Unidade básica com horário estendido: solução inovadora adotada pela cidade de Porto Alegre

Como resolver um dos principais problemas da Atenção Primária no Brasil, que é a dificuldade de acesso dos cidadãos que procuram cuidado nas unidades básicas, postos ou clínicas de família? O projeto Saúde Noite e Dia da cidade de Porto Alegre é uma solução inovadora que já repercute no sistema de saúde local. De portas abertas para a população das 8h às 22 horas e com uma carteira de serviços ampliada para atender as necessidades de quem procura o cuidado em saúde, as Unidades Saúde Noite e Dia conseguem realizar grande número de consultas por dia, cerca de 70 atendimentos no turno noturno (18-22h), com uma taxa de resolutividade ao redor de 90%, ou seja, cerca  de 10% dos pacientes encaminhados para o hospital.

“No momento de grande dificuldade financeira, o maior obstáculo foi a contratação de profissionais, tanto pela disponibilidade financeira, como pelo interesse do profissional médico, em especial, no valor remuneratório praticado hoje em dia no município. Porém o esforço tem sido recompensado demonstrado pela enorme aceitação dos usuários, o grande volume de atendimento, sua alta taxa de resolubilidade (87%) e a satisfação dos usuários e profissionais das duas UBS”, explica o Secretário Municipal de Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim.

Segundo dados da Secretaria de Saúde de Porto Alegre, 75% das demandas que chegam nas unidades de emergências são classificadas como “azul” ou “verde” de acordo com o Protocolo de Triagem. Com o período estendido nas unidades básicas, a gestão municipal espera diminuir a superlotação nas unidades de emergências e também melhorar o nível de satisfação dos usuários. Testes de laboratório, vacinação, procedimentos cirúrgicos ambulatoriais e cuidados odontológicos também são fornecidos durante todo período de atendimento.

Para aumentar a força de trabalho, foram contratados novos médicos de família para propiciar a mudança adicional, refletindo uma decisão da gestão municipal de priorizar os cuidados primários como uma política de saúde. A meta da Secretaria de Saúde de Porto Alegre é ampliar o modelo em mais seis unidades da cidade. Há evidências de que o acesso avançado aos serviços básicos de saúde reduz o tempo de espera para consultas de cuidados primários e hospitalização de pacientes com doenças cardiovasculares.

O sistema de saúde da cidade de Saúde de Porto Alegre, especialmente, a Atenção Primária à Saúde é acompanhado pela estratégia do Laboratório de Inovação, desenvolvido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que sistematiza e divulga práticas de boa gestão e inovações que respondam positivamente aos problemas do setor saúde.

A experiência está publicada na Revista BMJ – http://www.bmj.com/content/357/bmj.j2142/rr

Foto: Cristine Rochol/PMPA

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest