APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL PARA MERENDEIRAS DE ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DA CIDADE DE MANAUS-AM

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Carla Mariana Alencar Marques Ribeiro nutricionista Manaus
Anthony Clyn Nascimento Barros nutricionista Manaus
Ediane Moraes de Souza nutricionista Manaus
Suely de Souza Costa estatística pesquisadora Manaus
Dionisia Nagahama nutricionista pesquisadora Manaus

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
​Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino - SEDUC

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
AM Manaus

1.5 Região do país

Norte

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Dionisia Nagahama Pesquisadora Manaus

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 2 - EAN no campo da Educação

1.8 Público participante da experiência

AdultosOutrosTrabalhadoras/es
merendeiras e merendeiros

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
Escola Pública
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
​Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
nenhum destes
não sei informar

Por favor justifique/comente sua resposta

Nao se aplica

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

Dar continuidade ao estudo Educação Alimentar e Nutricional para Merendeiras de Escolas Públicas de Ensino Fundamental I da Cidade de Manaus-AM, realizado em 2016. A demanda foi maior após esta capacitação, pois iniciamos o projeto piloto “Horta Panc nas escolas como instrumento pedagógico”, na qual foi necessária a capacitação das(os) merendeiras(os) para a utilização das PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais), incluindo tanto as partes não convencionais, como o modo de preparo (talos, sementes, cascas e alimentos não maduros). Também foi devido ao número incipiente de nutricionistas efetivas para realizar as capacitações dentro do Programa de Alimentação Escolar no Estado.Portanto, o objetivo foi avaliar o impacto da capacitação das(os) merendeiras(os) das escolas de Ensino Fundamental I de Manaus que iriam iniciar a implantação da horta PANC como instrumento pedagógico nas áreas de nutrição, agroecologia e meio ambiente.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
Foi utilizado o Guia para o tema sobre Alimentação Saudável, Adequada e Sustentável como: Categorias dos Alimentos (in natura e minimamente processado; alimentos para preparações culinárias; alimento processado e ultraprocessado); Grupos dos Alimentos; Recomendações e a Regra de Ouro do Guia.
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS 2 - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
No projeto anterior foi aplicado um questionário sobre conhecimentos da (o)s merendeira(o)s e verificou-se a necessidade de atualizá-las nas questões da Alimentação Saudável, Adequada e Sustentável e de alguns itens referentes às Boas Práticas de Manipulação dos Alimentos. Foi sugerido pela responsável técnica em nutrição da SEDUC a continuação das capacitações, mas com escolas que poderiam implantar uma horta PANC. A priori eram duas escolas representando cada área distrital, totalizando 7 escolas, mas devido ao interesse dos gestores e professores, este número aumentou para 27 escolas.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
Com a finalidade de conhecer a realidade da situação entre os preparadores da alimentação nas escolas, foi aplicado um questionário às (aos) merendeiras(os) antes e após a capacitação educativa a fim de avaliar o impacto da intervenção.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
Como a implantação da horta seria lenta, pois demandaria da programação das escolas na aquisição de insumos, da verba, da preparação do local destinado a horta, do plano pedagógico, de recurso humano,etc, iniciamos com a atividade mais imediata que foi a capacitação das(os) merendeiras(os), para, posteriormente, trabalharmos com os professores sobre os temas de agroecologia e meio ambiente. Definiu-se iniciar com o conhecimento da realidade com observação local e aplicação do questionário sobre noções básicas de nutrição; alimentação saudável e boas práticas de manipulação de alimentos para o público alvo.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Não
sim, em quais etapas e como participaram ?
Nao se aplica
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Foi utilizada a metodologia da problematização, com questionamentos sobre assuntos ligados aos temas da capacitação, com apresentação de vídeos com atividades do cotidiano de uma cozinha, listando as dúvidas e as polêmicas no quadro branco. Posteriormente foi iniciada a capacitação e cada dúvida listada foi novamente discutida e sanada. Também teve apresentação de situações – problemas da rotina profissional e doméstica encenadas pelos então bolsistas, (atualmente são nutricionistas), conforme roteiro elaborado por eles. As capacitações foram realizadas em dois dias, sendo de aulas expositivas, dialogadas e utilizando-se de dinâmicas para a construção do conhecimento
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Vídeos e apresentação dos temas da capacitação em power point utilizando datashow; esquetes sobre situações cotidianas na alimentação escolar encenadas pelos bolsistas; dinâmica realizada em grupos para a verificação do conhecimento sobre os alimentos regionais e Grupos de Alimentos apresentado em cartolina.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
O Roteiro da Capacitação pode ser aplicado por técnico de nutrição e aprimorado por profissionais de educação ou por estudantes de nutrição acompanhados por profissional de saúde ou educação. A parte prática pode ser realizada por profissionais de gastronomia, pois teve o momento de utilização integral dos alimentos utilizados na alimentação escolar, PANC e alimentos regionais.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
Inicialmente foi realizado um teste sobre os conhecimentos dos temas abordados na capacitação e também foi aplicado o mesmo teste após a intervenção. Foram realizadas análises estatísticas dos acertos e erros de cada bloco de perguntas e verificou-se a eficácia da capacitação. Os assuntos contemplados no questionário foram divididos em 3 categorias: Noções Básicas de Nutrição (4 questões), Alimentação Saudável (10 questões) e Boas Práticas de Fabricação de Alimentos (14 questões). No que diz respeito ao questionário aplicado, verificou-se que no inicial obteve-se 71,03% de acertos e no final após a capacitação 91,17%, estatisticamente significante (p<0,01). Desse modo foi possível observar que o conhecimento das(os) merendeiras(os) foram satisfatórios mesmo antes da capacitação. Entretanto, os itens que ocorreram maior percentual de erro inicial foram sobre EPI (94,4%); alimentos que combatem a anemia (86,1%) e nutrientes essenciais (77,8%) e após a capacitação foi de 5,6%; 13,9% e 50%, respectivamente.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Essa experiência contribuiu para a mudança e melhoria da realidade alimentar e nutricional das merendeiras destas escolas públicas, pois informações foram adquiridas. Entretanto, para além destes conhecimentos, foi também destacada a importância da(o) merendeira(o) na formação dos hábitos saudáveis nas crianças, visto que a capacitação foi direcionada para as escolas do Ensino Fundamental I. Tais conhecimento podem ser praticados no convívio familiar. Acredita-se que essa experiência pode ser reproduzida em outras escolas públicas e privadas do Brasil, com adequações na parte prática utilizando alimentos da alimentação escolar, regional e PANC de cada local.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
O estudo teve como objetivo verificar o impacto da capacitação de merendeiras(os) da rede pública estadual da cidade de Manaus – AM, sobre os temas: Noções básicas de nutrição; Alimentação saudável e Boas práticas de fabricação. A capacitação foi realizada com 36 merendeiras(os), de 6 zonas da cidade de Manaus – AM. Sendo realizada em dois dias de capacitação teórica acerca dos temas selecionados, e um dia de prática com os temas: Aproveitamento integral dos Alimentos e Preparações à Base de PANC totalizando 12 horas. A média de idade dos participantes foi de 45,5 anos, sendo que 55,55% apresentavam entre 31 e 50 anos. A maioria (91,66%) eram mulheres; 69,44% apresentavam 2° grau completo e 22,22% ensino superior. Para avaliação da eficácia da capacitação aplicou-se um questionário inicial e o mesmo foi aplicado ao final. Verificou-se que no início houve 71,03% de acertos, aumentando após a capacitação para 91,17%, estatisticamente significante (p<0,01). Durante a capacitação foi possível observar que o conhecimento dessas merendeiras(os) foi satisfatório mesmo antes da capacitação. Entretanto, os itens que ocorreram maior percentual de erro inicial foram sobre EPI (94,4%); alimentos que combatem a anemia (86,1%) e nutrientes essenciais (77,8%) e após a capacitação foi de 5,6%; 13,9% e 50%, respectivamente. É fundamental que essas capacitações sejam continuadas e frequentes a fim de implantar a educação nutricional nas escolas.

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência