A rede de atenção em Santo Antônio do Monte

A articulação entre a Atenção Primária à Saúde e a Atenção Secundária é um dos principais focos do Laboratório de Inovação na Atenção às Condições Crônicas em Santo Antônio do Monte (MG). As ações abrangem 13 municípios da microrregião de Divinópolis, que são atendidos pelo Centro Integrado de Referência Secundária Viva Vida e Hiperdia, uma unidade especializada que aplica o Modelo de Atenção às Condições Crônicas com hipertensos, diabéticos, gestantes e crianças de zero a um ano.

CENTRO2O Laboratório de Inovação na Atenção às Condições Crônicas foi implantado em parceria entre Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e Secretaria de Saúde de Santo Antônio do Monte – MG.

Um dos objetivos é incentivar a mudança no modelo de atenção à saúde para atender adequadamente os portadores de condições crônicas. “A OPAS vem atuando nesta estratégia dos Laboratórios de Inovação no Brasil, porque visa melhorar o processo de cooperação técnica, identificando as boas práticas e as inovações que são produzidas no país, contribuindo para a sistematização dessas inovações e o compartilhamento do conhecimento produzido. Este Laboratório de Santo Antônio do Monte visa identificar e sistematizar as inovações que são produzidas na Atenção Secundária”, destaca a consultora da OPAS Brasil, Elisandréa Kemper.

As Unidades Básicas de Saúde identificam, cadastram e estratificam os usuários, a partir de parâmetros estabelecidos em diretrizes clínicas baseadas em evidências.

Pessoas de baixo e médio risco são atendidas na Atenção Primária, com enfoque em mudanças no estilo de vida. Usuários de alto e muito alto risco são encaminhados para o Centro de Referência Viva Vida e Hiperdia.

No Centro, usuários hipertensos, diabéticos, gestantes e crianças recebem atenção de uma equipe multiprofissional, que trabalha de maneira interdisciplinar. Tecnologias como autocuidado apoiado, cuidado compartilhado e atenção por pares inovam a maneira de tratar as condições crônicas.

Os usuários passam a ser corresponsáveis pelo tratamento, pactuando metas com a equipe de saúde, que serão descritas no plano de cuidado individualizado.

Ao mesmo tempo em que são atendidas no Centro, as pessoas com condições crônicas continuam sendo acompanhadas pela Atenção Primária. As equipes das Unidades Básicas de Saúde verificam se o plano de cuidado está sendo seguido corretamente, apoiando, estimulando e orientando os usuários. “O Laboratório de Santo Antônio do Monte tem uma característica peculiar: a de trabalhar ações integradas de vigilância e assistência, seja na Atenção Primária, pelas equipes de Saúde da Família, seja na Atenção Especializada,” ressalta o secretário estadual de Saúde de Minas Gerais, José Geraldo Prado.

A capacitação das equipes da atenção primária da microrregião é feita pelo Centro Viva Vida e Hiperdia. Nos treinamentos, os profissionais de saúde recebem a fundamentação teórica para a aplicação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Assim, a Atenção Secundária fortalece o papel da Atenção Primária como ordenadora da rede de atenção. “Traz esse benefício para a gente, de organização dos processos de trabalho, de implantação de novas tecnologias, para que a gente possa dar essa resolutividade para o usuário na ponta”, salienta a secretária municipal de Saúde de Santo Antônio do Monte, Raquel Fátima Teixeira.

O Modelo de Atenção às Condições Crônicas já apresenta resultados positivos na saúde dos usuários. Os valores da hemoglobina glicada tiveram melhora em 77% dos diabéticos. Os hipertensos melhoraram os valores da pressão arterial em 94% dos casos. E 97% dos diabéticos com lesão nos pés e mãos evoluíram para cicatrização.

As experiências de Santo Antônio do Monte estão sendo sistematizadas pelo Laboratório de Inovações, para facilitar a replicação da experiência em outros municípios. “O processo de construção das Redes no Brasil ainda é muito incipiente. Até aqui, pela resposta dada por Samonte, nós vamos ter uma evidência bastante clara, forte, para podermos trabalhar Redes no Brasil como um todo”, aposta Jurandi Frutuoso, secretário executivo do CONASS.

Veja o vídeo: O Modelo de Atenção às Condições Crônicas em Santo Antônio do Monte – Eugênio Vilaça

 

Veja o vídeo: Articulação entre Atenção Secundária à Saúde e Atenção Primária à Saúde em Santo Antônio do Monte 

Veja o vídeo: Conass apóia a construção de redes de atenção

 

Veja o vídeo: Estratégia de cooperação técnica por meio dos Laboratórios de Inovação 

Veja o vídeo: Secretário fala sobre a cooperação técnica que instituiu o Laboratório de Inovação em Santo Antônio do Monte.

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest

Leave a comment