APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Mangá Educativo: Do Campo à Mesa

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Isabela Ribeiro Zanina Discente de Nutrição Brasília
Isabela Mendes Coutinho Discente de Nutrição Brasília
Gabriel Farias Brito Barbosa Discente de Nutrição Brasília
Amanda Borda da Costa Discente de Nutrição Brasília
Leonardo de Carvalho Leite Andrade Discente de Nutrição Brasília
Anelise Rizzolo de Oliveira Docente de Nutrição (orientadora do projeto) Brasília

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Universidade de Brasília

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
Distrito Federal Brasília

1.5 Região do país

Centro-Oeste

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Isabela Ribeiro Zanina Discente de Nutrição Brasília

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 2 - EAN no campo da Educação

1.8 Público participante da experiência

AdolescentesAdultosComunidade em geralEstudantes

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
Universidade
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
integralidade
intersetorialidade
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

Este trabalho aborda de forma intersetorial todas as etapas que constituem a trajetória de um alimento, do campo ao consumo, incluindo aspectos como a higienização, transporte, processo de conservação, composição nutricional dos alimentos e comensalidade. O princípio de integralidade foi trabalhado por meio da história complexa que trabalha diferentes pontos de atuação necessários para promoção de uma alimentação adequada e saudável. Além disso, a história tangencia o apoio à produção sustentável, visto que o protagonista foi plantado em uma área de produção agroecológica, permitindo que o início da reflexão sobre o assunto seja feito, tendo em vista que a comercialização e disponibilidade dos demais tomates era facilitada em comparação com o Tuti, de agricultura familiar.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

Os objetivos da atividade foram: desenvolver um material educativo capaz de expressar ao público escolhido (comunidade acadêmica e estudantes) de forma lúdica a importância dos aspectos microbiológicos, nutricionais, culturais/ambientais e da comensalidade para a promoção da alimentação adequada e saudável e estimular a reflexão do público sobre sistema alimentar e sua repercussão na alimentação da população.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
II- Abordagem do sistema alimentar, na sua integralidade
III- Valorização da cultura alimentar local e respeito à diversidade de opiniões e perspectivas, considerando a legitimidade dos saberes de diferentes naturezas
IV- A comida e o alimento como referências; Valorização da culinária enquanto prática emancipatória
V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VIII- Intersetorialidade
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
Em relação ao Guia Alimentar para a População Brasileira, dentre outras, foram utilizadas como base principalmente quatro diretrizes e 2 princípios, sendo a primeira diretriz ‘’comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, em companhia’’; a segunda ‘’planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece – da compra e organização dos alimentos até a definição do cardápio e a divisão das tarefas domésticas relacionadas ao preparo das refeições’’; a terceira “evitar alimentos ultraprocessados (aqueles que sofrem muitas alterações em seu preparo e contêm ingredientes que você não conhece)” e a quarta “desenvolver habilidades culinárias”. Quanto aos princípios, esses foram “Alimentação é mais que ingestão de Nutrientes” e “Alimentação adequada e saudável deriva de sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável”. Já no que diz respeito ao Guia alimentar para crianças menores que 2 anos, dentre outros, principalmente foram utilizados os passos 6, 7 e 9 para uma alimentação saudável, sendo esses, respectivamente: ‘’oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida’’, ‘’estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições’’ e, por fim ‘’cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos, garantir o seu armazenamento e conservação adequados’’.
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 12 - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
ODS 16 - Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
Surgiu como uma demanda de uma matéria realizada pelos discentes de nutrição da Universidade de Brasília. O projeto final pedia que os estudantes desenvolvessem um material educativo capaz de expressar ao público escolhido de forma lúdica a importância dos aspectos microbiológicos, nutricionais, culturais/ambientais e da comensalidade para a promoção da alimentação adequada e saudável, a partir do diagnóstico realizado pela análise de geladeiras na primeira etapa da disciplina.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
Parte desta etapa está inserida na atividade de diagnóstico de análise de interiores das geladeiras. A turma selecionada foi dividida em grupos de 5 pessoas e cada grupo foi convidado a compartilhar fotos das geladeiras de 2 integrantes do grupo para que fossem analisadas e discutidas com a turma. A partir das fotos e justificativas dos membros que compartilharam as fotos, foram analisados alguns dos determinantes das escolhas alimentares, principalmente fatores econômicos, psicológicos, físicos e sociais. Também foi levado em consideração as tensões atuais relacionadas à ordem alimentar moderna vigente.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
As prioridades e objetivos da experiência foram definidos levando em consideração: o objetivo da ementa da disciplina (integração de disciplinas), as discussões em sala de aula, orientações das professoras/monitoras, o nível de complexidade atingido pelos alunos nas discussões, o tempo e recursos materiais disponíveis para o grupo
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Não
sim, em quais etapas e como participaram ?
Sim, os sujeitos participaram de todas as etapas: diagnóstico, planejamento, implementação e acompanhamento. Quanto ao diagnóstico, houve participação efetiva na etapa onde foram feitas as análises das geladeiras. O planejamento e implementação foram feitos pelos próprios alunos em conjunto com a professora através do compartilhamento da história no Instagram da disciplina e o acompanhamento foi feito através de um Quiz, compartilhado no mesmo Instagram, o qual ficou disponível para todos os integrantes daquela disciplina, integrantes futuros e todos as pessoas que tiveram acesso à história.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
As aulas eram em formato de roda de conversa e o Mangá (o qual teve participação ativa dos sujeitos em seu processo de elaboração) foi apresentado à toda turma e postado no Instagram da disciplina. Após a postagem, foi disponibilizado um QUIZ para que as pessoas respondessem baseando-se no que aprenderam com a história.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Foram utilizados notebooks e celulares para as aulas online e reuniões do grupo, além disso utilizado papel A4, lapiseira 0.7, canetas nanquin (0.025; 0.1; 0.3; 0.5; 0.8), lápis de cor supersoft, scanner e programa de edição de imagem para confecção do mangá.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
O mangá disponibilizado em formato de ebook pode ser utilizado por diversos profissionais visando a EAN, por exemplo professores, estudantes e profissionais de saúde. O ebook pode ser impresso ou disponibilizado de forma virtual, assim, a leitura pode ser feita em grupo ou de forma particular e a reflexão/discussão dos temas abordados no mangá podem ser trabalhados pelos profissionais após a leitura ou podem ser feitas de forma individual, por cada leitor.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
Não houve um processo de avaliação formal. O material está nas redes sociais e segue o fluxo de compartilhamentos espontâneos, porém foi possível avaliar o conhecimento das pessoas as quais foram alcançadas pela história através das respostas dadas no Quiz por meio do chat do Instagram no dia da postagem. Entende-se que como projeto final de uma disciplina o resultado alcançado foi bem relevante, porém a estratégia de EAN pode ser adaptada para futuros trabalhos, por exemplo utilizar a história para iniciar a conversa sobre os temas que abordados no enredo, porém em uma roda de conversa poderiam ser melhor discutidos. Outro ponto de melhora poderia ser uma enquete formal pós-disponibilização do Mangá para o público-alvo da ação.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Nosso grupo recebeu diversos feedbacks positivos por parte de professores orientadores, de colegas do curso de Nutrição e alguns nutricionistas. Além disso, no âmbito de EAN, foi notório o impacto que nosso trabalho gerou em pessoas que não tinham contato algum com temáticas da Nutrição. Apesar de não ter sido feito um diagnóstico formal após a disponibilização do material educativo e do quiz via Instagram da turma, percebemos que alguns conceitos, por exemplo, sobre produção agroecológica, radiação dos alimentos, dentre tantos outros, foram comentados por diversos leitores do nosso Mangá. Tendo isso em vista, a possibilidade de ampliação do material para outras instituições é válida, uma boa opção de adaptação seria utilizar o mangá para abrir/dar início a uma atividade de EAN (por exemplo uma roda de conversa) e assim trabalhar com o grupo alguns pontos que foram abordados na história, mesmo que de forma indireta, para uma análise crítica e construção de conhecimento em conjunto. Escolas, hospitais, escolas técnicas, clínicas de nutrição ou ainda de outros grupos que queiram iniciar uma discussão sobre sistemas alimentares são algumas das muitas possibilidades de aplicação do “Mangá Educativo: Do Campo à Mesa “em EAN.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
A experiência foi fruto de uma atividade pedagógica realizada por discentes do curso de Nutrição da Universidade de Brasília em uma disciplina do segundo semestre da graduação. A proposta consistiu em desenvolver um material educativo de divulgação capaz de expressar ao público escolhido (comunidade acadêmica e estudantes) de forma lúdica, a importância dos aspectos microbiológicos, nutricionais e culturais para a promoção da alimentação adequada e saudável e estimular a reflexão do leitor sobre sistema alimentar e sua repercussão na alimentação da população. A primeira etapa para elaboração da atividade proposta partiu do diagnóstico com uma investigação em nível domiciliar: fotografar interiores de geladeiras, de diferentes regiões administrativas de Brasília para analisar o contexto da alimentação adequada e saudável frente à nova ordem alimentar vigente. A turma, dividida em grupos, analisou as geladeiras, a partir dos aspectos nutricionais, microbiológicos e culturais com algumas perguntas norteadoras (Anexo 1). Na segunda etapa os grupos apresentaram em aula as fotos das geladeiras e em discussão coletiva, debateram e estudaram diferentes estratégias de materiais informativo/educativos sobre a promoção da alimentação adequada e saudável. A terceira etapa foi de elaboração dos materiais educativos/instrutivos por cada grupo da disciplina, o grupo que elaborou o mangá realizou em torno de quatro reuniões via Teams para: definir o formato do material educativo e o conteúdo a ser passado, dividir a pesquisa das informações a serem incluídas na história, ajustar possíveis contratempos e escrever as falas dos quadrinhos que foram desenhados por um dos integrantes do grupo (Gabriel Farias). A proposição da revista mangá foi uma ideia de todas as propostas e destacou-se pela criatividade, inovação de forma, de linguagem e abordagem interdisciplinar. A dinâmica pedagógica utilizada na disciplina foi coordenada por três professoras das três áreas em questão (composição dos alimentos, microbiologia e aspectos culturais/ambientais e comensalidade) mediando os encontros e o diálogo interdisciplinar de problematização durante o processo criativo para elaboração do mangá. É importante salientar que, a partir de um problema norteador, os estudantes, sob supervisão das docentes e monitoras da disciplina, realizam a busca das informações técnicas necessárias para a elaboração do material com o cuidado de adequar as imagens e a linguagem para o público desejado. Vale ressaltar que alguns desses conteúdos mais conteudistas que foram colocados como curiosidades entre os capítulos da história, sendo contados por um personagem tido como sábio, a grande mangueira.  A quarta etapa da atividade consistiu em divulgar o material produzido no Instagram da turma, @integranutri.unb (elaborado com este fim), a fim de alcançar comunidade acadêmica e estudantes pra aprender de uma forma lúdica e divertida. Por fim, a quinta etapa foi a de avaliar a experiência realizada, não houve analise formal, porém foi postado um quiz nesse mesmo Instagram da turma com perguntas que trazem aspectos ensinados no mangá e chama o público para interagir e comentar sobre a aprendizagem da experiência realizada. O perfil de seguidores do Instagram da turma foi direcionado para o grupo de estudantes e comunidade acadêmica nas estratégias de divulgação do material produzido. Vale lembrar que o processo educativo potencializou duas dimensões de aprendizagem: a primeira na relação de aprendizado educador/educando na disciplina Integradora, onde a partir de uma relação dialógica os temas relacionados a alimentação e nutrição geraram um deslocamento no processo de ensino – aprendizagem inserindo os educandos como sujeitos – ativos do processo na relação com a produção do conhecimento. A segunda diz respeito ao material informativo/educativo em si e sua divulgação, que emerge como síntese do processo analítico – critico protagonizado pelo grupo ao longo da experiência. Anexo 1 – O que a organização da geladeira pode revelar sobre os comportamentos das pessoas/famílias? – Quais alimentos/comidas estão presentes? Eles são fontes de quais nutrientes? – O que podemos visualizar no interior da geladeira relacionado a comensalidade e às influências culturais? – Os alimentos/preparações presentes na geladeira são propícios para o crescimento de micro-organismos. Quais? Porque? – A forma como esses alimentos/comidas estão acondicionados podem comprometer sua qualidade sensorial? Porque? – As práticas culturais influenciam o acondicionamento dos alimentos/comidas na geladeira. Porque? – Que tipo de situação pode alterar seu o valor nutricional dos alimentos/preparações/comida durante o processo de armazenamento na geladeira? Porque? – Os alimentos/preparações presentes na geladeira podem provocar ou colocar em risco a saúde das pessoas? – Há riscos de surtos de contaminação, intoxicação ou infecção alimentar? Porque?

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência