APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Educação Alimentar e Nutricional (EAN) na Educação Infantil da Rede de Escolas Sesc Santa Catarina em 2022: Dez Passos para Alimentação Adequada e Saudável

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Letícia Zago Nutricionista Florianópolis
Jéssica da Luz Pereira Pucci Gerente de Saúde e Assistência do Sesc SC Florianópolis

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Serviço Social do Comércio de Santa Catarina - Sesc SC

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
Santa Catarina Florianópolis
Santa Catarina Blumenau
Santa Catarina Brusque
Santa Catarina Chapecó
Santa Catarina Concórdia
Santa Catarina Criciúma
Santa Catarina Curitibanos
Santa Catarina Itajaí
Santa Catarina Jaraguá do Sul
Santa Catarina Joinville
Santa Catarina Lages
Santa Catarina Laguna
Santa Catarina Mafra
Santa Catarina Palhoça
Santa Catarina Rio do Sul
Santa Catarina São Bento do Sul
Santa Catarina São João Batista
Santa Catarina São Miguel Doeste
Santa Catarina Tijucas
Santa Catarina Tubarão
Santa Catarina Xanxerê

1.5 Região do país

Sul

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Letícia Zago Nutricionista Florianópolis

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 2 - EAN no campo da Educação

1.8 Público participante da experiência

Crianças - 0 a 2 anosCrianças - 2 a 5 anos
Familiares dos alunos do Sesc SC e Educadores

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
Escola Privada
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
todas as pessoas têm o direito de estarem livres da fome
todas as pessoas têm o direito de ter acesso à alimentação adequada saudável
universalidade
integralidade
equidade
intersetorialidade
participação social
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

O Sesc tem como missão contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, em especial para aqueles de baixa renda, e por meio dos seus serviços democratiza o acesso à saúde, educação, cultura, lazer e assistência, tendo as ações educativas característica básica das ações institucionais. Desta forma, as ações de educação alimentar e nutricional estão previstas na alimentação escolar anualmente. O Guia Alimentar para a População Brasileira e Guia Alimentar para crianças menores de 02 anos são dois principais instrumentos norteadores da construção dos cardápios e planejamento das ações educativas, entendendo a escola como órgão que deve garantir o direito à alimentação adequada e saudável aos alunos durante o período escolar, bem como agente fundamental para o incentivo a hábitos alimentares saudáveis, sobretudo na primeira infância, considerando a construção do conhecimento sobre alimentação a partir do acesso a alimentos saudáveis e vivências positivas relacionadas à alimentação na escola. O projeto é construído e executado de forma intersetorial e multidisciplinar, e tem como diretrizes agregar no desenvolvimento do projeto as práticas básicas do Sesc de incentivo ao desenvolvimento e autonomia, protagonismo e sustentabilidade. O compartilhamento dos conteúdos teóricos com as famílias contribui para a sensibilização destes atores sobre o tema, incentivando suas participações no processo.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

Promover alimentação adequada e saudável na perspectiva do Guia Alimentar para a População Brasileira, por meio da oferta de lanches e refeições e da realização de ações educativas no contexto escolar privado, atendendo as características básicas de atuação do Sesc e atendendo as recomendações do Marco de Referência para EAN.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
II- Abordagem do sistema alimentar, na sua integralidade
III- Valorização da cultura alimentar local e respeito à diversidade de opiniões e perspectivas, considerando a legitimidade dos saberes de diferentes naturezas
IV- A comida e o alimento como referências; Valorização da culinária enquanto prática emancipatória
V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VI- A Educação enquanto processo permanente e gerador de autonomia e participação ativa e informada dos sujeitos
VII- A diversidade nos cenários de prática
VIII- Intersetorialidade
IX- Planejamento, avaliação e monitoramento das ações
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
Todas os princípios e recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira são trabalhados neste projeto, considerando este ser o tema das ações e documento norteador para elaboração dos cardápios, considerando ainda a abrangência estadual e a diversidade de cenários nos quais ele é aplicado, e o protagonismo dos educadores locais no desenvolvimento das ações educativas a partir do tema proposto. A construção de um cardápio estruturado permite substituições nutricionalmente adequadas considerando questões locais como estrutura da escola, fornecedores locais, faixa etária e preferência dos alunos, cultura alimentar da região, entre outros fatores que compõem os significados alimentares. O Guia Alimentar para crianças menores de 02 anos é norteador para a construção dos cardápios e manejo alimentar para esta faixa etária, cuja produção da alimentação é realizada em espaços especificamente preparados nas escolas para atender a esta demanda (lactários).
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS1 - Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares
ODS 2 - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 4- Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
ODS 10 - Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles
ODS 12 - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
As ações educativas constituem característica básica das ações institucionais do Sesc e permeiam todos os serviços desenvolvidos, tendo como principais vertentes a informação, a capacitação e o desenvolvimento de valores. Além disto, o aumento dos índices de insegurança alimentar, caracterizados pelo acesos inadequado a alimentos de qualidade, seja pela falta de acesso ou pela falta de informação, tem levado cada vez mais ao aumento da fome ao mesmo tempo em que percebemos o aumento de sobrepeso e obesidade em todas as camadas da população, tornando ainda mais evidente a necessidade de fornecer alimentação de qualidade na escola, entendendo a forte influência deste ambiente na construção dos saberes, e também realizar ações educativas específicas sobre nutrição e alimentação para toda comunidade escolar, envolvendo cada vez mais as famílias. Por meio do monitoramento antropométrico anual realizado na rede de Escolas Sesc SC, constatou-se que em 2019, 30,41% das crianças abaixo de 5 anos avaliadas apresentaram excesso de peso. Em 2020 em razão da pandemia este índice não foi monitorado, e em 2021 a coleta de dados está em andamento. Para além do marco de referência, a alimentação adequada e EAN é uma questão de saúde e cidadania, de responsabilidade.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
Todos os educadores e nutricionistas do Sesc SC foram envolvidos na construção do projeto, por meio de reuniões virtuais, e todos tiveram a oportunidade de contribuir. Todos os alunos do Sesc são monitorados anualmente por meio de avaliações antropométricas. As pesquisas ENANI 2019, UNICEF 2021 (Alimentação na Primeira Infância) e Rede PENSSAN 2020 e 2021 forneceram subsídios importantes para a escolha do tema do projeto deste ano.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
A partir de pesquisas recentes que mostram dados sobre o aumento da fome e da obesidade, bem como sobre a falta de entendimento por parte de parte da população a respeito do valor nutricional dos diferentes tipos de alimentos, somando-se às diretrizes institucionais a respeito de sustentabilidade, saúde e cidadania, entendeu-se que as diretrizes do Guia Alimentar seriam os temas mais adequados para serem abordados com alunos e famílias em 2022.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Sim
sim, em quais etapas e como participaram ?
Todos os educadores e nutricionistas do Sesc SC foram envolvidos na construção do projeto, e todos os alunos tem a oportunidade de responder aos testes de aceitabilidade referentes às preparações experimentais.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Todos os educadores e nutricionistas do Sesc SC foram envolvidos na construção do projeto, processo no qual foram definidos os temas norteadores, carga horária, materiais e utensílios necessários e documentos de referência. A forma de desenvolvimento das ações fica sob responsabilidade de nutricionistas e educadores locais, que o fazem considerando a etapa e tema indicados no Guia de Orientações e as especificidades de cada público e região. O teste de aceitabilidade foi adaptado a partir da Escala Hedônica, e inserido em uma plataforma digital. O cardápio estadual foi reorganizado em categorias, de forma que abre possibilidade para substituições locais por razões como estrutura da escola, faixa etária atendida, preferências dos alunos ou disponibilidade de fornecedores locais. Considerando as categorias, as substituições são feitas sem comprometer a qualidade nutricional das preparações oferecidas ao longo da semana, com previsão mensal de lanches regionais e com novos sabores. O projeto é desenvolvido em 3 etapas: teoria, experiência e oficina culinária.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
No Guia de Orientações do projeto enviado para as unidades escolares estão descritos todos materiais e recursos mínimos necessários para o desenvolvimento do projeto, como equipamentos, utensílios e recursos financeiros. O Guia de Orientações consta no anexo deste documento.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
O projeto em si pode ser aplicado por outros profissionais em outras escolas, em projetos sociais ou outras organizações públicas e privadas, considerando o tema. Todos os materiais educativos desenvolvidos localmente pelas unidades executoras podem ser reproduzidos em diferentes contextos. Este projeto está sendo realizado em 23 Escolas de 22 municípios de Santa Catarina, e também está sendo desenvolvido, como piloto, dentro de uma Instituição Social sem fins lucrativos, por meio do Programa Mesa Brasil Sesc (Banco de Alimentos do Sesc), o que demonstra adaptabilidade do projeto em diferentes contextos. O teste de aceitabilidade foi adaptado e está sendo aplicado por meio de link, e pode ser adaptado para outros materiais.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
O projeto ainda está em andamento, de forma que os resultados não estão fechados. Entretanto, é notável que a realização de ações de EAN de forma contínua e contextualizada despertou o interesse da comunidade escolar pelo tema e refletiu positivamente no ambiente escolar e na aceitação dos lanches, que poderá ser medida pelos resultados dos testes de aceitabilidade. É notável também que o manejo dos cardápios, considerando questões regionais e cultura alimentar local contribuiu para a oferta de uma alimentação mais adequada, saudável e aceita pelos alunos, e constituiu ferramenta importante de educação nutricional ao considerar todos os significados que compõem o comportamento alimentar. As atividades desenvolvidas na etapa prática do projeto estão proporcionando vivências importantes para a construção do conhecimento sobre alimentação e nutrição, entendendo as informações teóricas para as famílias. Os resultados das avaliações antropométricas (serão fechados ao final do ano letivo) são indicadores que podem sugerir a importância da realização destas práticas. Ao final do projeto, teremos os resultados da avaliação antropométrica dos alunos, resultados dos testes de aceitabilidade e avaliação das famílias.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Sim. Percebe-se o envolvimento da maioria dos alunos e educadores nos temas propostos. Percebeu-se também melhor aceitação da alimentação escolar pelos alunos e suas famílias. O projeto pode ser aplicado em outros momentos e realidades, inclusive dentro do próprio Sesc este projeto já está sendo aplicado em outro contexto (Banco de Alimentos).

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
Introdução: As ações educativas constituem característica básica das ações institucionais do Sesc e permeiam todos os serviços desenvolvidos, tendo como principais vertentes a informação, a capacitação e o desenvolvimento de valores. A Educação Alimentar e Nutricional (EAN), no contexto do Direito Humano à Alimentação Adequada e da Segurança Alimentar e Nutricional, é campo de conhecimento e de prática contínua e permanente, transdisciplinar, intersetorial e multiprofissional, que visa promover a autonomia para hábitos alimentares saudáveis, sendo prática permanente na Rede de Escolas Sesc Santa Catarina. Objetivo geral: Promover alimentação adequada e saudável na perspectiva do Guia Alimentar para a População Brasileira, por meio da oferta de lanches e refeições e da realização de ações educativas no contexto escolar privado. Metodologia: O projeto está sendo desenvolvido com 3.791 alunos de 09 meses a 05 anos, matriculados na educação infantil de 23 escolas do Sesc localizadas em 22 cidades catarinenses, durante 10 meses letivos de 2022, com a temática “Dez Passos para Alimentação Adequada e Saudável”. Em cada mês, um passo é trabalhado em três etapas, sendo uma etapa por semana com duração aproximada de 01 hora e adequadas a cada faixa etária. As três etapas previstas para cada mês são: 1. teoria ou estudo – visa explorar o conteúdo teórico do passo do mês, podendo ocorrer por meio de contações de histórias, pesquisas, ou outras metodologias e recursos a critério do educador; 2. experiência prática ou sensorial – visa proporcionar uma vivência a respeito do passo abordado na etapa de estudo, que pode ser por meio de visita a algum local, produção de materiais, histórias ou peças teatrais, entre outros recursos que contribuam para a construção do conhecimento a partir da percepção dos alunos. Para os alunos menores sugere-se experiências sensoriais ou a critério do educador; 3. oficina culinária – faz-se a produção de preparações relacionadas ao tema, incentivando a participação dos alunos na organização antes, durante e após a atividade de culinária. O texto original referente ao passo do mês é compartilhado com as famílias, incentivando a leitura do Guia Alimentar para a População Brasileira, documento que também norteia oferta de refeições e lanches escolares aos alunos das Escolas do Sesc. Neste sentido, a elaboração dos cardápios considera tanto o valor nutricional dos alimentos oferecidos quanto questões regionais, cultura alimentar local e a preferência dos alunos. O projeto complementa-se pelo incentivo à experimentação de novos sabores, prática desenvolvida por meio da oferta mensal de lanches específicos sinalizados nos cardápios, os quais estão sendo avaliados por meio de teste de aceitabilidade (Escala Hedônica adaptada) que os alunos respondem através de um link. Todas as unidades escolares recebem um Guia de Orientações para nortear a execução do projeto, onde constam todas as orientações e referências bibliográficas de apoio. Resultados: Por tratar-se de um projeto em desenvolvimento, a fase de mensuração dos resultados, medida por meio dos testes de aceitabilidade, não está concluída. Entretanto, pode-se perceber ao longo do ano o engajamento dos alunos e educadores nas ações propostas, demonstrando o interesse pelo tema. Percebeu-se também melhor aceitação da alimentação escolar pelos alunos e seus responsáveis. Conclusão: Por tratar-se de um projeto em desenvolvimento, a fase de conclusão será elaborada ao final das ações propostas. Entretanto, é notável que a realização de ações de EAN de forma contínua e contextualizada despertou o interesse da comunidade escolar pelo tema e refletiu positivamente no ambiente escolar. É notável também que o manejo dos cardápios, considerando questões regionais e cultura alimentar local contribuiu para a oferta de uma alimentação mais adequada, saudável e aceita pelos alunos, e constituiu ferramenta importante de educação nutricional ao considerar todos os significados que compõem o comportamento alimentar. INFORMAMOS QUE TEMOS AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMAGEM DOS ALUNOS CONCEDIDAS AO SESC, ENTRETANTO, ESTE DOCUMENTO NÃO AUTORIZA O USO DE IMAGENS POR TERCEIROS. NESTE SENTIDO, O VÍDEO QUE CONSTA NO LINK ABAIXO FOI INSERIDO COMO FORMA COMPLEMENTAR DE DEMONSTRAÇÃO DO PROJETO EM REALIZAÇÃO, E NÃO DEVE SER PUBLICIZADO SEM SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO. CASO ESTE PROJETO VENHA A SER SELECIONADO, NOS COMPROMETEMOS EM DISPONIBILIZAR EM TEMPO HÁBIL IMAGENS E VÍDEO ESPECÍFICO PARA ESTA FINALIDADE, COLETANDO AS DEVIDAS AUTORIZAÇÕES PARA USO DAS INSTITUIÇÕES ORGANIZADORAS DO LIS-EAN. POR ESTE MOTIVO, NESTE MOMENTO, NÃO FORAM INSERIDAS IMAGENS, SOMENTE FORAM INSERIDOS LINKS DE PUBLICAÇÕES FEITAS NAS MÍDIAS DO SESC COMO COMPROVAÇÃO DE EXECUÇÃO DO PROJETO. Matéria blog: https://www.sesc-sc.com.br/saude/receita-do-bolo-de-cacau-e-beterraba-que-fez-sucesso-entre-as-criancas-das-escolas-sesc Matéria blog: https://www.sesc-sc.com.br/saude/testes-de-aceitabilidade-alimentar-indicam-as-preferencias-dos-estudantes-da-rede-sesc-de-ensino Instagram: https://www.instagram.com/p/Cfl5fgoPHcp/?igshid=YmMyMTA2M2Y Vídeo: https://www.canva.com/design/DAFNbWmi-A4/M-Fm4xQ15R0YvPIu9rob0w/watch?utm_content=DAFNbWmi-A4&utm_campaign=designshare&utm_medium=link2&utm_source=sharebutton

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência