Barbara Starfield

Barbara_Starfield

 

Pediatra de formação, pesquisadora de serviços de saúde, e professora por talento natural, a Dra. Starfield trabalhou na Universidade Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health e na Faculdade de Medicina, desempenhando o cargo de diretora do Primary Care Policy Center. Passou mais de 50 anos na Universidade Johns Hopkin’s. Foi uma lutadora incansável das idéias e propostas contidas na medicina de família e nos cuidados primários de saúde .

 

 PUBLICAÇÕES DE DESTAQUE:

 

Atenção Primária

Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia.

Título original: Primary Care: balancing health needs, services, and technology.

Idioma: Português e Inglês

Referência: Starfield Bárbar, Brasília : UNESCO, Ministério da Saúde, 2002. 726p. ISBN: 85-87853-72-4

SÍNTESE:

Desde o lançamento da obra Primary Care: Concept, Evaluation, and Policy [Atenção Primária: Conceito, Avaliação e Política], o mundo dos serviços de saúde passou por inúmeras mudanças. A reforma da atenção à saúde caracteriza quase todos os países, mesmo aqueles com sistemas de saúde estáveis há décadas. Uma grande parte do ímpeto para a reforma origina-se dos custos sempre crescentes da atenção, decorrentes do envelhecimento da população, melhor sobrevivência de doentes crônicos como resultado de tratamentos médicos aprimorados, e, o crescente papel de tecnologias caras no diagnóstico e manejo da doença. Poucos países podem absorver os custos crescentes sem uma séria consideração de alternativas. Devido às preocupações compartilhadas entre os países e a centralidade da atenção primária dentro deles, há uma convergência de interesses sobre a natureza da atenção primária e seu papel dentro dos sistemas de saúde.

O livro tem a intenção de ajudar os leitores a entenderem o papel da atenção primária como um foco de organização dos sistemas de saúde, oferecer evidências científicas disponíveis sobre sua utilidade e ajudar no seu desenvolvimento e crescimento.

Entretanto, as crescentes ameaças à qualidade da atenção e as crescentes iniqüidades sociais que ameaçam piorar ainda mais as disparidades entre as populações socialmente favorecidas e as socialmente desfavorecidas traz uma nova urgência ao tópico da efetividade e eqüidade dos serviços de saúde e o papel da atenção primária em melhorá-las.

Em sua forma mais altamente desenvolvida, a atenção primária é a porta de entrada no sistema de serviços de saúde e o locus de responsabilidade pela atenção aos pacientes e populações no decorrer do tempo. Existe ainda a crença predominante de que a essência da atenção primária é fundamentalmente simples. Nada pode estar mais longe da verdade, e este livro é testemunha destes desafios.

O livro possui cinco seções principais: Atenção Primária e Saúde; Prática de Atenção Primária; Responsabilidade na Atenção Primária; Pacientes e Populações; e Política de Saúde e Atenção Primária.

ACESSE O LIVRO em PORTUGUÊS

ACESSE O LIVRO em INGLÊS

 

PRINCIPAIS ARTIGOS PUBLICADOS:

1. PRINCÍPIOS APS – em português

Título original: Conteúdo oriundo de Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia.

Idioma: Inglês

SÍNTESE: O artigo compõe o livro: Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia e ajuda-nos a dimensionar a complexidade que a atenção primária experimenta, na medida em que deve adequar-se às mudanças no perfil epidemiológico da população, aos crescentes avanços tecno-científicos e às necessidades cambiantes da população, além de reafirmar a eqüidade como um dos princípios éticos mais importantes de qualquer sistema ou política de saúde.

ACESSE O ARTIGO

 

2. A desigualdade escondida nos cuidados de saúde

Título original: The hidden inequity in health care

Idioma: Inglês

SÍNTESE: Iniquidade é a presença de sistemática e potencialmente remediáveis diferenças entre grupos populacionais definidos socialmente, economicamente, ou geograficamente. Não é o mesma que a desigualdade, que é um termo mais amplo, geralmente usado no campo dos direitos humanos para descrever as diferenças entre indivíduos, algumas das quais não são remediáveis (pelo menos com o conhecimento atual). Algumas línguas não fazer uma distinção entre os dois termos, o que pode gerar confusão e uma necessidade de esclarecer o exato significado em diferentes contextos. Algumas pessoas usam a “injustiça” para definir desigualdade, mas injustiça não é mensurável e, portanto, não é um termo útil para política ou avaliação.

A desigualdade pode ser horizontal ou vertical. A desigualdade horizontal indica que as pessoas com as mesmas necessidades  não têm acesso aos mesmos recursos. Desigualdade vertical se apresenta quando as pessoas com maiores necessidades não recebem mais recursos. Em pesquisas populacionais, uma mesma utilização dos serviços em todos os grupos populacionais implica em desigualdade, pois diferentes subgrupos populacionais têm necessidades diferentes, alguns mais do que outros. O que assim é geralmente considerado como equidade (uso igual em subgrupos da população) representa, no fundo, uma desigualdade.

ACESSE O ARTIGO

 

3. A Contribuição dos sistemas de cuidados primários de saúde, no interior Resultados Organização para a Cooperação Económica e (OCDE) o desenvolvimento dos países, 1970-1998

Título original: The Contribution of Primary Care Systems to Health Outcomes within Organization for Economic Cooperation and Development (OECD) Countries, 1970–1998

Idioma: Inglês

SÍNTESE: Este artigo apresenta uma das primeiras análises transversais de séries temporais da associação entre os sistemas nacionais de cuidados de saúde primários e resultados em termos de saúde.

Tendo em mente a natureza ecológica da análise, e as limitações dos dados apresentados e medidas empregadas, várias conclusões prelimares podem ser retiradas.

Primeiro, o financiamento, a organização e a prestação de cuidados de saúde primários parecem ter um impacto significativo sobre os resultados de saúde a nível nacional. Este efeito é particularmente influente em todas as causas e diversas categorias específicas de causa de mortalidade prematura consideradas sensíveis à atenção primária.
Mesmo que a magnitude da associação seja reduzida devido à presença de outros determinantes de saúde, os cuidados primários ainda exercem um papel de melhoria da saúde na maioria dos resultados analisados.

Segundo, parece que a reforma de saúde nos países da OCDE não tiveram de modo uniforme  a atenção primária como alvo. Os países que começaram a reformar seus sistemas de cuidados primários, nos anos 1970 e 1980 – mais notavelmente os países nórdicos, o Reino Unido, Espanha e Itália – têm obtido maiores progressos na melhoraria tanto das características estruturais quanto das características práticas desses sistemas.

ACESSE O ARTIGO

 

4. Medicina de Família deveria incentivar os seus médicos para subspecialize: posição negativa

Título original: Family medicine should encourage its clinicians to subspecialize: negative position

Idioma: Inglês

SÍNTESE: A subespecialidade de cuidados primários tem sido proposta como uma solução pragmática para um problema percebido em relação a acesso e custos dos serviços de saúde, bem como um mecanismo para aumentar o prestígio do médicos “generalistas” numa época em que os especialistas desfrutam de status elevado. Neste artigo, analisaremos as objeções teóricas, bem como a evidências provenientes de estudos sobre o impacto da subespecialização. Objeções teóricas começam com as características da atenção primária, muitas das quais são contrárias à subespecialização. A alta prevalência de nulti-morbidade na prática da atenção primária também constitui argumento contra a eficácia da doença orientada subespecialização. Além disso, as contribuições da especialidade para a saúde dos pacientes é mal compreendida, e a evidência atual sugere que quanto maior o número de especialistas, maiores são os custos de cuidados de saúde, com ganho proporcional muito reduzido em termos de saúde. Uma consideração adicional é o potencial efeito negativo de redução da quantidade de tempo dedicado aos cuidados primários em relação aos pacientes atendidos pelos especialistas.

ACESSE O ARTIGO

 

5. Principais contribuições cuidado de Sistemas de Saúde e Saúde

Título original: Primary Care Contributions to Health Systems and Health

Idioma: Inglês

SÍNTESE: Evidências sobre a influência de promoção da saúde da atenção primária tem se acumulado desde quando as pesquisas passaram a distinguir a atenção primária como uma parte especial dos serviços de saúde. Esta evidência mostra um impacto positivo da atenção primária sobre a prevenção de enfermidades e de morte, independentemente 1) de a atenção primária ser caracterizada como a fonte dos cuidados prestados por médicos, ou 2) se as pessoas têm ou não uma relação estável com a fonte de cuidados primários de cuidados, ou 3) da extensão em que as características importantes dos cuidados de saúde primários são percebidas pelas pessoas.

Há também evidências de que a atenção primária (em contraste com o atendimento especializado) está associada a uma distribuição mais equitativa da saúde nas populações, uma descoberta que é forte em estudos entre países e dentro dos países. Os mecanismos pelos quais a atenção primária beneficia a saúde foram elucidados, sugerindo formas de melhorar os níveis globais de saúde e reduzir as diferenças sistemáticas de condições de saúde entre relevantes subgrupos populacionais.

ACESSE O ARTIGO

 

6. A iniquidade escondida nos serviços de saúde: último editorial de Barbara Starfield evoca vida de luta pela justiça social  (Por Gabriela Ruiz)

Idioma: Português

SÍNTESE: São os serviços de saúde geradores de iniquidade? São sim. Essa é a tese que Barbara Starfield defendeu no seu último editorial do International Journal for Equity in Health em abril do ano passado.

A autora começa por definir a iniquidade como “a presença de diferenças sistemáticas e potencialmente remediáveis entre grupos populacionais, definidas, social, econômica ou geograficamente”. Starfield diferencia a iniquidade da desigualdade, geralmente utilizada para descrever diferenças entre indivíduos, que não necessariamente são remediáveis.

ACESSE O ARTIGO

 

VÍDEOS – YouTube:

Acesse palestras e depoimentos de Barbara Starfield em vídeos

1. Barbara Starfield Lifetime Achievment Award

2. Professor Barbara Starfield: The Primary Solution

3. Professor Barbara Starfield: The Primary Solution

4. New Directions in Primary Care Training

 

APRESENTAÇÕES EM PPT:

Efetividade e Equidade em Serviços de Saúde através da Atenção Primária em Saúde

Apresentação realizada no Terceiro Seminário Internacional: Avaliação em APS e Gestão por Resultados – Recife, Brasil, 2007

ACESSE A APRESENTAÇÃO

 

ENTREVISTAS:

1. Entrevista para o Boletim Saúde para Todos  (Secretaria de Saúde RS – Brasil)

Idioma: Português

ACESSE A ENTREVISTA

 

2. Entrevista para REVISTA BRASILEIRA SAÚDE DA FAMÍLIA  (Ministério da Saúde) – no.7

 Idioma: Português

ACESSE A ENTREVISTA

 

3. Entrevista realizado por Jon Rappoport:  Morte Medicamente Causada na América

Idiomas: Português e Inglês

ACESSE em português

ACESSE em inglês



Um comentário para “Barbara Starfield”

  1. 15 de janeiro de 2013 às 20:05

    Muito boa a divulgação das principais contribuições da Barbara Starfield a APS mundial. Parabéns!

Deixe um comentário