da agenda.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
O Guia Alimentar para a População Brasileira conduziu a decisão de que os sistemas alimentares sustentáveis são o caminho para a promoção e realização do direito humano à alimentação adequada, inclusive nos ambientes institucionais. A escola pública é um excelente equipamento para articulação intersetoriais de EAN.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Sim
sim, em quais etapas e como participaram ?
Sim, neste contexto, a inclusão de estudantes foi essencial em todas as ações, a exemplo da iniciação tecnológica de estudantes da educação básica, especificamente do ensino médio técnico, em habilidades relacionadas às novas tecnologias digitais, possibilitou o desenvolvimento do pensar tecnológico e de soluções inovadoras às potencialidades do cenário em que vivem.Na alimentação e outras ações realizadas houve o reconhecimento das práticas tradicionais de alimentos e resgate da valorização da cultura alimentar, observada a diferença de hábitos alimentares entre os anos iniciais e finais de estudo durante a permanência de formação na instituição.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Por meio da adoção desta concepção metodológica de base freiriana, ao longo dos anos, os estudantes tiveram participação ativa nas decisões alimentares, sendo imersos em práticas de construção de soluções sustentáveis para o cenário em que vivem, o que permitiu o fortalecimento da autonomia e da conscientização individuais.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Sim, além do uso da escola e do restaurante como um equipamento público para promoção da EAN, alguns projetos financiaram bolsas estudantis de iniciação científica júnior, iniciação científica, iniciação em extensão, além de aquisição de bens permanentes e de custeio de materiais e eventos promovidos à comunidade.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
Sim. Considerando as dimensões das tecnologias sociais, a geração de conhecimento, a troca de saberes e a criação de soluções aplicadas ao público-alvo do serviço público e à comunidade, tendo como base as práticas sustentáveis e incluindo os agentes de forma participativa para o estímulo da autonomia; são estratégias reprodutíveis por outros profissionais. Além disso, especificamente quanto a esta experiência, conforme direciona o Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas, o setor público de qualquer esfera e área e a iniciativa privada, pode desenvolver estratégias de aproximação e fortalecimento da agricultura familiar para a promoção da saúde da população pelo acesso à alimentação adequada, saudável e sustentável.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
Diretamente pela aceitabilidade e adesão dos estudantes às refeições. Incrivelmente há uma transformação de acesso e de hábitos alimentares em parte dos alunos entre o início e fim do período de formação, sobretudo entre os alunos do ensino médio. Há casos de alunos que, embora de origem rural, não conhecem abóbora, quiabo, maxixe, alimento, tradicionais da região nordeste. Há relatos de alunos que não comiam feijão ou salada em casa, mas o hábito da escola foi levado para o ambiente familiar. O sabor oferecido pelos vegetais orgânicos é um outro veículo de transformação, a exemplo dos sucos naturais de caju, acerola e outros que inicialmente são surpresas aos paladares estudantis que se habituaram, fora da escola, às artificiais bebidas ultra-processadas. Após quase dez anos, a avaliação da experiência é bastante positiva diante do modo de pensar, de fazer, de integrar e de servir do restaurante ter se tornado condicionado à sustentabilidade pela relação com a produção familiar local de base agroecológica. São muitas as trocas, inclusive na formação dos alunos da área de alimentação. A busca pelos saberes e uso culinários, as referências tradicionais são instigadas a cada dia. Outros resultados positivos são o desenvolvimento sustentável e fortalecimento dos grupos de produtores familiares, relatados pelos agricultores nos resultados de levantamentos realizados por meio dos projetos. E ainda, a integração permanente das ações revelam a coerência com a educação alimentar e nutricional.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Pisar na roça da agricultura familiar é levar bem para o coletivo. É levar mais água para as famílias produtoras da zona rural da caatinga enquanto se serve alimento de verdade para os pratos da cidade. É levar alimento de verdade aos grupos assistidos pelas instituições públicas enquanto se fortalece os canais de comercialização da agricultura familiar para ampliação do cultivo e do acesso pela população em geral do entorno. É dever do serviço público. É cumprir a Política Nacional de Alimentação e Nutrição. É proteger a saúde e evitar o consumo de agrotóxicos. É proteger a natureza pelo uso sustentável dos recursos. É respeitar a cultura, os saberes e os povos tradicionais. É promover a autonomia, a justiça social, a inclusão e a equidade. É transformar o território local enquanto cada pequeno território é transformado para juntos transformarem o mundo.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
No ano de 2023 o Restaurante Estudantil do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – IFPI, localizado no Município de São Raimundo Nonato, completará dez anos de uma agenda pública de educação alimentar e nutricional para o atendimento de jovens e adultos do ensino médio e ensino superior pela oferta de alimentação. Em meio à região do semiárido sudeste do estado, rodeado pelo Parque Nacional da Serra da Capivara, Patrimônio Mundial Cultural e Natural; e pelo bioma da caatinga, o preparo refeições pelo serviço alcançou além do cumprimento do direito à alimentação estudantil. Para o prato à mesa, a aproximação entre os estudantes e a agricultura familiar local de base agroecológica, não somente incluiu a diversidade da mandioca, da batata doce, do umbu, do caju, do feijão de corda, do urucum, do maracujá do mato e diversos outros alimentos na alimentação estudantil, possibilitou a geração de ricos frutos de educação alimentar e nutricional. O objetivo dessa experiência foi criar uma agenda pública de educação alimentar e nutricional para o atendimento de jovens e adultos do ensino médio e ensino superior pela oferta de alimentação, pelo cumprimento de um ciclo de gestão consciente pela integração da agricultura familiar às estratégias de promoção da segurança alimentar e nutricional aos estudantes e ao território, pela aplicação dos princípios: -da Política Nacional de Alimentação e Nutrição; -das ações de educação alimentar e nutricional do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas; -do Guia Alimentar para a População Brasileira.

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência