APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Programa Educação Alimentar e Nutricional – Integrando Ciência, Escola e Saúde

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Ana Paula de Queiroz Mello Professora universitária São Paulo
Nagila Raquel Teixeira Damasceno Professora universitária São Paulo

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Centro Universitário São Camilo (SP/SP)
Faculdade de Saúde Pública (FSP/USP)

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
São Paulo São Paulo

1.5 Região do país

Sudeste

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Ana Paula de Queiroz Mello Professora universitária São Paulo

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 2 - EAN no campo da Educação

1.8 Público participante da experiência

AdolescentesAdultosCrianças - 2 a 5 anosCrianças - 5 a 10 anosEstudantesIdosos

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
Escola Pública
Escola Privada
Educação infantil
Ensino Fundamental
Ensino Médio
EJA
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
todas as pessoas têm o direito de ter acesso à alimentação adequada saudável
intersetorialidade
participação social
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

O Programa Educação Alimentar e Nutricional – Integrando Ciência, Escola e Saúde (PEDUCA) foi proposto em 2018, por meio de uma articulação intersetorial sem fins lucrativos estabelecida entre a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Universidade de São Paulo (USP), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fluidos Complexos (INCT-FCx) e o Centro Universitário São Camilo (SP). O PEDUCA objetiva capacitar educadores da rede pública do Estado de São Paulo, por meio de metodologias ativas de forma virtual e presencial, na aquisição de conhecimentos sobre alimentação saudável e sua relação com o desenvolvimento da obesidade e doenças cardiovasculares para auxiliá-los na construção de ações pedagógicas que incorporem esses conhecimentos a todas as disciplinas curriculares. Dessa forma, os estudantes da rede, assim como, os próprios educadores e a participação social como um todo podem ter acesso a importantes informações sobre a alimentação que os auxiliem a fazer escolhas nutricionais mais saudáveis. Por se tratar de um programa inovador, é fundamental que seja realizada a monitorização da implantação e avaliação dos resultados do PEDUCA, o que permitirá verificar e melhorar a sua eficácia, eficiência e efetividade, dando um caráter sustentável. Além disso, tais processos avaliativos podem confirmar se o programa está sendo bem implementado em seu processo, permitindo, assim, a correção de eventuais problemas e falhas, a fim de ter o melhor resultado com o menor custo possível (maior custo-benefício) durante todo o processo.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

O objetivo geral foi capacitar Educadores sobre conceitos e práticas reflexivas em alimentação saudável, visando fundamentar a construção de propostas pedagógicas, que estimulem a geração de comportamentos alimentares saudáveis e diminuição dos fatores de risco cardiovascular nas escolas.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VI- A Educação enquanto processo permanente e gerador de autonomia e participação ativa e informada dos sujeitos
VII- A diversidade nos cenários de prática
VIII- Intersetorialidade
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
O Guia Alimentar para População Brasileira está contido no conteúdo programático do PEDUCA. Este material auxilia na promoção da saúde e prevenção de doenças nas diversas situações problemas empregadas. Desta forma, os principais temas abordados foram: a classificação do nível de processamento dos alimentos; benefícios dos alimentos in natura/minimamente processados; “obstáculos” para a adoção de práticas alimentares saudáveis; representações sociais, culturais e afetivas do alimento; práticas alimentares no contexto familiar, entre outros.
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 4- Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
A prevalência de excesso de peso em crianças vem aumentando progressivamente nos últimos anos, sendo considerada um problema central na pauta de Saúde Pública da Organização Mundial da Saúde. A estimativa é que, até 2022, as taxas globais de obesidade infantil e entre adolescentes superarem os casos de desnutrição moderada e grave, segundo faixa etária. Isso reflete a ameaça representada pela má nutrição em todas as suas dimensões, com jovens com desnutrição e sobrepeso convivendo nas mesmas comunidades. Este crescente aumento na incidência de sobrepeso e obesidade é influenciado, em grande parte, pela inadequação dos hábitos alimentares, como o consumo de alimentos de elevada densidade energética, especialmente, alimentos ultraprocessados, contribuindo para o surgimento precoce de doenças na fase adulta.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
No Brasil, o Estudo dos Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (ERICA) realizado a partir do ano de 2008 em que foram avaliados cerca de 75.000 adolescentes em 1.248 escolas de 121 municípios, cobrindo todo o território nacional, encontrou uma média de prevalência de 8,4% de obesidade e 9,6% de hipertensão, com fração de hipertensão arterial atribuível à obesidade de 17,8%. Outros dados desse estudo mostram elevado risco cardiovascular nessa população também devido à dislipidemia com 46,8% de adolescentes com baixa concentração plasmática de colesterol associado à lipoproteína de alta densidade (HDL-c), 20,1% apresentaram hipercolesterolemia e 7,8% hipertrigliceridemia. Segundo a UNICEF (2019), 1 em cada 3 crianças abaixo de 5 anos no mundo tem seu crescimento comprometido devido à má Nutrição, incluindo suas diferentes manifestações que vão desde a desnutrição severa ao excesso de peso.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
A motivação para a construção do PEDUCA envolvendo Educação – Alimentação – Saúde teve como marco regulatório a Lei Federal nº 13.666/2018, que alterou a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), passando a ter a seguinte redação: “……incluir os assuntos educação alimentar e nutricional nas disciplinas de ciências e biologia nos currículos da Educação Infantil e dos Ensinos Fundamental e Médio….”. Embora inúmeras ações envolvendo essa temática já existam, a maioria tem como foco os estudantes, onde muitas vezes atividades pontuais, pouco sistematizadas e sem continuidade terminam como relatos de casos com pouco impacto na saúde atual e futura da comunidade escolar. A Lei nº 13.666/2018 oportuniza a possibilidade de envolver outros atores vinculados ao sistema de ensino no desenvolvimento de ações auto afirmativas sólidas e contínuas ao incorporar um olhar multidisciplinar ao tema; que hoje se discute de maneira fragmentada e limitada às áreas biológicas e de ciências naturais do conhecimento. Além disso, foram definidas a partir da necessidade da educação estar vinculada com a promoção da saúde, prevenção da obesidade e de fatores de risco para desenvolvimento de outras doenças crônicas não transmissíveis, que são consideras elementos chave nas ações assistenciais primárias. Embora o processo de educação deva fazer parte de ações contínuas envolvendo todas as fases da vida, sabe-se que a infância representa uma etapa essencial para a formação e consolidação dos hábitos alimentares saudáveis, que impactarão positivamente na vida adulta.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Não
sim, em quais etapas e como participaram ?
Não se aplica.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Foi utilizado a técnica de Problematização, seguindo a proposta do Arco de Charles Maguerez. A Metodologia da Problematização foi desenvolvida ao estimular o cursista a observar a realidade de modo crítico, possibilitando que o mesmo possa relacionar esta realidade com a temática que está estudando, esta observação mais atenta permitiu que o cursista percebesse por si só os aspectos interessantes, que mais o intrigue. As metodologias ativas favoreceram os processos de ensino-aprendizagem construtivistas, que estimularam a reflexão, a autoconfiança, a autonomia e a curiosidade dos cursistas. Na metodologia ativa, o aluno adquire maior autoconfiança e autonomia ao perceber que os problemas podem ser resolvidos de diferentes formas por meio de soluções planejadas e executadas por ele mesmo.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Os recursos utilizados foram no âmbito tecnológico, tendo em vista com o PEDUCA foi aplicado 100% no formato EaD.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
Ao final do PEDUCA, os concludentes produziram portfólios para serem implementados na escola. Desta forma, a 1ª Ed. teve 5.353 inscritos, sendo que 2.526 cursistas enviaram o portfólio, e estes foram submetidos a critérios quali-quantitativos envolvendo 4 dimensões (autoral, objetivo definido, metodologia clara e adequado segundo PEDUCA). Dos portfólios enviados, 25,8% atenderam os critérios quantitativos, e numa avaliação quali 26,2% foram pré-selecionados. Destes, 35,4% foram classificados como ótimo, sendo que 72,3% atenderam as 4 dimensões com nota máxima e foram destinados à elaboração do ebook “Educação alimentar e nutricional como estratégia para a prevenção da obesidade e seus agravos: práticas pedagógicas aplicadas à escola”. Este ebook teve como proposta compilar atividades diversas desenvolvidas com base no conteúdo do PEDUCA, que foi disponibilizado gratuitamente aos educadores da SEDUC. Ver link do ebook: https://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/book/876
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
Como indicadores de alcance das metas do PEDUCA, foi avaliado o grau de satisfação dos participantes por meio de perguntas objetivas quantificáveis, onde o menor percentual de aprovação foi atribuído à carga horária (60,8%). Essa medida pode ser explicada pelo relato feito por alguns cursistas que indicaram que a carga horária certificada deveria ser maior. A maior pontuação foi atribuída aos recursos didáticos (82,2%) e conteúdo (83,3%). A avaliação do grau de satisfação geral atingiu 79,3%.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Neste sentido, o PEDUCA representa uma estratégia inovadora com interface entre universidade e sociedade, que contempla a visão multidisciplinar de atores envolvidos com a área de Saúde, Alimentação e Educação. Os resultados obtidos pelo PEDUCA evidenciam o interesse contínuo dos educadores, assim como, mostram o papel norteador da universidade para atender as demandas sociais por meio de ações afirmativas e formação de excelência ao nível da graduação.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
A prevalência de excesso de peso em crianças e adolescentes vem aumentando progressivamente nos últimos anos, sendo considerado um problema atual de Saúde Pública; devendo, portanto, fazer parte das ações de Educação em Saúde. A aprovação da Lei Federal nº13.666/2018, que inclui a Educação Alimentar e Nutricional (EAN) como tema transversal nos currículos da educação infantil até ensino médio, favorece a promoção da saúde e prevenção da obesidade e agravos à saúde associados. Devido sua natureza formativa, a escola representa um cenário propício para ações institucionalizadas envolvendo EAN em suas dimensões intra e extra-salas de aula, incluindo toda a comunidade escolar. O “Programa de Educação Alimentar e Nutricional: Integrando Ciência, Escola e Saúde” (PEDUCA) tem caráter inovador ao propor a capacitação de todos os profissionais de educação vinculados às escolas estaduais de São Paulo na temática alimentação e nutrição como estratégia para a prevenção da obesidade. Para alcançar esse objetivo, o Programa foi estruturado em três etapas: Etapa 1 – Desenvolvimento de uma plataforma de ensino EaD; Etapa 2 – Caracterização do público-alvo e do território escolar e, Etapa 3 – Capacitação dos educadores. A Etapa 1 envolveu aspectos tecnológicos e teóricos, que permitissem a criação de um ambiente de aprendizagem 100% virtual hospedado no sistema Moodle/USP. Foram desenvolvidos materiais pedagógicos tais como: aulas, vídeos, podcasts, fóruns, atividades de autoavaliação intermediária e final. Foram também incorporados documentos oficiais e artigos científicos rigorosamente selecionados. Todas as etapas de desenvolvimento contaram com equipe técnica especializada em alimentação e nutrição, assim como em tecnologia de comunicação e educação digital. Na Etapa 2 – o público-alvo foi caracterizado quanto aos aspectos demográficos, saúde, socioeconômicos e educacionais. Foram avaliados conhecimentos, comportamentos e atitudes frente aos alimentos, assim como sua percepção quanto aos aspectos estruturais do seu ambiente escolar que poderiam permitir a implementação de ações envolvendo EAN. Na Etapa 3 – houve a capacitação do público-alvo, que após inscrição passou a ter acesso a plataforma EaD, com carga horária de 110 horas, formada por 4 Eixos com 5 Módulos por eixo, onde aspectos como história da alimentação, políticas públicas sobre EAN, alimentação como ferramenta de promoção da saúde e prevenção de doenças, marcos regulatórios sobre Educação em Saúde foram abordados. Nesta etapa, os cursistas elaboraram sua história alimentar e foram orientados a criar pelo menos uma proposta educativa envolvendo o tema EAN capaz de ser incorporada à sua área de conhecimento e no seu ambiente escolar. Este Programa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Os resultados mostraram que a maioria dos participantes eram do sexo feminino, raça branca, não tabagista, não etilista e cerca de 40% não apresentaram nenhuma doença ou fizeram uso regular de medicamento. O excesso de peso avaliado pelo índice de massa corporal foi elevado entre adultos (68,5%) e idosos (48,4%). Observou-se uma sobrecarga de trabalho entre os participantes, onde 58,4% trabalhavam mais de 40 horas por semana. O comportamento alimentar evidenciou um consumo elevado de alimentos gordurosos e frituras em 21% pelo menos 3 vezes por semana, enquanto 19% relataram consumir refrigerantes e sucos artificiais 3 ou mais vezes ao longo da semana. Destaca-se que somente 16,1% dos educadores relataram ter realizado alguma capacitação prévia sobre EAN, enquanto 28% citaram ter feito alguma atividade envolvendo essa temática com seus alunos. 79,3% dos participantes manifestaram satisfação geral com o PEDUCA. Após o término, os participantes foram avaliados quanto à aquisição de conhecimentos e mudanças comportamentais. Os resultados mostraram que houve mudanças significativas na capacidade dos participantes associarem alimentos com o risco aumentado para determinadas doenças, assim como houve aumento no percentual de indivíduos que mostraram habilidade em identificar alimentos por alguma característica positiva e/ou negativa em termos de promoção da saúde. Portanto, os resultados nos permitem concluir que o PEDUCA se trata de uma experiência exitosa, com os indicadores das três etapas que o compõe tendo atingido seus objetivos, ou seja, a plataforma EaD foi desenvolvida, o público-alvo foi caracterizado e capacitado quanto a EAN voltada à promoção da saúde e prevenção de doenças, assim como mostrou mudanças positivas em suas atitudes frente aos alimentos.

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência