APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Alimentação, Nutrição e envelhecimento: desafios para a formação do profissional nutricionista na necessidade de inovação no âmbito da articulação entre ensino, pesquisa e extensão.

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Débora Martins dos Santos Professor Associado INU DNS UERJ- Coordenador Rio de Janeiro
Maria Fátima Garcia de Menezes Professor Associado INU DNS UERJ - Equipe Rio de Janeiro
Elda Lima Tavares Professor Assistente INU DNS UERJ - Equipe Rio de Janeiro
Flavia dos Santos Barbosa Brito Professor Associado INU DNS UERJ - Equipe Rio de Janeiro
Flavia Regina Costa da Silva Lyra Nutricionista- Bolsista PROATEC UERJ - Equipe Rio de Janeiro
Nancy Rosa ACS CMS Nilza Rosa - Equipe ACS do CMS Nilza Rosa e Integrante da Associação de Moradores do Formiga – coordenadora de atividades com idosos na Associação Rio de Janeiro
Aline Rodrigues Martins Acadêmica de Nutrição UERJ – Equipe Bolsista Rio de Janeiro
Iasmin Supriano de Moura Acadêmica de Nutrição UERJ – Equipe Bolsista Rio de Janeiro
Juliana Ferreira Silva Acadêmica de Nutrição UERJ – Equipe Bolsista Rio de Janeiro
Lyriel Vital Tavares de Souza Acadêmica de Nutrição UERJ – Equipe Bolsista Rio de Janeiro
Mirella Leitão Perfetti Acadêmica de Nutrição UERJ – Equipe Bolsista Rio de Janeiro
Orlando de Almeida Ribeiro Líder da Horta Carioca da Comunidade do Formiga - Equipe Rio de Janeiro
Nancy Rosa ACS CMS Nilza Rosa - Equipe ACS do CMS Nilza Rosa e Integrante da Associação de Moradores do Formiga – coordenadora de atividades com idosos na Associação Rio de Janeiro

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Universidade do Estado do Rio de Janeiro

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
Rio de Janeiro Rio de Janeiro

1.5 Região do país

Sudeste

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Débora Martins dos Santos Professor Associado INU DNS UERJ- Coordenador Rio de Janeiro

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 1 - EAN no campo da Saúde

1.8 Público participante da experiência

AdultosComunidade em geralComunidades/famílias em vulnerabilidade socialFamíliasIdososMulheres
Usuários do SUS participantes do Programa Academia Carioca

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
Unidade Básica de Saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
Horta comunitária.
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
todas as pessoas têm o direito de estarem livres da fome
todas as pessoas têm o direito de ter acesso à alimentação adequada saudável
universalidade
integralidade
equidade
intersetorialidade
participação social
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

Atualmente o projeto PRODOCÊNCIA encontra-se na etapa inicial. As ações de promoção da saúde empregam os princípios da Educação Popular em Saúde e da Promoção da saúde. Inseridas nas práticas de cuidado em saúde na atenção básica no SUS e com foco nas diretrizes do Guia Alimentar para a população brasileira, a proposta possui como eixos o planejamento, execução e avaliação no campo da Nutrição e Saúde Coletiva. As atividades serão voltadas ao cuidado individual e coletivo, em parceria com os diferentes equipamentos públicos e iniciativas sociais locais, de acordo com a realidade sociocultural local. Os conteúdos trabalhados no projeto incluem a organização do SUS; políticas e programas de alimentação, nutrição e saúde voltadas para o cuidado com os adultos, mulheres e especialmente idosos; linhas de cuidados na atenção integral a saúde; determinantes do estado nutricional, epidemiologia nutricional e avaliação nutricional de grupos populacionais e educação alimentar e nutricional para esse grupo populacional.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

Identificar determinantes do estado nutricional (incluindo aspectos contextuais das questões alimentares e nutricionais) dos participantes do programa academia carioca do CMS Nilza Rosa; fomentar a capacitação acadêmica básica e avançada de nutricionistas tendo em vista a promoção de práticas de cuidado em alimentação e nutrição na Atenção Básica de Saúde; apoiar e incrementar as práticas de cuidado em saúde no âmbito das ações de atenção básica no SUS; articular ações da saúde com outros equipamentos sociais disponíveis na comunidade, em especial com o polo do programa de hortas cariocas, desenvolver ações de promoção da alimentação adequada e saudável alinhadas aos princípios recomendados pelo marco de referência de educação alimentar e nutricional.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
II- Abordagem do sistema alimentar, na sua integralidade
III- Valorização da cultura alimentar local e respeito à diversidade de opiniões e perspectivas, considerando a legitimidade dos saberes de diferentes naturezas
IV- A comida e o alimento como referências; Valorização da culinária enquanto prática emancipatória
V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VI- A Educação enquanto processo permanente e gerador de autonomia e participação ativa e informada dos sujeitos
VII- A diversidade nos cenários de prática
VIII- Intersetorialidade
IX- Planejamento, avaliação e monitoramento das ações
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
As ações desenvolvidas pelo projeto Prodocência, se baseiam nos fundamentos do Guia Alimentar para a população brasileira.  Ambos adotam como regra de ouro o estímulo ao consumo de alimentos in natura ou minimamente processados. A horta orgânica presente na comunidade, integrante do projeto Horta Carioca, é equipamento social que fomentará as ações englobando abordagem sobre os sistemas alimentares.
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS 2 - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 4- Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
ODS 12 - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
ODS 15 - Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
A proposição das ações do projeto PRODOCÊNCIA se estrutura como centro articulador de ensino, extensão e pesquisa para atender a demanda crescente do público da unidade de saúde, sobretudo o idoso (público prioritário do programa academia carioca) e apoiar as ações da equipe de saúde do CMS Nilza Rosa. Tal projeto emergiu da experiência da Disciplina Estágio Supervisionado em Nutrição em Saúde Coletiva que se realiza no CMS Nilza Rosa desde março deste ano. As características da população assistida e as demandas da equipe técnica da Unidade motivaram a proposição da presente iniciativa. Assim, os propósitos da ação foram delineados alinhados aos objetivos, ementa e conteúdo da disciplina fazendo articulação com a necessidade de reforçar, no âmbito da atenção básica, as ações da equipe de saúde tendo em vista o desenvolvimento de cuidado em saúde e nutrição, bem como formação profissional mais adequada às demandas crescentes da população local. Neste âmbito, o PRODOCÊNCIA realizará, inicialmente durante 24 meses, ações de promoção da saúde e alimentação saudável tendo como base a relação entre alimentação/nutrição e envelhecimento saudável no cotidiano de vida dos participantes, como uma extensão ampliada das ações de extensão desenvolvidas pelo PROANE – Projeto de Extensão Alimentação, Nutrição e Envelhecimento. Nossa primeira etapa contou com a atualização dos conteúdos bibliográficos e materiais que fundamentam o projeto para dar origem ao planejamento das ações. Etapa seguinte contou com levantamento de dados nos sistemas de informação e visita à unidade e à horta, identificadas como equipamentos estratégicos para a promoção de ações de intervenção. Formação profissional pautada nas necessidades específicas do público no que se refere às questões de alimentação, nutrição e envelhecimento saudável são eixos trabalhados. Parte-se do referencial teórico dos campos da Educação Popular e Promoção da Saúde. A valorização do diálogo, respeito e manutenção da autonomia dos sujeitos, estímulo à troca de experiência/informações entre os participantes; atenção às necessidades específicas da clientela e utilização de metodologia lúdica e interativa exemplificam algumas das premissas trabalhadas. Com isto, também são desenvolvidas ações junto à rede de assistência à saúde, o que possibilita uma maior aproximação da Universidade com o SUS.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
As ações desenvolvem-se a partir de levantamento bibliográfico acompanhado de período de observação das demandas das ações do programada Academia Carioca, realizado no CMS Nilza Rosa. Atendendo aos pressupostos do programa, nesta fase, reforçamos as ações de avaliação nutricional e atualização dos dados das fichas de monitoramento, nomeadamente, avaliações antropométricas e aferições da pressão arterial. Sistematização dos dados e organização de proposta de intervenção inicial foram ações contempladas nesta fase.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
Os dados epidemiológicos, demanda da equipe do CMS Nilza Rosa e análise dos resultados das análises da etapa de identificação fundamentaram o delineamento das ações de promoção da saúde e alimentação saudável. A disponibilidade de uma unidade do programa de hortas cariocas, recurso do ambiente, será empregada como potencializadora das ações de promoção da saúde e da alimentação adequada e saudável do projeto prodocência.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Não
sim, em quais etapas e como participaram ?
Neste momento os sujeitos das atividades são os alunos bolsistas do projeto, que estão se familiarizando com o modelo participativo de ação educativa. Neste sentido, os bolsistas do projeto participam da coleta dos dados (avaliação nutricional dos integrantes da academia carioca), identificação das necessidades do grupo, produção de materiais e práticas educativas. O modelo de planejamento é participativo e a equipe formada por docentes e discentes da Universidade, juntamente com os profissionais da Unidade de Saúde, produzem e coordenam as ações a serem desenvolvidas. A partir disto, a próxima etapa contará com a devolução da avaliação nutricional dos participantes da academia carioca, onde o diálogo das questões de saúde, alimentação e nutrição será implementado. Na primeira ação de promoção da saúde com os usuários, o modelo participativo será implementado tendo em vista a apresentação das características de saúde e nutrição do grupo analisado, discutir com os usuários a avaliação nutricional como parte do cuidado em saúde; pontuar ações integradas do programa Academia Carioca com o projeto de prodocência. A cada atividade a equipe se reúne e delibera as etapas subsequentes usando modelo contínuo de análise de processo.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Sim porque os princípios do projeto são baseados no documento e no marco de EAN, nos eixos de promoção da saúde e nas recomendações do Guia Alimentar para a população brasileira.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Computador portátil, impressora a laser colorida, insumos para a confecção de materiais educativos e para a realização de práticas educativas. A dinâmica empregada foi roda de conversa para apresentação dialogada dos dados da avaliação. Foi produzido um folder para entrega dos dados individuais e outro apresentando receita de sal de ervas produzido a partir das ervas aromáticas disponíveis na horta. A equipe de bolsistas produziu uma oficina culinária interna que foi filmada e o material disponibilizado à equipe como recurso pedagógico.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
não se aplica
Descreva sobre o material/tecnologia social
Foram desenvolvidos materiais para subsidiar ações educativas do CMS Nilza Rosa. Os primeiros foram a ‘’roleta das dúvidas’’ e folder informativo que tinham como foco o “Agosto Dourado”: estratégias de apoio e valorização do aleitamento materno exclusivo. Além disto, foram produzidos vídeos e outros folders para subsidiar ações educativas na unidade, especialmente com os participantes do programa academia carioca. Folder explicativo sobre avaliação nutricional do grupo foi outro material produzido.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
Avaliação preliminar pautada nas apreciações subjetivas da equipe e dos usuários mostram que a inciativa tem alcançado êxito. Pretende-se implantar modelo sistemático para apreciação das ações.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
Foram elaborados materiais para fomentar ação educativa do CMS Nilza Rosa que ocorreu no parque de Madureira, para o Agosto Dourado para dar suporte às ações estratégicas da equipe. Os materiais produzidos foram: roleta das dúvidas e folder com as respostas das perguntas do jogo e orientações de como apoiar a mulher neste período. Além disto, foi realizada uma oficina culinária, para a produção de um sal de ervas com as ervas que estão disponíveis na horta comunitária, iniciativa que foi filmada tendo sido usado o material para a produção de vídeo compartilhado com a equipe e os usuários. O sal de erva foi distribuído em uma das práticas educativas com a finalidade de incentivar o uso de temperos naturais, reforçando o papel da horta comunitária como eixo estratégico para promoção de alimentação adequada e saudável.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
O presente projeto tem como finalidade potencializar a formação profissional de nutricionistas a partir da articulação das ações de ensino, extensão e pesquisa no âmbito da promoção da alimentação, nutrição e envelhecimento saudáveis em uma unidade básica de saúde de uma comunidade no Rio de Janeiro. Participam desta iniciativa docentes universitários, bolsista PROATEC UERJ, a equipe NASF liderada pela Nutricionista e pelo professor de Educação Física, bem como lideranças da comunidade e 5 alunos bolsistas, integrantes do treinamento continuado entre usuários da academia carioca. A proposta iniciou em junho de 2022 e transcorrerá, inicialmente por 24 meses. Sua implementação conta com três etapas: delineamento da proposta (reconhecimento das demandas do público e planejamento das ações); execução e avaliação contínua (para efetivação de ajustes processuais). Foram levantados os equipamentos sociais e recursos operacionais disponíveis no território e providenciados os documentos para registro do projeto. Identificou-se que o território tem uma horta que pertence ao circuito carioca de hortas urbanas, equipamento estratégico para popularizar as ações de promoção da alimentação adequada e saudável. Como parte do preparo dos bolsistas do projeto vem sendo promovido treinamento continuado com aprofundamento teórico nos temas de nutrição em saúde coletiva, especialmente no que se refere à construção de estratégias educativas em alimentação e nutrição onde o marco de referência em educação alimentar e nutricional é referência prioritária. Esta etapa, tem como propósito reforçar a fundamentação teórica e promover, entre os participantes, a postura crítica para subsidiar o desenvolvimento das etapas posteriores, ação que acompanhará todo o projeto promovendo a discussão de textos e estudo de casos advindos das vivências. Até a presente data, foram realizadas 4 visitas a horta da comunidade que contaram com cerca de 35 participantes/cada, discentes da disciplina estágio supervisionado em Nutrição em Saúde Coletiva. Esta ação possibilitou a identificação dos alimentos disponíveis neste equipamento tendo em vista a construção de estratégias para a disseminação da cultura agroecológica urbana e uso mais otimizado dos alimentos disponíveis. Identificou-se que as culturas perenes de ervas aromáticas e temperos comporão o eixo estratégico das ações de valorização do consumo de alimentos in natura e de preparações culinárias, temática que uma das bolsistas já abraçou para realização de seu trabalho de conclusão de curso. Apoio às ações de avaliação das condições de saúde e nutrição, bem como treinamento, sistematização das informações dos participantes e confecção de materiais para práticas de educação em saúde foram ações subsequentes. Neste contexto, pode-se dizer que os desafios operacionais da proposta se referem ao tramite administrativo interinstitucional, etapa que consumiu tempo além do planejado. As potencialidades são enormes e, as atividades em curso têm oportunizado o fortalecimento da parceria entre Universidade e Unidade de Saúde, desenvolvimento de ação formativa integrada às ações de cuidado em saúde e nutrição da população adscrita, com grande contingente idoso. O processo avaliativo das atividades desenvolvidas tem ocorrido em comum acordo com a equipe. Entre as principais atividades desenvolvidas até o momento, destaca-se a criação de um material interativo formulado para um evento do parque Madureira, com enfoque na promoção do aleitamento materno. Além disso, foi realizado a oficina culinária na UERJ para a produção do sal de ervas. Incentivando o uso de especiarias em preparações culinárias com a finalidade de despertar o uso de produtos naturais, reduzir o consumo de sal de adição bem como de temperos industrializados com alto teor de sódio. O sal de ervas foi distribuído aos participantes da academia após apresentação da situação nutricional do grupo, como forma de aproximar os usuários da horta e apoiar a redução do consumo de sal.

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência