APSREDES

Resultado Preliminar
1.1 Título da experiência

Alimentação como ação política: promoção da alimentação adequada, saudável e sustentável para juventudes.

1.2 Autores(as) da experiência

Nome Cargo/Função Município
Amábela de Avelar Cordeiro Docente Cabo Frio
Ana Carolina Cuzat Extensionista Macaé
Maria Clara Haddad Extensionista Macaé
Raíssa Gama Extensionista Macaé
Isabella Santos Extensionista Macaé
Valkyrian Brito Extensionista Macaé

1.3 Organização(ções)/Instituição(ções) promotora(s) da experiência

Organização/Instituição
Centro Multidisciplinar UFRJ - Macaé

1.4 Cidade(s) e Estado (s)

Estado Cidade
Rio de Janeiro Macaé

1.5 Região do país

Sudeste

1.6 Identificação do(a) autor(a) responsável

Nome Cargo/Função Município
Amábela de Avelar Cordeiro Docente Cabo Frio

1.7 Eixo temático da experiência

Eixo 4 - EAN em outros campos de prática

1.8 Público participante da experiência

EstudantesOutros
Jovem

1.9 Onde esta experiência foi desenvolvida

saúde
ASSISTÊNCIA SOCIAL
EDUCAÇÃO
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
OUTROS
Organização da Sociedade Civil, Qual ?
Viva Lagos
1.10 Na avaliação do grupo responsável esta experiência atendeu e/ou promoveu os seguintes princípios
todas as pessoas têm o direito de estarem livres da fome
todas as pessoas têm o direito de ter acesso à alimentação adequada saudável
universalidade
integralidade
equidade
intersetorialidade
participação social
apoio ao desenvolvimento sustentável

Por favor justifique/comente sua resposta

O projeto desenvolve ações educativas que visam contribuir para a ampliação da percepção sobre a alimentação e sua multidimensionalidade, por meio da problematização e reflexão sobre temas diversos (sustentabilidade ambiental, social e econômica; sistema alimentar e produção de alimentos; cultura alimentar e culinária; publicidade e propaganda; gênero e alimentação com ação política) e da mobilização dos adolescentes/jovens para interagirem sobre os temas em diálogo, de forma lúdica e artística. As ações educativas baseiam-se na pedagogia da problematização, inspirada pelos princípios freirianos da educação popular, incentivando o protagonismo juvenil, tendo como referência a promoção da Soberania e a Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à Alimentação.

2. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS RELACIONADOS À EXPERIÊNCIA

2.1 Objetivo(s): Qual é/foi a finalidade das atividades desenvolvidas

O projeto desenvolve ações educativas que visam contribuir para a ampliação da percepção sobre a alimentação e sua multidimensionalidade, por meio da problematização e reflexão sobre temas diversos (sustentabilidade ambiental, social e econômica; sistema alimentar e produção de alimentos; cultura alimentar e culinária; publicidade e propaganda; gênero e alimentação com ação política) e da mobilização dos adolescentes/jovens para interagirem sobre os temas debatidos, de forma lúdica e artística. Objetivo Geral: Promover práticas alimentares adequadas e sustentáveis no contexto da alimentação como ação política. Objetivos Específicos: Ampliar percepção sobre a alimentação e sua multidimensionalidade; Promover a reflexão a crítica sobre a temática da alimentação; Incentivar mobilização de jovens de diferentes meios sociais para promoção da alimentação adequada e sustentável.

2.2 Os objetivos e as atividades desenvolvidas adotaram de maneira explícita algum ou alguns dos princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas

I - Sustentabilidade social, ambiental e econômica
II- Abordagem do sistema alimentar, na sua integralidade
III- Valorização da cultura alimentar local e respeito à diversidade de opiniões e perspectivas, considerando a legitimidade dos saberes de diferentes naturezas
IV- A comida e o alimento como referências; Valorização da culinária enquanto prática emancipatória
V- A Promoção do autocuidado e da autonomia
VI- A Educação enquanto processo permanente e gerador de autonomia e participação ativa e informada dos sujeitos
VII- A diversidade nos cenários de prática
VIII- Intersetorialidade
IX- Planejamento, avaliação e monitoramento das ações
2.3 Quais temas/diretrizes dos Guias Alimentares para População Brasileira e/ou para Crianças brasileiras menores de 2 anos são/foram abordados na experiência?
– Alimentação adequada e saudável deriva de sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável; – Consumo de alimentos in natura ou minimamente processados como base da alimentação; – Limitar o uso de alimentos processados, consumindo-os, em pequenas quantidades, como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados; – Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados; – Valorizar o tempo dedicado à alimentação, – Valorizar a comensalidade, – Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre a alimentação veiculadas em propagandas comerciais;
2.4 Vocês consideram que esta experiência pode contribuir de maneira direta ou indireta a um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ?
ODS1 - Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares
ODS 2 - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
ODS 3 - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
ODS 4- Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
ODS 5 - Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas
ODS 8 - Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos
ODS 10 - Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles
ODS 11 - Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis
ODS 12 - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
ODS 13 - Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos
ODS 14- Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável
ODS 15 - Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade
ODS 16 - Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis

3. ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA

3.1 Como foi identificada a necessidade de realização desta experiência
O trabalho com jovens do Programa Jovem Aprendiz do Viva Lagos foi iniciado a partir da pactuação entre a entidade e o projeto de extensão Alimentação como ação política: promoção da alimentação adequada, saudável e sustentável para as juventudes. A entidade que desenvolve o programa buscou parceria com a universidade no intuito de oferecer aos jovens a oportunidade de ampliar conhecimentos sobre as variadas áreas de conhecimento. Sendo a alimentação um tema que, em geral, provoca curiosidade, a responsável pela instituição considerou pertinente ser abordada com os jovens do Programa, especialmente por reconhecer que a dinâmica de trabalho e estudo podem influenciar as práticas alimentares e comprometer a saúde.
3.2 Foi realizado algum diagnóstico da situação (observação da realidade, levantamento de demandas junto ao público etc) antes de iniciar a experiência
Sim
descreva rapidamente
A experiência parte da observação de que o público jovem, que está no mercado de trabalho, finalizando o ensino médio ou iniciando o ensino superior, dispõem de poucos espaços e recursos educativos específicos que tratem da alimentação numa abordagem multidimensional. De forma geral, este público não participa de ações nos serviços de saúde e no ambiente escolar há um privilégio da abordagem da dimensão biológica da alimentação. Por outro lado, estudos apontam mudanças cada vez mais precoces no perfil nutricional e alimentar deste grupo, com aumento do excesso de peso e do consumo de alimentos ultraprocessados. Sendo assim, ações de EAN voltadas para as características da vida cotidiana e linguagens juvenis podem contribuir para a promoção da alimentação adequada, saudável e sustentável e da segurança alimentar e nutricional.
3.3 Como foram definidos as prioridades e objetivos da experiência
A experiência está articulada com as demandas da sociedade para a qual o tema alimentação vem ocupando espaço cada vez maior nos debates, seja pelos aspectos que o relacionam com a saúde, seja por sua estreita relação com a sustentabilidade ambiental, ou ainda, por sua dimensão sociocultural e econômica. Busca contribuir para transformações nas percepções dos jovens sobre questões relacionadas à problemática alimentar na atualidade, à alimentação como Direito Humano e como garantia da Soberania Alimentar e para a adoção de práticas alimentares adequadas, saudáveis e sustentáveis, que poderão impactar a saúde, assim como o meio ambiente. A metodologia pedagógica adotada pela ação extensionista prevê a identificação e o reconhecimento dos interesses dos jovens acerca dos temas relacionados à alimentação; a promoção de diálogos qualificados e problematizadores sobre os temas mobilizadores, considerando a realidade e contexto de vida dos jovens.
3.4 Os sujeitos da ação participaram das etapas de planejamento da experiência?
Sim
sim, em quais etapas e como participaram ?
Está prevista a identificação e o reconhecimento dos interesses dos jovens acerca dos temas relacionados à alimentação; a promoção de diálogos qualificados e problematizadores sobre os temas mobilizadores, considerando a realidade de vida dos jovens. Para favorecer a interação entre a equipe executora e os participantes, são utilizados recursos pedagógicos produzidos no âmbito do projeto, especialmente para o público jovem (animações, vídeos, spots, jingle). Além disso, os jovens que participam das atividades presenciais são estimulados a produzir conteúdo, de forma lúdica e artística, para serem divulgados nas redes sociais do projeto com o objetivo de alcançar outros jovens.
3.5 Foram desenvolvidas metodologias ativas como estratégias pedagógicas para a EAN
Sim
Se sim, indique a(s) metodologia(s) com uma breve descrição
Os encontros com os jovens são norteados pelos pressupostos pedagógicos da educação de Freiriana: a dialogicidade, a problematização e a construção coletiva de conhecimentos. Cada encontro foi dividido em três momentos: 1) Problematização a partir de tema selecionado pelos jovens: exibição de animações e vídeos seguidos de diálogo; 2) Oficina de Fanzine: confecção de revista artesanal para livre expressão das percepções dos jovens; 3) Compartilhamento das produções.
3.6 Foram utilizados recursos materiais nas atividades desenvolvidas
Sim
sim, quais recursos?
Material de papelaria (papel A4, cola, tesoura, revista para recorte, canetas, lápis de cor, hidrocor). Datashow/TV, Caixa de som, Computador.
3.7 Sua experiência se configura no desenvolvimento de materiais educativos e desenvolvimento de tecnologias sociais a serem aplicados por outros profissionais?
sim
Descreva sobre o material/tecnologia social
Os fanzines podem ser usados em outras atividades com jovens ou serem meios de divulgação dos temas em exposições e feiras.
3.8 Como a experiência foi avaliada e quais os resultados obtidos
As atividades com os jovens do Viva Lagos acontecem desde 2018, de forma intermitente de acordo com a possibilidade de conciliação da agenda acadêmica com a da entidade. Ao longo desde período, os jovens que participam das atividades se mostraram interessados e participativos. Os encontros proporcionaram a troca de informações e impressões sobre alguns dos 10 temas disponibilizados no acervo do Comer pra quê?. É comum os jovens relatarem não haver pensado sobre os temas da forma como são apresentados e mostram-se muito satisfeitos com as produções. Avaliar resultados é sempre um desafio, especialmente quando se tem como objetivo trabalhar a percepção sobre temas diversos. Ainda não foi possível desenvolver um instrumento específico para avaliar os resultados das ações.
3.9 Relevância: Na avaliação das/os responsáveis, essa experiência contribuiu para algum nível de mudança/melhoria da realidade alimentar e nutricional das pessoas envolvidas; e/ou gerou experiência/conhecimento que pode contribuir para a prática de EAN em outros momentos e realidades
A metodologia adotada viabiliza o estabelecimento de um espaço de trocas, reflexão e construção coletiva, sendo facilmente adaptável a distintas realidades sociais, econômicas e institucionais.

4. RELATO RESUMIDO DA EXPERIÊNCIA

Relato resumido da experiência
No momento inicial, de problematização, o movimento “Comer pra quê?” é apresentado como um espaço de mobilização das juventudes para pensar e agir frente aos desafios que perpassam a alimentação e a segurança alimentar e nutricional na contemporaneidade. Em seguida, são apresentados os temas mobilizadores, sendo selecionado o que provoca maior interesse. O tema é apresentado por meio da exibição da animação, seguida de uma ou mais rodadas de exposição de impressões sobre o que provocou em cada um. Em seguida, é exibido o vídeo, que apresenta falas e impressões de jovens sobre o tema. Os participantes são estimulados a expressar suas opiniões, pensamentos e a refletir sobre suas experiências pessoais relacionadas ao tema, assim como sobre como as juventudes se relacionam com ele. O momento de produção coletiva tem como objetivo convidar os jovens a expressar de forma diversa sobre a experiência que tiveram no momento anterior, de problematização e diálogo sobre o tema. Também é possível convidá-los a produzir mensagens, convites, desafios e propostas para mobilização de outros jovens. Nesse momento, podem ser utilizadas variadas técnicas e recursos artísticos e/ou pedagógicos, de acordo com o cenário, o tempo para realização da atividade, assim como os recursos materiais disponíveis. No momento de compartilhamento, os jovens são convidados a apresentarem suas produções e como as conceberam. Esse é, em geral, um momento rico em que cada grupo apresenta o processo de criação, revelando como a experiência o tocou, e o potencial de sua produção para alcançar outros jovens. Ao longo da trajetória do projeto de extensão, entre 2018 e 2022, as ações aconteceram em uma organização não governamental que desenvolve projeto de inserção de jovens no mercado de trabalho (Projeto Jovem Aprendiz). Nessa instituição, foi possível interagir com os jovens em encontros que tiveram duração variada em cada ano. A oficina de Fanzine tem sido a principal estratégia utilizada para a produção coletiva. Fanzines são revistas confeccionadas de forma artesanal, cujo nome significa “revista do fã” e tem origem na contração de duas palavras inglesas – fanatic and magazine. A cultura do fanzinato não é muito conhecida, mas tem se revelado atraente para os jovens.

5. DOCUMENTOS

5.1 Campo para inserção de arquivo de imagens que documentaram a experiência
Campo para inserção de arquivo de documentos produzidos relacionados à experiência